Aula_9_Teniase_e_cisticercose
48 pág.

Aula_9_Teniase_e_cisticercose


DisciplinaParasitologia11.301 materiais94.698 seguidores
Pré-visualização2 páginas
TENÍASE E 
CISTICERCOSE 
CLASSE CESTODA 
 
CLASSIFICAÇÃO 
 
FILO \uf0e0Platyelminthes 
CLASSE \uf0e0Cestoda 
FAMÍLIA \uf0e0Taeniidae 
GÊNERO \uf0e0Taenia 
ESPÉCIE \uf0e0 Taenia solium 
 Taenia saginata 
Taenia solium e Taenia saginata 
 
 
São cestóideos cujo hospedeiro definitivo é o 
homem (verme adulto no intestino) e o hospedeiro 
intermediário é o boi (Taenia saginata ) e o porco 
(Taenia solium ) , que são parasitados pela forma 
larvar (cisticerco). 
Escólex - colo - estróbilo 
 
MORFOLOGIA 
VERME ADULTO : Nome popular = \u201csolitária\u201d 
Tamanho 2 a 3 metros até ......10 metros 
 
Habitat : intestino delgado do homem 
 
· Escólex \u2013 órgão de fixação no intestino 
· Colo \u2013 área de crescimento (gerador de proglotes) 
\u2022 Estróbilo \u2013 conjunto de proglotes. 
 
MORFOLOGIA 
 T. solium T. saginata 
ESCÓLEX 
Ventosas 4 4 
Acúleos e rostro Presentes Ausentes 
 
COLO 
 
ESTRÓBILO 
Comprimento até 3m até 8m 
N. proglotes 800 A 1000 1000 A 2000 
 
CYSTICERCUS C. cellulosae C. bovis 
 
OVOS Indistinguíveis Indistinguíveis 
 
Escólex 
Ovos 
Embrióforo (blocos de quitina) 
Embrião hexacanto 
ou onconfera 
3 pares acúleos 
 
Membrana dupla 
Taenia saginata 
10 anos 
Taenia solium 
3 anos 
Proglotes: 
 - Jovem 
 
Aparelho Reprodutor 
 - Estróbilo 
Sistema Reprodutor 
Proglote: 
- Madura : 
 
Sistema Reprodutor 
Proglote: 
- Grávida: 
 
Ramificações 
uterinas 
Taenia saginata 
Taenia solium 
Dendríticas Dicotômica 
 
 Teníase É a infecção intestinal humana causada por 
cestódeos adultos do gênero Taenia. 
 
 
Cisticercose É uma alteração provocada pela 
presença da larva da T. solium e T. Saginata nos tecidos 
de seus hospedeiros intermediários 
 
HÁBITAT 
 
 TENÍASE \uf0e0 Vermes adultos da T. solium e 
 T. saginata vivem no intestino delgado do homem 
 
CISTICERCOSE \uf0e0Cysticercus celulosae é 
 encontrado nos tecidos subcutâneo, muscular, 
 cerebral e nos olhos de suínos e acidentalmente no 
 homem. 
 O C. bovis é encontrado nos tecidos dos bovinos 
 
 Taenia solium Taenia saginata 
Escólex Globoso 
Com rostro 
Com dupla fileira de 
acúleos 
Quadrangular 
Sem rostro 
Sem acúleos 
Proglotes Ramificações uterinas 
pouco numerosas, de tipo 
dendrítico 
 
Saem passivamente com 
as fezes 
Ramificações uterinas 
muito numerosas, de 
tipo dicotômico 
 
Saem ativamente no 
intervalo das 
defecações 
Cysticercus C. cellulosae 
 
Apresenta acúleos 
C. bovis 
 
Não apresenta acúleos 
Cisticercose 
humana 
Possível Não comprovada 
Ovos Indistinguíveis Indistinguíveis 
Ciclo Evolutivo 
Teníase 
\u2022 Heteroxênico 
Cisticercose 
 
\u2022 Monoxênico 
 
 ovo 
LARVA 
 TÊNIA ADULTA 
Ingestão 
de ovos 
Cisticerco na 
musculatura 
Ingestão de carne com 
a larva cisticerco 
HI HD 
TENÍASE 
Transmissão 
TENÍASE \uf0e0 Ingestão de carne crua ou mal cozida 
com: Cysticercus cellulosae \uf0aeT. solium 
Cysticercus bovis \uf0ae T. saginata 
 
CISTICERCOSE \uf0e0 A cisticercose humana é adquirida 
pela ingestão acidental de ovos viáveis da 
Taenia solium. 
 \uf0e8 Auto-infecção externa 
 \uf0e8 Auto-infecção interna (mecanismo de 
retroperistaltismo) 
 \uf0e8 Hetero infecção 
 
PATOGENIA E SINTOMATOLOGIA 
 
TENÍASE 
 Dor abdominal, náuseas, vômitos, astenia, perda 
de peso, cefaléia, tonturas,diarréia, apetite excessivo, 
irritação, desnutrição, eosinofilia, prurido anal, ataques 
epileptiformes, etc. 
 
