A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
30 pág.
DAS VÁRIAS ESPÉCIES DE CONTRATOS

Pré-visualização | Página 7 de 8

pelo juiz Legal: imposta pela lei (ex: tutor) III – Natureza Jurídica: Contrato acessório - segue sempre o principal (art. 824 do CC); - não pode ser de valor superior ao principal. Se for maior, reduz-se o seu montante até o valor da obrigação afiançada (art. 823 do CC); unilateral; - admite-se, mesmo contra a vontade do devedor (art. 820 do CC) - não é obrigado o credor aceitar se não for pessoa idônea (art. 825 do CC) - se o fiador se tornar insolvente ou incapaz, pode o credor exigir que seja substituído (art. 826 do CC) solene – - depende de forma escrita, prevista em lei (art. 819 do CC) gratuito (de regra) - inspirado no propósito de ajudar; - nada impede que o fiador exija remuneração (ex: fiança bancária) IV – Exceção da lei de bem de família.: Lei 8.009/90 – art. 3o. V – Dos Efeitos da Fiança: a) benefício de ordem: consiste na prerrogativa, conferida ao fiador, de exigir que os bens do devedor principal sejam excutidos antes dos seus. Tal idéia funda-se no postulado de que a fiança é obrigação subsidiária (salvo disposição em contrário – art. 828, II do CC) .
Observe-se que admite a lei a renuncia a esse direito. (art. 828, I, do CC) Para ser exercito, exige-se os requisitos do art. 827, caput e parágrafo único do CC. b) solidariedade dos co-fiadores: Se a fiança for prestada por dois ou mais fiadores, sem se especificar a parte da dívida que cada qual garante, determina a lei a sua solidariedade. (art. 829 do CC) VI – Obrigações Impostas e direitos deferidos ao fiador: A obrigação básica do fiador é pagar a dívida, a qual é transferida a seus herdeiros. (não pode ultrapassar as forças da herança) – art. 836 do CC. - sendo compelido a pagar a dívida, fica o fiador com direito de regresso contra o afiançado (art. 831 do CC), para dele reclamar não apenas a importância que desembolsou, como também todas as perdas e danos que houver pago e ainda os prejuízos que sofrer em razão da garantia prestada. (arts. 832 e 833 do CC) - vencida a dívida, pode o fiador exigir que o devedor satisfaça a obrigação para com o credor, ou de qualquer modo o exonere de sua responsabilidade. - confere a lei possibilidade ao fiador de promover o andamento da ação executiva iniciada contra o devedor, quando o credor, sem justa causa, suster tal andamento ou demorar em sua promoção (art. 834 do CC) - tem direito o fiador de exonerar-se da fiança assinada sem limitação de tempo. Observar que o art. 835 aduz a responsabilidade por mais 60 dias após notificação. VII – Da extinção da fiança: - extingue-se com o término do contrato principal; - moratória concedida ao devedor, sem o consentimento do fiador; (observar que moratória é a concessão expressa de prazo ao devedor e não a mera tolerância) – art. 838, I, do CC - ato do credor que torne impossível a sub-rogação do fiador em seus direitos e preferências; (ex: crédito garantido por penhor e fiança e o credor abre mão do penhor); - art. 838, II, do CC. - dação em pagamento, consentida pelo credor; (aceita a dação pelo credor, extingue a obrigação da fiança, ainda que haja evicção). – art. 838, III, do CC. - retardamento do credor na execução. (ex: fiador mostra bens do devedor que, com a demora da Outros Contratos: Contrato Estimatório
É o negócio jurídico em que alguém (consignatário) recebe do consignante, bens móveis, e está autorizado a vendê-los em seu próprio nome, onde se obriga a pagar um preço estimado previamente, se não reconstituir as coisas consignadas no prazo combinado (CC, art. 534).
