A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
2 pág.
Processo Civil III - Caso concreto semana 06

Pré-visualização | Página 1 de 1

Aluna: Viviane do Amaral Pereira Teixeira 
Matrícula: 20150462311-8 
Curso: Direito 
 
Direito Processual Civil III 
 
Semana 6 
 
 
Caso concreto: Marcia ingressou com uma ação de revisão de cláusulas contratuais em face da Editora 
Encanto no I Juizado Especial da Comarca de Salvador. Após a realização da audiência de instrução e 
julgamento o juiz proferiu sentença julgando procedente o pedido da autora. A ré opôs embargos de 
declaração, sob o argumento de que houve erro material e omissão no julgado, no prazo legal, sendo 
este rejeitado pelo julgador. Após a publicação da decisão que julgou os embargos a empresa 
embargante interpôs recurso inominado no prazo de 10 dias. O recurso foi inadmitido pelo juiz por 
intempestividade, considerando a regra disposta no art. 50 da Lei nº 9.099/95. Agiu adequadamente o 
juiz? 
Resposta: O NCPC alinhou a interrupção também para os juizados especiais cíveis, conforme a regra 
do artigo 1.065, com isso a parte ainda está no prazo para propor o recurso. 
 
Questão objetiva: 1. Sobre os embargos de declaração, é INCORRETO afirmar que (Técnico 
Judiciário do TJ/RJ – Prova 1 – Concurso 2014): 
a) têm por finalidade primordial o aclaramento ou a integração da decisão judicial. 
b) devem ser interpostos no prazo de cinco dias. 
c) suspendem o prazo para a interposição de outro recurso, por qualquer das partes. 
d) podem dar azo à aplicação de multa, caso o órgão jurisdicional os reconheça como manifestamente 
protelatórios. 
e) não estão sujeitos a preparo. 
 
Questão objetiva: 2. O TRF da 2a Região denegou a ordem de segurança pleiteada em processo de 
sua competência originária. Nesse caso, qual seria o recurso cabível contra tal decisão? 
a) Recurso Extraordinário ao STF, se a decisão contrariar dispositivo constitucional. 
b) Recurso Especial ao STJ, se a decisão contrariar lei federal. 
c) Recurso Ordinário ao STJ, se a decisão contrariar lei federal. 
d) Recurso Ordinário ao STF, independentemente do conteúdo da decisão. 
e) Recurso Ordinário ao STJ, independentemente do conteúdo da decisão.