Material das aulas de anatomia e fisiologia

Material das aulas de anatomia e fisiologia


DisciplinaAnatomia e Fisiologia Humana278 materiais2.087 seguidores
Pré-visualização11 páginas
*referência = 104mmhg
\u2022 Sinais neurais das áreas cerebrais controladoras 
dos músculos.
FISIOLOGIA DOS DISTÚRBIOS 
RESPIRATÓRIOS
\uf0d8 Hipóxia: quer dizer baixo teor de oxigênio e pode ser 
causada por pressão parcial reduzida do oxigênio no 
ar; anormalidades pulmonares que diminuem a 
difusão de oxigênio para o sangue pulmonar; 
quantidade diminuída de hemoglobina no sangue, 
para o transporte de oxigênio para os tecidos; 
incapacidade cardíaca de bombear quantidades 
adequadas de sangue para os tecidos; e incapacidade 
dos tecidos em utilizar o oxigênio, mesmo que ele 
esteja disponível.
\uf0d8 Dispnéia: quer dizer \u201cfalta de ar\u201d, essa condição é 
resultado de excesso de gás carbônico no sangue, o que 
produz a sensação dispnéica. Entretanto, algumas 
pessoas podem apresentar a dispnéia psíquica, em 
decorrência de estado neurótico.
\uf0d8 Pneumonia: significa infecção dos pulmões. Isso 
faz com que os alvéolos fiquem cheios com o 
exsudato infeccioso, que impede a absorção do ar 
alveolar para o sangue pulmonar.
\uf0d8 Edema pulmonar: na maioria dos casos é 
causado por pressão capilar pulmonar muito 
elevada, resultante da insuficiência do ventrículo 
esquerdo. O líquido estravaza dos capilares para os 
tecidos e alvéolos pulmonares, bloqueando o 
transporte de oxigênio e gás carbônico através da 
membrana respiratória.
\uf0d8 Enfisema: na maioria dos casos ocorre devido ao 
fumo. Nessa condição, cerca de 4/5 das paredes 
alveolares podem estar destruídos, de modo que 
apenas 1/5 do tecido pulmonar fique funcionante.
Asma: resulta do espasmo dos bronquíolos terminais dos 
pulmões, que acontece em decorrência da estimulação 
alérgica do músculo liso bronquiolar.
\u2022FIM !
AULA 9 - SISTEMA DIGESTÓRIO E METABÓLICO.pdf
SISTEMA DIGESTÓRIO 
E METABÓLICO
Profª Julice Angélica Antoniazzo 
B. Gadani
Conceito
\u2022 É quando os alimentos ingeridos precisam ser 
tornados solúveis e sofrer modificações químicas 
para que sejam absorvidos e assimilados. Os 
órgãos que compõe o sistema digestório, são 
especialmente adaptados para que essas 
exigências sejam cumpridas, portanto, suas 
funções são as de preensão, mastigação, 
deglutição, digestão e absorção dos alimentos e a 
expulsão dos resíduos, eliminados sob a forma de 
fezes.
Divisão do Sist. Digestório
\u2022 Canal alimentar: É aberto nas suas duas 
extremidades (boca e ânus). Inicia-se na 
cavidade bucal, continuando-se na 
faringe, esôfago, estômago, intestinos 
(delgado e grosso), terminando no reto 
que se abre no meio externo através do 
ânus.
\u2022 Órgãos anexos: Glândulas salivares, 
fígado e pâncreas. 
Boca e cavidade bucal
\u2022 A boca é a primeira 
porção do canal 
alimentar. É limitada 
pelos lábios, palato, 
faringe bucal, bochechas 
e músculos do assoalho 
da boca. Encontra-se 
ainda nesta cavidade as 
gengivas, os dentes e a 
língua.
Cavidade bucal
Palato
\u2022 O teto da cavidade bucal esta 
constituído pelo palato e neste 
reconhecemos o palato duro 
(anterior \u2013 ósseo) e o palato 
mole (posterior-muscular). O 
palato separa a cavidade nasal 
da cavidade bucal. Do palato 
mole projeta-se uma saliência 
cônica, a úvula e, lateralmente 
duas pregas denominadas arco 
palatoglosso e arco 
palatofaríngeo. Entre estes 
arcos, situa-se as tonsilas 
palatinas (amígdalas).