Contrato de Doação
Conceito – é um contrato em que uma pessoa, por liberalidade, entrega ou transfere do seu patrimônio bens ou vantagens para o patrimônio de outra pessoa. Do conceito extrai-se que:
- tem natureza jurídica contratual, unilateral, pois se aperfeiçoa por meio da manifestação de vontade dos contratantes. - gratuito, salvo exceção da construção da creche por ex. - unilateral - Formal ou solene e consensual. Para a doação de bens imóveis a lei exige a escritura pública e o respectivo registro no cartório de registro imobiliário; a doação de bens móveis faz-se por instrumento público ou particular. Mas a doação de bens móveis de pequeno, faz-se de forma verbal (art. 541, par. único). - Aceitação do beneficiário. A aceitação pode ser: *Expressa. *Tácita. *Presumida. Art. 539 e art. 546 *Ficta. (consentimento para a doação ao incapaz, desde que doação pura)
Elementos da doação:
1. O animus donandi, ou seja, a intenção de praticar a liberalidade (elemento subjetivo). 2. A transferência de bens, acarretando a diminuição do patrimônio do doador (elemento objetivo). Objeto da doação. Como dispõe o art. 538, é objeto da doação à prestação de dar coisa ou vantagens. Prestação de Serviços
É o contrato cujo prestador se obriga com o tomador por certa prestação mediante remuneração; é bilateral, oneroso e consensual. Empreitada É o contrato onde o empreiteiro se obriga sem subordinação, ou dependência, ou seja, sem vinculo empregatício a realizar pessoalmente ou por terceiro uma obra para o contratante.
Comissão
É o contrato pelo qual uma pessoa (comissário) que vende ou compra bens em seu próprio nome e responsabilidade, por ordem do comitente por remuneração, gerando vínculo obrigacional para com terceiros contratantes.
Agência
É o contrato pelo qual uma pessoa se obriga para com a outra mediante retribuição, a realizar certos negócios em determinada zona, com caráter de habitualidade, em favor e por conta de outrem sem subordinação.
Distribuição
O fabricante vende ao distribuidor, para posterior revenda, o distribuidor age por conta própria, adquirindo o produto do fabricante para revende-lo no mercado consumidor, com exclusividade em certa zona, é bilateral, oneroso, comutativo e consensual.
Corretagem
É a convenção na qual uma pessoa, que não está ligada por mandato ou prestação de serviços, etc, se obriga mediante remuneração, a obter para outrem um ou mais negócios, conforme instrução recebida, ou a fornecer-lhe as informações necessárias para celebração de contrato.
Transporte
Contrato de transporte (CT) é aquele em que alguém se obriga, mediante retribuição, a transportar, de um lugar para outro, pessoas ou coisas (CC730). A relação de transporte pode apresentar-se como acessória de outro negócio jurídico, como a compra e venda, em que o vendedor se obriga a entregar a coisa no domicílio do comprador. Nesse caso, o primeiro não se qualifica como transportador, cuja obrigação é exclusivamente a de efetuar o translado de uma coisa ou pessoa, regendo-se a sua responsabilidade pelas normas que disciplinam a compra e venda.
Constituição de renda
É o contrato pelo qual uma pessoa se obriga a pagar outra, a título gratuito, uma prestação periódica (art. 803). Em sua modalidade onerosa, uma pessoa recebe de outra, certo capital, consistente em bens móveis ou imóveis, obrigando-se a pagar a esta ou a um terceiro, eleito beneficiário, uma prestação por determinado prazo (art. 804).
Contrato de Seguro
Contrato de seguro é aquele pelo qual uma das partes (segurador) se obriga para com a outra (segurado), mediante o pagamento de um prêmio, a indenizá-lo de prejuízo decorrente de riscos futuros, previstos no contrato (CC, art. 757).
Transação
É um negocio jurídico bilateral, pelo qual as partes interessadas, fazendo-se concessões mútuas, previnem ou extinguem obrigações litigiosas ou duvidosas.
Compromisso
Segundo Maria Helena Diniz “Um acordo bilateral em que as partes interessadas submeterem suas controvérsias jurídicas à decisão de árbitros, comprometendo-se a acatá-la, subtraindo a demanda da jurisdição da justiça comum.” (Diniz: 2011)
Contrato de Alienação Fiduciária em Garantia
Alienação fiduciária é a transferência da propriedade de um bem móvel ou imóvel do devedor ao credor para garantir o cumprimento de uma obrigação.
Leasing
O leasing é um contrato denominado na legislação brasileira como “arrendamento mercantil”. As partes desse contrato são denominadas “arrendador” e “arrendatário”, conforme sejam, de um lado, um banco ou sociedade