A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
27 pág.
ANÁLISE DE IMPACTOS AMBIENTAIS DE UMA SIDERÚRGICA - UM ESTUDO DE CASO DA COMPANHIA SIDERÚRGICA CRATEUENSE

Pré-visualização | Página 1 de 5

UNIVERSIDADE FEDERAL DO CEARÁ 
CAMPUS CRATEÚS 
CURSO DE BACHARELADO EM ENGENHARIA AMBIENTAL E SANITÁRIA 
DISCIPLINA DE CONTROLE DA POLUIÇÃO ATMOSFÉRICA 
PROFESSORA: JANINE BRANDÃO 
 
 
 
 
 
 
JOSÉ MOTA DE SOUSA NETO 
MARIA CAROLINA MESQUITA DE SOUSA 
 
 
 
 
 
 
 
 
ANÁLISE DE IMPACTOS AMBIENTAIS DE UMA SIDERÚRGICA: UM 
ESTUDO DE CASO DA COMPANHIA SIDERÚRGICA CRATEUENSE 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
CRATEÚS – CE 
29 DE NOVEMBRO DE 2018
SUMÁRIO 
 
1 INTRODUÇÃO ...................................................................................................... 3 
2 JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS ........................................................................... 3 
3 CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA ............................................................................ 4 
 3.1 CARACTERIZAÇÃO DO CLIMA .............................................................. 5 
4 COMPANHIA SIDERÚRGICA CRATEUENSE ..................................................... 6 
 4.1 CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO ....................................... 6 
 4.2 JUSTIFICATIVA DO EMPREENDIMENTO .............................................. 6 
 4.3 PROCESSO PRODUTIVO ....................................................................... 6 
 4.4 CARACTERIZAÇÃO DO EFLUENTE GASOSO ...................................... 8 
 4.5 TECNOLOGIAS DE TRATAMENTO DE EFLUENTES ............................ 9 
5 CÁLCULO DA EFICIÊNCIA DE REMOÇÃO DOS POLUENTES, EFICIÊNCIA 
GLOBAL E PENETRAÇÃO ................................................................................ 15 
6 DEFINIÇÃO DA ALTURA DA CHAMINÉ E ALTURA EFETIVA ......................... 16 
7 MODELAGEM DE DISPERSÃO DA PLUMA ..................................................... 17 
8 PROGRAMA DE MONITORAMENTO ................................................................ 19 
9 CRONOGRAMA FÍSICO FINANCEIRO ............................................................. 23 
10 CONCLUSÃO .................................................................................................. 24 
11 REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS ................................................................ 25 
 
 
 
 
1 INTRODUÇÃO 
 O crescimento populacional vem proporcionando cada vez mais o 
desenvolvimento econômico de determinadas regiões. Junto com o crescimento, 
também cresce a demanda por matérias primas para os mais variados setores, como 
o siderúrgico. O aço pode ser encontrado em construções na forma de vergalhões, 
barras e para indústria automobilística funciona como sendo uma commodity, pois é 
utilizado em grande escala (OLIVEIRA, 2014). A indústria siderúrgica tem 
aplicabilidade em diversas áreas da sociedade e do mercado de trabalho, promovendo 
um papel essencial ao crescimento econômico, já que o aço é um insumo básico 
capaz de manter diversos segmentos do mercado, como a indústria automobilística, 
construção civil e infraestrutura (FIGUEIREDO, 2016). 
2 JUSTIFICATIVA E OBJETIVOS 
 A produção de aço pode acarretar em diversos impactos para o clima e para o 
meio ambiente local, devido à emissão de gases e poluentes gerados por essas 
indústrias. A dispersão desse efluentes pode afetar a população que se encontra em 
regiões próximas ao empreendimento (OLIVEIRA, 2014), gerando, assim, problemas 
respiratórios e na saúde, de modo geral. 
 Nesse contexto, se faz necessário analisar os impactos que empreendimentos 
como esses podem causar ao meio ambiente e à população, avaliando os poluentes 
atmosféricos e as formas de mitigação desses problemas. 
 Assim, o objetivo desse estudo é analisar os impactos ambientais referentes à 
poluição atmosférica, geradas pela siderúrgica, tomando como base os mecanismos 
de controle e monitoramento, e utilizando como estudo de caso, a Companhia 
Siderúrgica Crateuense, uma usina siderúrgica em fase de implantação no município 
de Crateús, estado do Ceará. 
 Os objetivos específicos desse trabalho são: 
• Descrever o processo produtivo do empreendimento, destacando os poluentes 
gerados em cada etapa; 
• Caracterizar os efluentes gasosos gerados nos processos utilizados na 
siderúrgica; 
• Descrever as tecnologias de tratamento e controle das emissões atmosféricas, 
bem como os seus respectivos dimensionamentos; 
• Abordar as técnicas de monitoramento da emissão e qualidade do ar; 
• Calcular a eficiência de remoção dos poluentes em cada uma das unidades 
de tratamento. 
 