Língua
\u2022 É um órgão muscular revestido 
por mucosa e que exerce 
importantes funções na 
mastigação, na deglutição, como 
órgão gustativo e na articulação 
da palavra. Na superfície 
mucosa encontra-se as papilas 
linguais, onde localizam-se 
receptores gustativos.
Glândulas salivares
\u2022 Glândula parótida: Esta situada lateralmente na face e 
anteriormente ao pavilhão do ouvido externo. Seu canal 
excretor, o ducto parotídico, abre-se no vestíbulo da boca 
(superior). 
\u2022 Glândula submandibular: Localiza-se anteriormente à 
parte mais inferior da parótida, protegida pelo o corpo da 
mandíbula. O ducto submandibular abre-se no assoalho 
da boca, abaixo da língua.
\u2022 Glândula sublingual: É a menor das três, situando-se 
lateral e inferiormente a língua. Sua secreção é lançada 
na cavidade bucal, sob a porção mais anterior da língua. 
Glândulas salivares
Faringe
\u2022 Localizada posteriormente à cavidade nasal, 
bucal e laríngica, constituída de músculo 
estriado.
\u2022 Na deglutição o palato mole é elevado, 
bloqueando a parte nasal da faringe e a 
cartilagem epiglótica abaixa fechando a 
entrada da laringe, evitando que o alimento 
penetre no trato respiratório.
Esôfago
\u2022 É um tubo muscular que continua a faringe e é 
continuado pelo estômago. Se divide em três 
porções: cervical, torácica e abdominal. No tórax, 
o esôfago situa-se anteriormente à coluna 
vertebral e posteriormente à traquéia, estando 
próximo da aorta. Para atingir o abdômen ele 
atravessa o diafragma e, quase imediatamente, 
desemboca no estômago. O diâmetro do esôfago 
aumenta durante a passagem do bolo alimentar, 
através dos movimentos peristálticos. 
Peritônio
\u2022 Os órgãos abdominais são revestidos por uma 
membrana serosa, o peritônio, que apresenta duas 
lâminas: Peritônio parietal (reveste as paredes da 
cavidade abdominal) e o peritônio visceral (envolve 
as vísceras). As duas lâminas são contínuas, 
permanecendo entre elas uma cavidade, chamada 
cavidade peritoneal, que contem pequena 
quantidade de liquido. Quando alguns órgãos 
situam-se na parede posterior do abdômen e atrás 
do peritônio são chamados vísceras retroperitoneais 
(rins, pâncreas, duodeno).
Peritônio
Estômago
\u2022 É uma dilatação do canal 
alimentar que continua o 
esôfago e é continuado pelo 
intestino. Está situado logo 
abaixo do diafragma, com 
sua maior porção à esquerda 
do plano mediano. Apresenta 
o óstio cárdico (orifício que se 
comunica com o esôfago) e o 
óstio pilórico (orifício que se 
comunica com a primeira 
porção do intestino \u2013 o 
duodeno
Partes do estômago
\u2022 Parte cárdica (cárdia):
corresponde à junção 
com o esôfago.
\u2022 Fundo: situado 
superiormente no 
órgão.
\u2022 Corpo: corresponde a 
maior parte do órgão.
\u2022 Parte pilórica: porção 
terminal, continuada 
pelo duodeno.
Intestino delgado
\u2022 Subdivide-se em três 
segmentos: duodeno, 
jejuno e íleo.
\u2022 é a parte fixa da intestino, 
apresenta a forma de um 
arco aberto para a 
esquerda, que abraça a 
cabeça do pâncreas. No 
duodeno desembocam os 
ductos colédoco (que traz a 
bile) e pancreático (que traz 
a secreção pancreática).
Intestino delgado
\u2022 O jejuno-íleo constitui a 
porção móvel do intestino 
delgado, terminando no início 
do intestino grosso, onde se 
abre pelo óstio íleo-cecal. O 
jejuno-íleo apresenta 
numerosas alças intestinais e 
são presas na parede 
abdominal por uma prega 
peritoneal ampla, chamada 
mesentério.
Intestino grosso
\u2022 Constitui a porção terminal 
do canal alimentar, sendo 
mais calibroso e mais curto 
que o intestino delgado. 
Distinguem-se também por 
apresentar: dilatações 
denominadas haustros; 
tênias, apêndice 
vermiforme e apêndices 
epiplóicos, que são 
acúmulos de gorduras 
salientes na serosa da 
víscera.
\u2022 Cécum: é o segmento inicial em fundo cego, que se continua no cólon