A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
16 pág.
MÚSCULOS

Pré-visualização | Página 2 de 3

muscular é formada por quatro músculos pares: psoas maior, psoas menor, ilíaco e quadrado lombar.
Para se palpar o músculo é necessário colocar os dedos acima da crista ilíaca posterior, ao nível do quadril (anca).
Anatomia
Origem e inserção
Começa da crista ilíaca do ílio e cursa cranial e medialmente, para se inserir na décima segunda costela e nos processos transversos (apófises transversas) da primeira a quarta vértebras lombares. Todas as fibras juntas dão ao músculo uma aparência retangular.
Inervação
A inervação é fornecida pelo nervo subcostal e por ramos do plexo lombar.
Relações
O quadrado lombar preenche um grande espaço no interior do abdome (abdómen) e, portanto, está muito próximo de várias estruturas.
O cólon, os rins e o diafragma estão localizados ventralmente em relação ao músculo.
Os músculos intrínsecos do dorso encontram-se dorsal e medialmente.
Os nervos iliohipogástrico e ilioinguinal cursam na superfície ventral do quadrado lombar após deixarem o plexo lombar e continuam em direção aos músculos abdominais laterais.
Função
Essencialmente, o quadrado lombar contribui para a estabilização e movimentação da coluna e da pelve. Uma contração bilateral leva a uma extensão da coluna vertebral lombar. Quando o músculo é ativado somente em um dos lados, o tronco se dobra naquela direção (flexão lateral). Além disso, esse músculo fixa a décima segunda costela durante movimentos da caixa torácica, e dessa forma auxilia na expiração (músculo acessório da expiração).
DIAFRAGMA
O diafragma é o principal músculo da respiração. Ele é responsável por separar as cavidades torácica e abdominal.
O músculo diafragma é encontrado em todos os mamíferos e em algumas aves. Em humanos, o diafragma insere-se anteriormente no esterno e nas costelas e posteriormente na coluna.
O diafragma é um músculo estriado esquelético, em formato de cúpula. Podemos caracterizá-lo como o assoalho da cavidade torácica e o teto da cavidade abdominal.
Características e funções
Quando em estado de relaxamento, o diafragma possui formato de abóbada. Durante a inspiração, este músculo se contrai e ao distender-se aumenta a capacidade do tórax. Neste processo. o ar tende a entrar nos pulmões para compensar o vazio gerado. No momento em que este músculo entra em relaxamento, o ar acumulado é expulso.
 
