O chumbo   saturnismo
1 pág.

O chumbo saturnismo

Disciplina:Segurança do Trabalho4.592 materiais18.686 seguidores
Pré-visualização1 página
O chumbo é o metal tóxico mais importante para o ser humano. Assim, como os

outros minerais pesados têm tendência de ligar-se aos grupos tiol das

moléculas de proteína, inativando, principalmente as de função enzimática. A

doença causada pela intoxicação pelo chumbo recebe o nome de saturnismo.

Doenças causadas pela Toxicidade:

A intoxicação aguda pelo chumbo provoca cefaléias agudas, paralisia motora,

dores articulares, irritabilidade, neurites óticas, comportamento maníaco,

distúrbios mentais gerais. Se não for corretamente tratado pode apresentar,

ataxia, convulsões e até ocorrer morte.

A exposição crônica provoca anorexia, desconforto muscular, cefaléia,

constipação intestinal, diarréia, gosto metálico, fadiga fácil, fraqueza muscular,

insônia, pesadelos, irritabilidade, dor abdominal.

Um dos sinais mais comuns de altos níveis de chumbo é a linha preta na

gengiva.

Os efeitos em longo prazo da exposição crônica não são ainda bem

compreendidos, mas parecem ser deletérias sobre os órgãos, sangue, nervos e

sistema endócrino.

O tratamento envolve o uso de terapia de quelação.

Fontes de contaminação:

- escapamento de automóveis.

- exposição tópica a gasolina.

- suplementos de cálcio de ossos.

- dolomita.

- alguns cosméticos.

- alimentos contaminados com inseticidas.

- fertilizantes.

- poluição atmosférica.

- água poluída.

- vasilhas de cerâmica vitrificada.

- locais de estocagem de chumbo.

- soldas contendo chumbo.

- atum enlatado.

- conchas de ostras.

Absorção e intoxicação são aumentadas por:

1. Carência de cálcio ou fósforo.

2. Carência de ferro.

3. Baixa ingestão protéica

4. Altos níveis de vitamina D (muito comum devido aos alimentos fortificados).

5. Doenças renais preexistentes.

A eliminação e desintoxicação são aumentadas por :

1. Aumento da ingestão dietética de cálcio e fósforo (cálcio de osso e dolomita

contém chumbo).

2. Alta ingestão de ácido ascórbico.

3. Ingestão de vitaminas do complexo B especialmente piridoxina, ácido fólico,

cianocobalamina e ácido nicotínico.

4. Uso de cromo, pectina, algina, metionina, cisteina, cistina, tocoferois.

5. Emprego de agentes quelante I.V. ou I.M. como EDTA, BAL.

6. A penicilamina está indicada para remoção rápida de chumbo quando há

sintomas de intoxicação em presença de elevados níveis de chumbo.

Terapêutica ortomolecular

A cisteina, metionina, cistina, ácido ascórbico, tocoferois, cálcio, ferro, selênio

indicado complexo B, cromo, pectina, algina são elementos necessários na

terapia ortomolecular.

Orientações higieno-dietéticas:

- A água quente acumula chumbo no cano à noite, por isso, deixe a água correr

um pouco antes do seu uso.

- A ingestão de uma dieta rica de grãos, ovos, cebola e alho, nutrientes que

contém, enxofre quelado com aminoácidos possibilitariam ao organismo realizar

suas funções adequadamente, mesmo que exposto a quantidades de chumbo

acima da média, promovendo a secreção desse mineral pesado.

Interações

1. Cálcio \u2013 baixos níveis de cálcio exacerbam os efeitos do chumbo

2. Ferro \u2013 O excesso de chumbo interfere na síntese de porfirina,

interrompendo a produção de hemoglobina com conseqüente anemia.

Fonte: Medicina Geriátrica \u2013 Mais informações acesse o site:

www.medicinageriatrica.com.br