CISTICERCOSE HUMANA 
 Neurocisticercose, Cisticercose muscular e 
Cisticercose ocular 
 As alterações da cisticercose tem inicio com a 
fixação da larva no tecido, se desenvolvendo dois 
processos distintos: 
 
 \uf086Uma ação mecânica (Deslocamento ou 
compressão dos tecidos) 
 
 
 \uf086 Uma ação inflamatória 
 
 CISTICERCOSE HUMANA 
 Ingestão de ovos T. solium 
 ovo larva 
HOMEM: Hospedeiro intermediário (abriga as larvas) 
* Cisticercose (T. solium) 
 Mecanismo de transmissão 
 - Heteroinfecção 
- Auto-infecção externa 
- Auto-infecção interna 
Cisticercose Ocular 
* Deslocamento da retina 
* Perfuração da retina e invasão do vítreo 
* Complicações acarretando a catarata 
Cisticercose Muscular 
 NEUROCISTICERCOSE: 
 
 
 Cefaléia intensa (hipertenção endocraniana), 
 crises convulsivas epilépticas, pertubações 
 mentais, paralisias, etc. 
Neurocisticercose 
Vesícula ~ 15 mm X 8mm 
Crises convulsivas, epilépticas, pertubações mentais, paralisias. 
NEUROCISTICERCOSE: 
 
Instalação da larva \uf022processo inflamatório \uf022morte do 
cisticerco (3 a 6 meses após a infecção) \uf022 cisticerco 
é totalmente absorvido (ficando no local apenas um 
nódulo cicatricial) ou calcificação do cisticerco 
(permanecendo por longos anos) \uf022 a reação em torno 
dos cisticercos pode provocar disturbios circulatórios 
graves, como redução do fluxo sanguíneo e 
periarterites. 
0,5 \u2013 1,0 cm diâmetro 
Cisticercose - bovinos e suínos 
Prejuízo na produção de carne 
\uf024 
animal infectado 
\uf024 
condenado e excluído a fim de evitar consumo humano 
2 BILHÕES DE DÓLARES ANUAIS 
Prejuízo na produção de carne 
Diagnóstico 
CLÍNICO \uf0de Difícil de ser feito 
LABORATORIAL 
PARASITOLÓG ICO 
 \uf0e0 Pesquisa de proglotes - Tamização 
 \uf0e0 Parasitológico de fezes - Willis, Faust, 
Hoffmann 
 \uf0e0 Anal-Swab (fita gomada) 
Diagnóstico 
 CISTICERCOSE 
 IMUNOLÓGICO (Soro, líquido cefalorraquidiano e humor 
aquoso \u2013 olho) 
 
 Exames de imagem \uf0e0 Raio X, Ultra-sonografia, 
Ressonância magnética, Tomografia computadorizada. 
 
 
 2 gramas, para adultos, e 1 a 2 gramas, para crianças dose única, 
em jejum. 
 
 EFEITOS COLARERAIS \uf061 Cefaléia, dor de estômago, 
náuseas e tonteiras, porém de pouca duração. 
 
 
Tratamento 
 1-Niclosamida (Cestocid, Devermin, Mansonil, Vermetin) 
MODO DE AÇÃO 
 
Inibe a fosforilação oxidativa nas mitocôndias dos cestoides 
\uf024 
Indução de paralisia muscular 
\uf024 
Desprendimento do escólex 
Tratamento 
\u2022 PRAZIQUANTEL 
 \uf086 5 a 15 mg/kg de peso corporal. 
 
 \uf086 MODO DE AÇÃO: permeabilidade da membrana ao cálcio, 
causando contrações e paralisia da musculatura dos parasitas. 
(Cisticid, Biltricid ) 
Alteração no fluxo de Ca 2+ 
 
\uf024 
contração muscular espástica 
3- Mebendazol 
4-Semente de Abóbora - Cucurbitacinas 
Adulto: 400 a 700 g semente de abóbora 
Criança: 200 a 400g 
Triturar sementes e ingerir com mel ou xarope de frutas 
MORTE POR INANIÇÃO 
Tratamento 
 
Teníase 
 
\u2022 Mebendazol: 200mg, 2 vezes