PETIÇÃO TRABALHISTA - PLANO DE AULA 3 - ESTÁCIO SIA - SUZANA

PETIÇÃO TRABALHISTA - PLANO DE AULA 3 - ESTÁCIO SIA - SUZANA


DisciplinaPrtica I4 materiais1 seguidores
Pré-visualização1 página
EXCELENTÍSSIMO SENHOR DOUTOR JUIZ DO TRABALHO DA ---- VARA DO 
TRABALHO DE NATAL/RN 
SUZANA, brasileira, solteira, doméstica, portadora da CTPS 
nº xxxxxx, portadora da carteira de identidade nº xxxxxx, inscrita no CPF/MF nº xxxxx, e-mail xxxxx, telefone xxxxxxx, cadastrada no PIS nº xxxxx, filha de (nome da mãe), nascida no dia xx/xx/xxxx, 
residente e domiciliada no endereço (endereço completo, rua/cep), vem por seu 
advogado (nome), com endereço xxxxxxxxx, e -m ail xxxxxx, 
em sede profissional, onde a partir de então recebe intimação e notifiação, propor a 
presente ação:
RECLAMAÇÃO TRABALHISTA
Pelo procedimento sumaríssimo, em face de FULANO MORAES, nacionalidade, estado civil, RG nº xxx, CPF nº xxxx, residente e domiciliado no endereço (endereço completo, rua/cep), pelos fatos e fundamentos a seguir apresentados:
I \u2013 DOS FATOS E FUNDAMENTOS
1 \u2013 DO CONTRATO DE TRABALHO 
A empregada foi admitida no dia 15/ 06/2015 , para trabalh ar como doméstica a 
título de experiência, por, 45 (quarenta e cinco) dias, na residência da família Morais 
em Natal/RN. 
Cumpria a jornada de segunda à sexta-feira , das 7:00h às 16:00h, com 30 
(trinta) minutos de intervalo intrajornadas . Foi dispensada em 15/09/2015, recebendo 
as verbas, férias proporcionais de 3/1 2 avos, acrescido do terço constitucional e de 
decimo terceiro salário proporcional 3/12 avos. 
2 \u2013 DO CONTRATO POR PRAZO INDETERMINADO
A reclamante foi contratada para trabalhar com o doméstica a título de 
experiência, por 45 (quarenta e cinco) dias, findo os quais nada foi tratado e foi 
dispensada em 15/09/2015, três meses depois . 
Deve-se considerar que o contrato de experiência não deve ultrapassar 90 
(noventa) dias. Porém caso este contrato seja pactuado por período menor, (que foi o 
caso da reclamante), e havendo continuidade do serviço, terão de ser prorrogados até 
completar 90 (noventa) dias. Como não houve nenhum a tratativa a este respeito, após 
os 45 (quarenta e cinco) dias, o contrato passou a vigorar tacitamente por tempo 
indeterminado, conforme assegura o Art. 5º, § 2º, da Lei Complementar 150 de 201 5. 
Neste contexto, a reclamante pleiteia que seu contrato de trabalho seja 
reconhecido, para todos os efeitos legais por prazo indeterminado, e que sua dispensa 
seja reputada sem justo motivo.
3 \u2013 DO INTERVALO INTRA JORNADA
A empregada laborava de segunda a sexta feira, das 7:00h às 16:00h, com 
trinta minutos para descanso e alimentação. Com o não foi acordado expressamente o 
intervalo intrajornada de 30 minutos, é obrigatório a concessão de no mínimo uma 
hora, disciplina o Art. 13, caput da Lei Complementar 150 de 2015.
4 \u2013 DO AVISO PRÉVIO
A empregada foi dispensada em 15/09/2015, sem o aviso prévio, tampouco 
recebeu a indenização correspondente entre as verbas rescisórias. 
Em razão de ser contrato de trabalho por prazo indeterminado, e de a 
em pregada ter sido dispensada sem justo motivo com menos de um ano de serviço, a 
mesma faz jus ao aviso prévio de 30 (trinta) dias, c om o alude o Art. 23, § 1º da Lei 
Complementar 150 de 2015. Na falta de tal aviso prévio por parte do em pregador, o 
empregado tem direito a indenização correspondente, c om reflexos nas férias e no 
terço constitucional, bem com o, no décimo terceiro salário de acordo c om o Art. 23, § 
3º do mesmo diploma legal.
5 \u2013 DAS FÉRIAS PROPORCIONAIS +1/3
6 \u2013 DO DÉCIMO TERCEIRO PROPORCIONAL 2/12
7\u2013 DO SERVIÇO DE VIAGEM
A empregada viajou com a família por 4 (quatro) dias a trabalhar com o babá, 
das 08:00h as 17:00h, c om um a hora de intervalo intrajornadas. A trabalhadora, por 
acompanhar o em pregador prestando serviços em viagem , faz jus ao recebimento de 
remuneração \u2013 hora de 25%, no mínimo, superior ao valor do salário \u2013 hora normal.
II \u2013 VERBAS RESCISÓRIAS
1) AVISO PRÉVIO:
1 ano = 30 dias;
2) SALDO DE SALÁRIO:
(15 dias do mês de setembro de 2016)
1.200/ 30d x 15 = 600 Reais.
3) FÉRIAS PROPORCIONAIS:
1.200/12 x 2 = 200 + 1/3 = 266,6
4) DÉCIMO TERCEIRO SALÁRIO:
2/12=200,00
1.200,00/12m x 2=200,00
5) AUXILIO ALIMENTAÇÃO:
25 x 1.200,00 x 4 
300 x 4 = 1.200,00 
6) VALE TRANSPORTE:
4 % DE 1.200,00= 48 x 4 = 192
7) HORAS EXTRAS
1.200,00/200h= 6 Reais + 50%
40hSem = 3 Reais
+ 9 Reais
8) ADICIONAL DE VIAGEM
25%
6 Reais + 1,50h = 7,50 x 4 = 30
III \u2013 DOS PEDIDOS
1) Que sejam procedentes os pedidos;
2) Que seja pago o Saldo de Salário no valor líquido de 600 reais pelos 15 dias trabalhados;
3) Que seja pago o valor de uma remuneração a título de aviso prévio de 30 dias. (1.200 R$)
4) Devolução do desconto de 25% do valor da alimentação e da diferença de 4% 
descontados a mais do seu salário durante todo período trabalha do ( R$ 192 R$)
5) Pagamento de um a hora extra diária durante o período trabalhado e por habitual, 
os reflexos sobres férias e o terço constitucional;
6) Pagamento de 25%, s obre as 32 horas trabalhadas no período de viagem a 
serviço ( R$ 30)
7) Pagamento de 25%, sobre as 32 horas trabalhadas no período de viagem a 
serviç o \u2013 R$ 
V \u2013 DAS PROVAS 
Requer provas o alegado por todos os meios de provas em direito admitidos , 
especialmente o depoimento pessoal do reclamado, que fica desde já, requerido bem 
como os de caráter documental, testemunhal, para elucidação dos fatos.
Dá-se valor da causa de 4.492,66 R$ ( quatro mil e quatrocentos de noventa e dois reais e sessenta e seis centavos.)
Nesses termos 
Pede-se deferimeto
Local e Data 
Advogado
OAB/UF