A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
13 pág.
RELATÓRIO DA PRÁTICA DE TIPAGEM SANGUÍNEA   RAFAELA PEIXOTO, RAFAELA SIMÕES E RAPHAELA DALTRO

Pré-visualização | Página 2 de 2

Simões. Como podemos observar na Figura 2, houve aglutinação apenas na amostra 
com o Anti-D (Rh), logo, concluímos que o sangue da mesma é O+. Já na Figura 3, 
observa-se que não houve aglutinação em nenhuma das amostras, logo, conclui-se 
que o sangue da mesma é O-. 
 
 
 
Figura 2 Reação dos antissoros no sangue da aluna Raphaela Daltro 
Figura 3 Reação dos antissoros no sangue da aluna Rafaela Simões 
5. DISCUSSÃO 
5.1 Quais os genótipos possíveis para o grupo sanguíneo ABO e para o sistema 
Rh? Quais seus respectivos fenótipos? 
Os possíveis genótipos para o grupo ABO e para o sistema Rh, assim como seus 
respectivos fenótipos são: 
 Grupo ABO 
Os genótipos i + IA ou IA + IA estão atribuídos ao fenótipo A. 
Os genótipos i + IB ou IB + IB estão atribuídos ao fenótipo B. 
Os genótipos: IA + IB estão atribuídos ao fenótipo AB. 
Os genótipos: i + i estão atribuídos ao fenótipo O. 
 Fator Rh 
Os genótipos RR e Rr estão atribuídos ao fenótipo Rh+. 
O genótipo rr está atribuído ao fenótipo Rh-. 
 
5.2 É possível afirmar que, reciprocamente, o alelo IA é codominante em relação 
ao alelo IB e que ambos se comportam como dominantes ao alelo i? Explique 
descrevendo o significado de ser dominante, codominante e recessivo. 
 Dominância é um tipo de interação de alelos de um mesmo gene, na qual 
o fenótipo de um de um alelo mascara o segundo alelo no mesmo locus. O alelo 
mascarado pelo alelo dominante é chamado de alelo recessivo. A codominância 
ocorre quando um indivíduo heterozigoto apresenta um fenótipo onde há a expressão 
simultânea de ambos os alelos. 
Três alelos situados num mesmo locus cromossômico condicionam o tipo 
sanguíneo em humanos: IA, IB e i. Consideramos os alelo IA e IB codominantes 
entre si pois a presença de um não afeta a expressão do outro. Mas, ambos são 
dominantes em relação a i, uma vez que estes podem mascarar suas características. 
 
5.3 Em transfusões sanguíneas um tipo sanguíneo é chamado de doador 
universal, e outro é chamado de receptor universal, devido as suas 
compatibilidades no sistema ABO. Quais são seus genótipos e fenótipos? 
O sangue tipo O- é considerado doador universal, pois é compatível para doar a 
todos os tipos sanguíneos e o tipo AB+ é chamado de receptor universal pois recebe 
qualquer tipo de sangue. 
O sangue de fenótipo O- possui genótipo ii para o grupo ABO e considerando o 
fator Rh, tem o seu genótipo rr e fenótipo Rh-. Já o sangue de fenótipo AB+ possui 
genótipo IA + IB para o grupo ABO, sendo seu fator Rh de genótipo RR ou Rr e o seu 
fenótipo Rh-. 
 
5.4 Você poderia ser doador da sua dupla? Explique. 
A aluna Rafaela Peixoto, de sangue A+, não poderia doar para as alunas Rafaela 
Simões de sangue O- e Raphaela Daltro de O+, uma vez que o grupo O só recebe 
doções do grupo O. 
Por ter sangue O-, Simões é considerada doadora universal, logo, poderia doar 
para Raphaela e para Peixoto. 
Raphaela, de sangue O+, pode doar para todos os grupos de Rh+, logo, poderia 
doar para Peixoto. Mas, não poderia doar para Simões, pois apesar da mesma ter 
sangue O, o seu fator Rh é negativo. Quando o receptor tem Rh-, ele só pode receber 
transfusões de sangue Rh-. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
6. CONCLUSÃO 
Diante dos resultados obtidos – nos quais conseguimos identificar os tipos 
sanguíneos das alunas voluntárias – pode-se concluir que o objetivo principal deste 
trabalho foi alcançado. 
É necessário frisar que esta aula prática foi de suma importância para melhor 
entendimento sobre o assunto de Grupos Sanguíneos, uma vez que a aplicação do 
mesmo em laboratório foi realizando. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
7. REFERÊNCIAS 
 http://www.scielo.br/pdf/rbhh/v25n1/v25n1a08.pdf Acessado pela última 
vez no dia 06 de março de 2019. 
 https://www.mdsaude.com/2017/01/tipos-sanguineos-sistema-abo.html 
Acessado pela última vez no dia 06 de março de 2019. 
 http://www.abfhib.org/FHB/FHB-02/FHB-v02-06-Caroline-Batistete-et-
al.pdf Acessado pela última vez no dia 06 de março de 2019. 
 http://www.laboratoriopioledo.pt/artigos/index.php?action=getAnexo&id
=1&ficheiro=1 Acessado pela última vez no dia 06 de março de 2019.