Material das aulas de anatomia e fisiologia

Material das aulas de anatomia e fisiologia


DisciplinaAnatomia e Fisiologia Humana270 materiais2.069 seguidores
Pré-visualização11 páginas
um tubo muscular que une o 
rim à bexiga.
\u2022 Ele parte da pelve renal, com trajeto 
descendente, coloca-se na parede posterior 
do abdômen e termina na bexiga, 
desembocando neste órgão pelo óstio
ureteral. 
\u2022 O tubo muscular é capaz de contrair-se e 
realizar movimentos peristálticos.
BEXIGA
\u2022 É uma bolsa situada posteriormente à sínfise 
púbica e que funciona como reservatório da 
urina. 
\u2022 O fluxo contínuo de urina que chega pelos 
ureteres é transformado, graças a ela, em 
emissão periódica (micção). 
\u2022 No sexo masculino, situa-se anteriormente ao 
reto e no sexo feminino, situa-se 
anteriormente ao útero.
URETRA \u2640 E \u2642
\u2022 Constitui o último segmento das vias 
urinárias e será descrita junto com o 
sistema genital.
\u2022 Estabelece a comunicação entre a bexiga 
urinária e o meio exterior. 
\u2022 No homem (20 cm) é uma via comum para 
a micção e a ejaculação, enquanto na 
mulher (3 cm), serve apenas para excreção 
da urina. 
A Função Renal e a Excreção da Urina
\uf097As principais funções dos rins são remover os 
produtos finais do metabolismo e controlar as 
concentrações da maior parte das substâncias 
iônicas no líquido extracelular, inclusive os íons 
sódio, potássio e hidrogênio. Portanto é 
responsável pela filtragem do sangue.
\uf097A unidade funcional do rim é o néfron. Nos 
dois rins de um ser humano, existe cerca de 2 
milhões de néfrons no parênquima renal. O 
néfron é dividido em duas partes 
funcionalmente distintas: o corpúsculo renal e 
o túbulo renal.
\u2022 O corpúsculo renal é formado pelo glomérulo 
(que é uma rede de capilar) e pela cápsula de 
Bowman (que envolve o glomérulo). O túbulo 
renal é dividido em: túbulo proximal, alça de 
Henle, túbulo distal e túbulo coletor.
\u2022 A pressão do sangue no interior do glomérulo 
é de 60 a 80 mmhg (valor bastante alto para 
pressão), o que faz com que grande 
quantidade de líquido (chamado filtrado 
glomerular) sejam filtradas para fora do 
capilar, sendo coletadas pela cápsula de 
Bowman. Nesse filtrado glomerular é 
encontrada a maioria dos produtos finais do 
metabolismo que devem ser eliminados dos 
líquidos orgânicos.
\u2022 O filtrado glomerular sai da cápsula de 
Bowman pelo sistema de túbulos renais, nesse 
momento, as partes desse filtrado que são 
necessárias ao organismo (nutrientes como a 
glicose e os aminoácidos, a água e a maior 
partes dos íons) são reabsorvidos pelos 
túbulos, voltando para os capilares 
peritubulares, situados em torno dos túbulos.
\u2022 Por outro lado, os produtos finais do 
metabolismo que não são reabsorvidos, são 
eliminados pela urina.
\u2022 Dessa forma, a teoria da função renal é a de 
filtrar grandes quantidades de líquido do 
plasma, reabsorvendo aqueles constituintes 
que são necessários, eliminando aqueles que 
não são necessários.
\u2022 Cerca de 180 litros de filtrado glomerular são 
formados a cada dia, mas apenas cerca de 1,5 
a 2 litros de urina são eliminados por dia. Esse 
pequeno volume é altamente concentrado 
pelos produtos finais do metabolismo, ou seja, 
contém uréia, ácido úrico, creatinina, fosfatos, 
sulfatos e excessos dos demais ácidos.
\u2022Fim!
AULA 11 - SISTEMA ENDÓCRINO.pdf
Anatomia e fisiologia do sistema 
endócrino
Profª Julice Angélica Antoniazzo
B. Gadani
Conceito
\u2022 As glândulas endócrinas secretam hormônio para o 
sangue circulante e esses hormônios, por sua vez, 
atuam sobre células \u2013alvo em muitos pontos do 
corpo.
\u2022 Existem oito glândulas endócrinas muito 
importantes e várias outras de menor importância.
