A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
88 pág.
Aula 07 Português

Pré-visualização | Página 9 de 30

este argumento está expresso no texto - "A 
situação nos EUA está mais positiva, há otim ismo no mercado norte-americano".
Prof. Fabiano Sales www.estrategiaconcursos.com.br 27 de 88
ATENÇÃO! ESSE MATERIAL PERTENCE AO SITE: WWW.MATERIALPARACONCURSOS.COM
Língua Portuguesa - AFT 
Teoria e exercícios comentados 
Prof. Fabiano Sales - Aula 07
- recessão na zona do euro: o argumento é ratificado por meio do excerto "Na 
zona do euro, serão dois trimestres consecutivos em queda, o que, de acordo 
com a definição convencional, caracteriza recessão".
- desaceleração da China: este argumento também está expresso na superfície 
textual - "E a China está claramente em desaceleração".
Entretanto, no decorrer da entrevista, Frenkel cita um quarto fator, qual 
seja, a "valorização cambial do real". Essa argumentação é extraída do 
segmento "Outro fator foi a valorização cambial. No fim do ano passado, o real 
chegou a acumular a maior valorização cambial desde o início ...".
Portanto, somente a opção II complementa de forma coerente e correta a 
resposta do entrevistado.
A queda no crescimento da economia do Brasil pode ser relacionada a 
quatro fatores: otim ismo no mercado americano, recessão na zona do euro, 
desaceleração na China e valorização cambial do real.
Gabarito: E.
ATENÇÃO! ESSE MATERIAL PERTENCE AO SITE: WWW.MATERIALPARACONCURSOS.COM
3. (E SA F-2012/C G U ) De acordo com a argum entação do texto abaixo, 
assinale o fa tor que não contribui d iretam ente para a expressiva queda 
dos juros:
Mudanças mais amplas nas leis m ateriais e processuais são 
imprescindíveis. Deve-se m itigar os exageros de leitura do direito de 
am pla defesa, perm itindo a rápida apropriação de garantias, assegurado 
ao devedor o direito de posterior discussão. Litígios de devedores de 
m á-fé , esmagadora m aioria, praticam ente desapareceriam . Com m aior 
previsibilidade na execução dos contratos, a queda dos juros seria 
expressiva.
(Adaptado de Joca Levy, Juros, demagogia e bravatas. O Estado de São Paulo, 21 de 
abril de 2012)
a ) A dim inuição dos exageros de leitura do direito de am pla defesa.
b) A rápida apropriação de garantias.
c) Os litígios da m aioria de devedores de m á-fé.
d) O direito de posterior discussão pelo devedor.
e ) A m aior previsibilidade na execução de contratos.
Com entário : Segundo o texto, alguns fatores contribuem diretamente para a 
expressiva queda de juros. O autor elencou algumas medidas para essa redução, 
quais sejam:
- A diminuição dos exageros de leitura do direito de ampla defesa: esse fator é 
ratificado pelo segmento "Deve-se m itigar os exageros de leitura do direito de 
ampla defesa" ;
Prof. Fabiano Sales www.estrategiaconcursos.com.br 28 de 88
ATENÇÃO! ESSE MATERIAL PERTENCE AO SITE: WWW.MATERIALPARACONCURSOS.COM
Língua Portuguesa - AFT 
Teoria e exercícios comentados 
Prof. Fabiano Sales - Aula 07
- A rápida apropriação de garantias: essa afirmação foi elencada, no texto, como 
consequência do primeiro argumento, sendo confirmada pelo excerto 
"perm itindo a rápida apropriação de garantias" ;
- O direito de posterior discussão pelo devedor: também se trata de uma 
argumentação, apresentada no mesmo diapasão dos argumentos anteriores. No 
texto, é ratificada pelo segmento "assegurado ao devedor o direito de posterior 
discussão" ;
- A maior previsibilidade na execução de contratos: informação corroborada pelo 
trecho "Com maior previsibilidade na execução dos contratos, a queda de juros 
seria expressiva".
De outro lado, a argumentação "Os litígios da maioria de devedores de 
má-fé" é um aspecto negativo para que a queda de juros ocorra. No texto, esse 
posicionamento é confirmado pelo segmento "Litígios de devedores de má-fé, 
esmagadora maioria, praticamente desapareceriam".
Portanto, a letra C é o gabarito da questão.