Outra importante característica do diafragma é sua ajuda no processo de digestão dos alimentos. Ao contrair-se, o diafragma faz pressão sobre o abdômen. Os movimentos do diafragma também são importantes para: tosse, espirro, parto e no processo de defecação.
O diafragma e a respiração
O diafragma é o principal músculo que atua no processo da respiração pulmonar.
Durante a inspiração, o diafragma se contrai e desce. Com isso, reduz a pressão intratorácica e comprime as vísceras abdominais. Esse movimento facilita a entrada de ar nos pulmões.
Durante a expiração, ocorre o movimento inverso. O diafragma relaxa e sobe. Assim, aumenta a pressão intratorácica e expulsa o ar dos pulmões.
ESCALENO
Os músculos escalenos (do latim: “escada”) são três músculos cervicais pareados, correndo das vértebras cervicais para as duas costelas superiores.
Assim eles formam um teto sobre a pleura e o ápice torácico. 
Estes músculos levam à elevação da primeira ou segunda costelas e podem estar ativos durante a inspiração. 
A inervação é levada por ramos diretos dos plexos cervical e braquial (C3-6).
Anatomia
Músculo escaleno anterior
O músculo escaleno anterior corre do tubérculo anterior dos processos (apófises) transversos da terceira à sexta vértebras cervicais para a primeira costela.
Músculo escaleno médio
O músculo escaleno médio se origina no tubérculo posterior dos processos (apófises) transversos da terceira à sétima vértebras cervicais e se insere na primeira costela dorsal ao músculo escaleno anterior.
Músculo escaleno posterior
O músculo escaleno posterior possui sua origem no tubérculo posterior dos processos (apófises) transversos da quinta à sétima vértebras cervicais e sua inserção na segunda costela.
O triângulo entre o músculo escaleno anterior, o músculo escaleno médio e a primeira costela forma o triângulo interescaleno. A artéria subclávia e o plexo braquial passam através deste orifício. Já a veia subclávia corre ventralmente ao músculo escaleno anterior.
Função
Os músculos escalenos têm três funções principais:
Os músculos escalenos elevam as costelas, e consequentemente o tórax. Por essa razão, eles são também considerados como músculos acessórios da inspiração. 
Flexão lateral: uma contração unilateral dobra a coluna cervical para o lado. 
Flexão ventral: uma contração bilateral do músculo escaleno anterior causa a dobra da coluna cervical para a frente.
ILIOPSOAS
O músculo iliopsoas pertence aos músculos internos do quadril. Na verdade, é constituído de dois músculos distintos, os músculos ilíaco e psoas maior, que têm origens distintas no abdome mas depois se fundem e compartilham a mesma inserção na coxa.
Este músculo profundo é essencial para a manutenção da postura do corpo humano. Interessante é que quanto mais o músculo é treinado e fortalecido, mais fácil e mais rápido é o nascimento de um bebê durante o trabalho de parto. Logo, se alguém do gênero feminino estiver interessada no seu fortalecimento, recomenda-se a prática de abdominais, uma vez que o músculo age como um flexor.
Anatomia
Origem e inserção
O músculo iliopsoas pertence aos músculos internos do quadril. Ele compreende um complexo de dois músculos com diferentes áreas de origem:
Músculo psoas maior: se origina da primeira à quarta vértebras lombares, dos processos transversos de todas as vértebras lombares e da décima segunda vértebra torácica, e se insere no trocânter menor/pequeno trocanter do fêmur.
Músculo ilíaco: corre da fossa ilíaca para o trocânter menor/pequeno trocanter. 
Inervação
Esse músculo pertence à musculatura estriada e sua inervação é levada pelo nervo femoral, bem como ramos do plexo lombar.
Função
O músculo iliopsoas é o mais forte flexor da articulação do quadril/articulação coxo-femoral (importante músculo da deambulação). Na posição supina ele suporta decisivamente a retificação da porção superior do corpo (ex.: durante exercícios abdominais). Além disso, ele roda lateralmente a coxa. Uma contração unilateral leva a uma flexão lateral da coluna vertebral lombar. O iliopsoas possui ainda um papel significativo na movimentação e estabilização da pelve.
PIRIFORME
A síndrome do piriforme consiste em uma importante causa de dor na região glútea, devido a uma irritação causada no nervo ciático, decorrente do aumento de tensão ou espasmo do músculo piriforme.
O músculo piriforme trata-se de um músculo pequeno e profundo, que tem origem ao longo da superfície anterior do sacro, seguindo posterolateralmente pelo sulco isquiático, terminando no trocanter maior do fêmur. Possui função primária de rotação externa do quadril e abdução do mesmo. 
Causas:
As causas mais frequentes são:
Trauma direto nas nádegas;
Movimentos
Violento;
Má postura;
Mau apoio do pé no chão;
Cirurgia no organismo que provoca cicatrizes do tecido conjuntivo nessa área.
Sinais e sintomas:
A melhor forma de saber se a pessoa possui a síndrome do piriforme é fazendo um exame como ressonância magnética, tomografia ou ultrassom, por exemplo. No entanto, as características da dor ciática nas pessoas que possuem essa síndrome são mais caracterizadas por:
Dor em forma de pontada, facada, sensação de queimação ou de formigamento no glúteo ou atrás da coxa;
Pode haver dor na região lateral da perna e parte de cima do pé;
A dor piora ao ficar sentado e cruzar a perna;
A primeira crise pode surgir na gravidez, devido ao aumento da peso e tamanho da barriga;
É comum a pessoa andar mancando durante uma crise ciática;
Podem estar presentes sintomas como fraqueza da perna, e sensação de dormência na nádega ou na perna.
Como é feito o tratamento:
Fazer massagem