Howard S. Becker   Métodos de pesquisa em Ciências Sociais
180 pág.

Howard S. Becker Métodos de pesquisa em Ciências Sociais


DisciplinaSociologia33.260 materiais1.173.024 seguidores
Pré-visualização50 páginas
CIÊNCIAS SOCIAIS 
Tf'rUI.OS EM CATÁI,OGO 
Sobre o Modo Capitalista de Pensar, José de Souza Martins (4.8 ed.) 
Colono!! do Vinho, José Vicente Tavares dos Sanl.os (2.8 ed.) 
O Estado e a Burocratização do Sindicato no Brasil, Heloísa Helena Teixeira de 
Souza Martins (2.8 ed.) 
Expropriação e Violência, .José de Souza Martins (3.8 ed., aumentada) 
Á Participação Social dos Excluído.\u2022, Marialice Mencarini Foracchi 
A Morte e os Mortos na Sociedade Brasileira, Josó de Souza Martins (org.) 
Samba Negro, Espoliação Branca, Ana Maria Rodrigues 
Formação Industrial do Brasil e Outros Estudos, José Carlos Pereira 
Mão-de-Obra e Condições de Trabalho na Indústria Automobilística Brasileira, 
José Sérgio R. C. Gonçalves 
O Cativeiro da Terra, José de Souza Martins (5.8 cd.) 
Os 45 Cavaleiros Húngaros, Oliveiros S. Ferreira 
Antropologia Cultural e Análise oo. Cultura Subalterna, Luigi I.ombardi Satriani 
As Lendas da Criação e LJestruü;ão do Mundo como Fundomentos da Religião 
dos Apapocútla·Guarant, Curt Nimuendaju UDk.el 
Educação e Fecundidade, Maria lrene Szmrecsányi 
As Metamorfose., elo Escravo, Octavio lanr.i (2.a ed.) 
Com a Palavra o Senhor Presidente José Sarney (ou como Entender os Moondros 
oo. /,ir~guagem oo Poder), Celi Regina Jardim Pinto 
O Antigo Regime e a Reuolução, Alexis de Tocqueville (3.8 ed.) 
Caminhada no Chão ela Noite, .Josó de Souza Martins 
A OrganizaçiW Social dos 1'upinombá, Fkrcstan Fernandes (2.8 ed.) 
Classes e Movimento.\u2022 Sociais na América Latina, Sônia Larangeira (org.) 
A Refeição das Almas (uma Interpretação Etnológica do Funeral dos lndios Bororo 
- Mato Grosso), Renate Hrigitte Viertlcr 
Refazemln a Fábrica /<'ordista, Elizabcth Bortolaia Silva 
Os Candomblés de São Paulo, Reginaldo Prandi 
MÉTODOS DE PESQUISA 
EM CIÊNCIAS SOCIAIS 
HOWARD S. BECKER 
MÉTODOS DE PESQUISA 
EM CIÊNCIAS SOCIAIS 
TKADUÇÃO 
MARCO ESTEVÃO 
RENATO AGUIAR 
REVISÃO TÉCNICA 
MÁRCIA ARIEIRA 
EDITORA HUCITEC 
São Paulo, 1993 
© Copyright 1992, by Howard S. Becker. Direitos de publicação em língua 
portuguesa, e da presente tradução, reservados pela Editora de Humanismo, 
Ciência e Tecnologia HUCITEC Ltda., Rua Gil Eanes, 713- 04601-042 São 
Paulo, Brasil. Telefones: (011)530-9208 e 543-0653. Fac-símile: (011)535-
4187. 
ISBN 85.271.0222.6 
Foi feito o depósito legal. 
Apresentação 
A obra de Howard S. Becker já é parcialmente conhecida 
do público brasileiro através de publicação de alguns artigos e 
do livro Uma Teoria de Ação Co1etiva (Zahar, 1977). Por outro 
lado, visitou o Brasil por três ocasiões nos últimos quinze anos, 
dando cursos, proferindo conferências e estabelecendo contatos 
com a comunidade científica nacional. Recentemente, depois de 
lecionar por muito tempo no Departamento de Sociologia da 
Northwestern Uniuersity, em Euanston, lllinois, transferiu-se para 
a Universidade de Washington em Seattle, onde prossegue suas 
atividade.'l docentes e de pesquisa. 
Sua produção intelectual é vasta e variada versando sobre te-
mas como educação, desvio, ocupações, metodologia e sociologia 
da arte etc. Em todas essas áreas contribuiu com originalidade, 
inovando com dados e reflexões que destacam o seu espírito critico 
e iconoclasta, embora sempre ucool&quot; como um bom músico de jazz 
que sempre foi. 
Apesar de manter uma reserva em relação ao que considera 
excessos teorizantes, preocupação que costuma manifestar por e.'l-
crito e em outras manifestações públicas, tem sido uma referência 
permanente para boa parte dos sociólogos e cientistas sociais nor-
te-americanos em geral. 