Gabarito: C.
Considere o texto abaixo para responder à questão 4.
Sabe-se m uito pouco dos rumos que as grandes cidades tom arão nas 
próximas décadas. Muitas vezes nem se prevê a dinâmica m etropolitana 
do próximo quinquênio. Mesmo com a capacitação e o preparo dos 
técnicos dos órgãos envolvidos com a questão urbana, há variáveis 
independentes que interferem nos planos e projetos elaborados pelos 
legislativos e encaminhados ao Executivo.
Logicam ente não se prevê o m alfadado caos urbano, mas ele pode 
ensejar que o país se adiante aos eventos e tom e medidas preventivas 
ao desarranjo econômico, que teria consequências nefastas. Para 
antecipar-se, o Brasil tem condições propícias para criar th ink tanks ou, 
em tradução livre, usinas de ideias ou institutos de políticas públicas. 
Essas instituições podem antecipar-se ao que poderá surgir no 
horizonte. Em outras palavras, deseja-se o retorno ao planejam ento 
urbano e regional visando o bem -estar da sociedade. Medidas nessa 
direção podem (e devem ) estar em consonância com a projeção de 
tendências e mesmo com a antevisão de demandas dos destinatários 
da gestão urbana - os cidadãos, urbanos ou não.
(Adaptado de Aldo Paviani, M etrópoles em expansão e o futuro. Correio 
Braziliense, 8 de dezem bro, 2 0 1 1 )
4. (ESAF-2012/Ministério da Integração Nacional) In fe re -se da argum entação do 
texto que
Prof. Fabiano Sales www.estrategiaconcursos.com.br 29 de 88
ATENÇÃO! ESSE MATERIAL PERTENCE AO SITE: WWW.MATERIALPARACONCURSOS.COM
Língua Portuguesa - AFT 
Teoria e exercícios comentados 
Prof. Fabiano Sales - Aula 07
a ) os técnicos dos órgãos envolvidos com a questão urbana deveriam 
ser mais capacitados para realizar os projetos encaminhados ao 
Executivo.
b) a dinâmica m etropolitana a ltera-se a cada quinquênio, seguindo 
variáveis que devem constar dos planos e projetos de cada período 
legislativo.
c) institutos de políticas públicas teriam como tare fa o planejam ento 
urbano e regional, antecipando-se a um possível desarranjo econômico.
d) o caos urbano que poderá a fetar as grandes cidades nos próximos 
anos terá o desarranjo econômico como uma de suas piores 
consequências.
e ) as demandas crescentes dos habitantes das grandes cidades 
contrastam com a baixa demanda dos cidadãos não urbanos.
Comentário: Segundo as ideias do texto, é possível inferir que "institutos de 
políticas públicas teriam como tarefa o planejamento urbano e regional, 
antecipando-se a um possível desarranjo econômico". Essa inferência é lícita e 
baseia-se no excerto " ( .. .) ele (= o caos urbano) pode ensejar que o país se 
adiante aos eventos e tome medidas preventivas ao desarranjo econômico, que 
teria consequências nefastas. Para antecipar-se, o Brasil tem condições propícias 
para criar th ink tanks ou, em tradução livre, usinas de ideias ou institutos de 
políticas públicas. Essas instituições podem antecipar-se ao que poderá surgir no 
horizonte". Portanto, a letra (C) é o gabarito da questão.
Gabarito: C.
Considere o texto abaixo para responder à questão 5.
A vida em um país nórdico, como a Finlândia, nos faz re fle tir mais 
profundam ente sobre a relação entre liberdade, igualdade, autonom ia e 
form atos sociais que podem propiciar vidas mais plenas e felizes aos 
seus cidadãos. Para alguém habituado a desigualdades, uma sociedade 
igualitária, com am plo respeito pela vida hum ana, excelentes índices de 
educação, burocracia in teligente e serviços públicos voltados (d e fa to ) 
para m elhorar a vida do cidadão, soa como um caminho para a produção 
de seres humanos mais plenos e sociedades mais inspiradoras. Talvez 
não seja assim. Quando nos referim os à igualdade, não tratam os de 
m era distribuição equitativa da renda. A igualdade e a dignidade 
humana que uma sociedade pode produzir referem -se à possibilidade de 
o cidadão te r condições m ateriais e subjetivas à sua disposição, para 
que, atendidas suas necessidades básicas e diárias