A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
7 pág.
pratica de circuito eletrico 1

Pré-visualização | Página 1 de 1

INSTITUTO FEDERAL DE
EDUCAÇÃO, CIÊNCIA E TECNOLOGIA DA BAHIA.
ENGENHARIA ELÉTRICA
CIRCUITO ELÉTRICO I
LEIS DE KIRCHHOFF E DIVISORES DE TENSÃO E CORRENTE
Talita Rafaele Ferino Silva
Orientador: Prof. Fem. Marley Tavares
Paulo Afonso-Ba
25 de Março de 2019
INTRODUÇÃO
No circuito elétrico as leis de Kirchoff são aplicadas, sejam elas em circuitos série ou paralelo.
A lei dos nós é utilizado é um ponto onde estão conectados três ou mais componentes chamados de ramos, nos pontos vai ter a soma de entrada das correntes que é igual à soma de saída. A lei das malhas é aplicada em um circuito fechado, que diz que a soma das tensões é igual a zero, é adotado um sentido de corrente, o mais indicado é o sentido horário para evitar erros com os sinais negativos.
OBJETIVOS
Este experimento tem como objetivo mostrar como funcionam as leis de Kirchhoff.
EXPERIMENTO, RESULTADO E DISCURSÃO
Foi feito uma montagem de circuito elétrico, no qual foi verificado a tensão, corrente e a resistência de cada ramo, segue a imagem do circuito abaixo:
Montagem do circuito da figura 2.
Após a montagem do circuito, foram recolhidas e anotadas todos os resultados.
Para a medição da tensão, foi utilizado uma escala de 20V no multímetro.
	Resistor
	1
	2
	3
	4
	Valor medido (Ω)
	675,8
	214,5
	1990,1
	557,8
	Tensão (V)
	6,118
	0,400
	3,640
	4,040
	Corrente (mA)
	8,958
	1,803
	1,803
	7,155
Tabela1: do circuito da figura 1
Os resistores 2 e 3 encontram-se em série, então a corrente vai ser igual, as que estão em paralelo, resistores 1 e 4 os seus valores irão variar, isso acontece porque os valores de resistências são diferentes.
Foi verificado a validade da lei de Kirchhoff nos resistores R1 e R4.
O valor final é válido para a lkt, que diz que a soma das tensões é igual a zero. Já para os resistores R1, R2 e R3, 
O resultado deu igual ao somatório das tensões 1 e 4, significa que também é valido o valor deu aproximadamente zero. Fazendo o mesmo com os resistores R2, R3 e R4, temos que:
Então lei de kirchhoff é válida para todas as tensões calculadas. Fazendo a mesma coisa, mas com análise dos nós com os resistores R1,R2 e R4, temos a seguinte equação:
O resultado mostra que a corrente que entra é igual a corrente que saí, é válida a lei de Kirchhoff.
Utilizando os valores nominais do resistores, foi possível descobrir as correntes de cada resistor, com o método da lei de kirchhoff das correntes.
Para malha 1:
Para malha 2:
Resolvendo o sistema com a regra de cramer:
E a tensão para cada resistor, pelo método anterior é:
Depois desse processo, foi feito outra montagem de circuito utilizando um potenciômetro.
Figura 1: montagem de um circuito com o potenciômetro
	Medidas
	1
	2
	3
	4
	Potenciômetro
	250,2
	505
	750
	1000
	I2
	11,83mA
	14,85mA
	16,11mA
	16,84mA
Quadro2: valores obtidos da figura 1
Grafico1: potenciômetro em função da corrente 2
REFERÊNCIAS 
https://www.passeidireto.com/arquivo/6010228/relatorio-4-divisor-de-tensao-e-divisor-de-corrente
https://www.passeidireto.com/arquivo/25175027/relatorio-de-aula-pratica-resistores-e-codigos-de-cores-ohmimetro-voltimetro-amperimetro-lei-de-ohm-e-potencia-eletrica
https://www.infoescola.com/eletricidade/leis-de-kirchhoff/
https://www.passeidireto.com/arquivo/23458912/relatorio-lei-de-kirchoff
http://engcomp.com.br/eletronica/eletricidade/leis-de-kirchhoff