Becker acredita que sua influência se deve mais ao fato de ter 
produzido trabalhos que serviram de modelo de pesquisa e de 
apresentação, do que propriamente a um discurso teórico que não 
valoriza particularmente. 
De qualquer forma, temos aqui graças à iniciativa da Hucitec, 
s 
6 APRESENTAÇÃO 
a oportunidade de conhecer melhor uma das rrwi.~ importante.<; 
obras de ciência social do pós-guerra. O estilo nwdesto e sóbrio 
só faz ressaltar a qualidade e precisão das idéias e a clareza do 
raciocínio. 
Os profissionais e estudantes de Ciências Sociais e Humanas, 
neste difícil período da vida brasileira, poderão fruir bons mo-
mentos de uma saudável e honesta aventura intelectual. 
Gilberto Velho 
Rio de Janeiro 
maio de 1992 
Sumário 
Apresentação, Gilberto Velho. . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 5 
Introdução: 
Capítulo 1: 
Capítulo 2: 
Capítulo 3: 
Capítulo 4: 
Capítulo 5: 
Capítulo 6: 
Capítulo 7: 
Métodos de Pesquisa ................... . 
Sobre Metodologia ..................... . 
Problemas de Inferência e Prova na 
Observação Participante ................ . 
Evidências de Trabalho de Campo ........ . 
A História de Vida e o Mosaico Científico .. . 
Observação Social e Estudos de Caso Sociais 
Falando Sobre a Sociedade .............. . 
Estudo de Praticantes de Crimes e Delitos .. 
9 
17 
47 
65 
101 
117 
135 
153 
Obs: Os capítulos 1 a 5 foram extraídos do livro Sociological Work: Metlwd 
and Substance; os capítulos 6 e 7 do livro Doing Things Together. 
I\ I . i~ 
INTRODUÇÃO 
Métodos de Pesquisa 
Este volume contém ensaios que escrevi sobre o tema 
dos métodos de pesquisa em sociologia. Cada um deles se desen-
volveu a partir da reflexão sobre as técnicas que eu havia utilizado 
em trabalhos de pesquisa e, deste modo, refletem minha visão 
geral de que a metodologia é assunto de todos os cientistas sociais, 
em vez de ser uma área especial de conhecimento esotérico do-
minada somente por poucos especialistas. 
O Brasil dispõe de uma comunidade de cientistas sociais plena-
mente atualizada teórica e metodologicamente, e plenamente inte-
grada no diálogo mundial sobre os problemas destas áreas. Porém, 
há o outro lado da moeda, pois, no meu entender, a prática mundial 
tem algumas falhas graves. Talvez a publicação destes ensaios con-
tribua modestamente para que cientistas sociais, pesquisadores e 
também estudantes brasileiros evitem as armadilhas mais comuns. 
Houve um tempo em que a teoria da sociedade e os métodos 
para estudar a sociedade eram atribuição de qualquer cientista 
social. As pessoas que elaboravam as idéias sobre como funcionam 
as sociedades - inclusive teóricos sociais tais como Karl Marx, 
Max Weber e Émile Durkheim - também realizavam pesquisas 
que utilizavam estas idéias como fonte de questões a serem in-
vestigadas e de hipóteses a serem testadas. Marx e seu colega 
Engels investigaram as condições de vida da classe trabalhadora. 
Weber fez investigações históricas monumentais sobre as orga-
nizações e os sistemas religiosos, mas também realizou estudos 
empíricos sobre as organizações sociais contemporâneas. Nenhum 
destes cientistas sociais se considerava um &quot;teórico\u2022\u2022. 
9 
10 MÉTODOS In~ PESQUISA 
Durkheim, mais do que os outros, também inventou maneiras 
de estudar as questões que suas teorias levantavam. Seu estudo 
sobre o suicídio foi pioneiro na utilização de dados estatísticos 
oficialmente coletados para o estudo de questões sociológicas. Ele 
é responsável por um certo número de métodos de teste de hipó-
teses de base teórica, através da comparação das taxas de inci-
dência de um fenômeno em diferentes grupos com atributos so-
ciais diferentes. A idéia de um &quot;metodológico&quot; ainda não tinha 
sido inventada na época de Durkheim; se tivesse sido, Durkheim 
teria sido um. 
Há pouco tempo atrás, ainda era comum para sociólogos -
Marx, Durkheim, Weber e milhares de prestadores de serviço que 
alimentaram com artigos o número crescente de publicações de 
ciências sociais - desenvolverem sua teorização própria e seu 
pensamento próprio sobre métodos de pesquisa. Mas, a partir da 
década de trinta, tornou-se cada vez mais comum para os soció-
logos especializarem-se exclusivamente