\u2022 As mais importantes são: glândula hipófise, pineal, 
tireóide, paratireóides, supra-renais, ilhotas de 
Langerhans do pâncreas, ovários e testículos
Glândula Hipófise:
\u2022 É um corpo ovóide, cuja principal porção está 
situada na fossa hipofisária do osso esfenóide, 
onde geralmente, permanece após a remoção do 
cérebro. Faz parte do hipotálamo e está ligada ao 
cérebro pelo infundíbulo.
\u2022 É dividida em duas porções: uma anterior (adeno-
hipófise) e outra posterior (neuro-hipófise).
\u2022 Produz 6 hormônios pela
Adeno-hipófise e 2 pela 
Neuro-hipófise. 
\u2022 A secreção de todos os hormônios da hipófise 
anterior é controlada pelo hipotálamo. 
\u2022 Núcleos específicos do hipotálamo secretam 
fatores de liberação ou inibição, um de cada, para 
todos os hormônios da hipófise anterior. Esses 
fatores são secretados para o sangue dos capilares 
hipotalâmicos. Esse sangue é, então, conduzido 
para a glândula hipófise anterior por meio de 
veias.
\u2022 Os hormônios da adeno-hipófise são: 
somatotrófico (GH), adrenocorticotrófico (ACTH), 
tireotrófico (TSH), prolactina (lactagênio), 
folículo-estimulante (FSH) e luteinizante (LH) -
(gonadotróficos).
\u2022 O hormônio do crescimento (GH) exerce efeito 
generalizado sobre todas as células do corpo. 
Aumenta o transporte de aminoácidos para o 
interior celular, aumentando não só o número das 
células mas também suas dimensões, o que resulta 
em crescimento generalizado de todos os tecidos.
\u2022 O adrenocorticotrófico (ACTH): controla a 
atividade da glândula supra-renal;
\u2022 O tireotrófico (TSH): controla a atividade da 
glândula tireóide;
\u2022 Os gonadotróficos: controlam as atividades dos 
ovários e testículos;
\u2022 A prolactina:controla a fabricação do leite pelas 
glândulas mamárias.
\u2022 A glândula hipófise posterior 
(neurohipófise) secreta dois hormônios 
importantes: hormônio antidiurético ou 
vasopressina (ADH), que reduz o volume 
de água excretado nos rins com urina; e 
ocitocina, que promove a contração 
uterina, favorecendo a expulsão do feto 
durante o parto e a expulsão do leite.
Tireóide:
\u2022 Situa-se no plano mediano do pescoço, abraçando 
parte de traquéia e da laringe. Libera os seguintes 
hormônios:
\u2022 Triiodotironina (T3): regula a quantidade de iodo 
no organismo;
\u2022 Tiroxina (T4): regula a velocidade do metabolismo 
celular. O excesso da secreção causa o 
hipertireoidismo, a escassês da secreção causa o 
hipotireoidismo.
\u2022 Calcitonina: regula o nível de cálcio no sangue, 
retirando o excesso e depositando nos ossos.
Paratireóide:
\u2022 Estão situadas geralmente, na metade medial de cada 
lobo da glândula tireóide.
\u2022 Produz o paratormônio (HPT): Aumentam a 
concentração de íons cálcio no sangue.
\u2022 Aumenta a intensidade da absorção de cálcio pelo 
intestino.
\u2022 Estimula a reabsorção de cálcio pelos túbulos renais, 
o que reduz a perda de íons cálcio pela urina.
\u2022 Ativam grande número de células osteoclastos, que 
retiram íons cálcio do osso, liberando na corrente 
sanguínea esse íons.
Sempre que o cálcio sanguíneo cai abaixo do normal, 
exerce efeito direto sobre a glândula paratireóide, no 
sentido de aumentar sua secreção de paratormônio.
Supra-renal:
\u2022 São bilaterais, 
estando localizadas 
sobre o pólo superior 
dos rins onde podem 
ser facilmente 
visualizadas. Sua 
porção central é a 
medula e a periférica 
é o córtex.
Córtex da supra-renal
CORTISOL ALDOSTERONA
\u2022 O cortisol é chamado de 
glicocorticóide por atuar sobre 
o metabolismo da glicose no 
corpo. Também exerce efeitos 
potentes sobre o metabolismo 
das gorduras e das proteínas, 
de modo que se torna um 
hormônio metabólico geral. 
\u2022 Os dois efeitos metabólicos 
básicos do cortisol são: o de 
mobilizar a gordura e a 
proteína dos tecidos; o de 
utilizar essas substâncias para 
suprir a maior parte da energia 
necessária para o metabolismo 
corporal.
\u2022 A aldosterona é chamada de 
mineralocorticóide por alterar 
de modo específico, as 
concentrações de íons 
(minerais) no corpo.
\u2022 O efeito