3 CARACTERIZAÇÃO DA ÁREA 
A área de implantação da siderúrgica consistirá em uma área total de 109 
hectares. A área localiza-se em um ponto consideravelmente distante dos centros 
populacionais de Crateús, a uma distância de aproximadamente 700 metros da 
rodovia CE-187 e a 400 metros da área populacional mais próxima, o condomínio 
Morada dos Ventos II. O mapa abaixo ilustra a localização da siderúrgica e alguns 
locais relevantes para referência. 
Figura 1 – Área de implantação da siderúrgica 
 
Fonte: Google Maps, acesso em 20/10/2018 
 
3.1 CARACTERIZAÇÃO DO CLIMA 
 Segundo dados do Weather Spark e do INMET, em Crateús, a estação chuvosa 
caracteriza-se pela temperatura amena, opressiva e de céu encoberto. A estação seca 
é quente, de ventos fortes e de céu parcialmente encoberto. Ao longo do ano, a 
temperatura varia entre 21°C e 38°C. 
 A estação quente permanece por 3,5 meses, de 2 de setembro a 16 de 
dezembro, com temperatura máxima média diária acima de 36 °C. A estação fresca 
permanece por 2,8 meses, de 9 de março a 4 de junho, com temperatura máxima 
diária em média abaixo de 32 °C. 
 A estação de maior precipitação dura 4 meses, de 11 de janeiro a 11 de maio, 
com probabilidade acima de 31% de que um determinado dia tenha precipitação. A 
estação seca dura 8 meses, de 11 de maio a 11 de janeiro. 
 A duração do dia em Crateús não varia significativamente durante o ano, cerca 
de 25 minutos a mais ou a menos de 12 horas no ano inteiro. Por ano, a insolação 
total é de 2665 horas. 
 A velocidade horária média do vento em Crateús passa por variações sazonais 
significativas ao longo do ano. A época de mais ventos no ano dura 6,4 meses, de 21 
de junho a 1 de janeiro, com velocidades médias do vento acima de 16,5 km/h. A 
época mais calma do ano dura 5,6 meses, de 1 de janeiro a 21 de junho. O dia mais 
calmo do ano registrou ventos de 11,5 km/h de velocidade horária média do vento. A 
direção média horária predominante do vento em Crateús é do leste durante todo o 
ano. 
 
4 COMPANHIA SIDERÚRGICA CRATEUENSE 
4.1 CARACTERIZAÇÃO DO EMPREENDIMENTO 
A Companhia Siderúrgica Crateuense (CSC) – empreendimento do grupo 
Mota&Mesquita S.A. - será uma usina siderúrgica de médio a grande porte, que será 
implantada no município de Crateús, a 350km de Fortaleza, no estado do Ceará. A 
siderúrgica será implantada na rodovia CE-187, na saída para a cidade de Novo 
Oriente. 
A produção inicial de aço esperada para a siderúrgica é de aproximadamente 
7600 toneladas por mês, produzindo um total de 253 toneladas por dia. Gerando, 
assim, um total de cerca de 3 mil empregos para a população da cidade e de outras 
localidades próximas. A indústria é considerada “de base”, já que os produtos finais 
serão apenas barras ou chapas metálicas, que servem como matéria-prima para 
outras indústrias que fabricam inúmeros produtos metálicos. (TERRA; GOMES; 
CAMPANELI, 2015) 
4.2 JUSTIFICATIVA DO EMPREENDIMENTO 
Uma siderúrgica de grande porte como a CSC, como já citado, pode gerar 
inúmeros empregos para a cidade de Crateús, além de propiciar a implantação de um 
verdadeiro distrito industrial. Isso implica na movimentação da economia local e,