Material das aulas de anatomia e fisiologia

Material das aulas de anatomia e fisiologia


DisciplinaAnatomia e Fisiologia Humana303 materiais2.164 seguidores
Pré-visualização11 páginas
ÓSSEA:
\uf0a2 O tecido ósseo é extremamente moldável, sendo 
capaz de remodelar sua estrutura em resposta 
das modificações a que está submetido. 
\uf0a2 A razão do remodelamento ósseo, é que o tecido 
enfraquece gradualmente, requerendo um ritmo 
de substituição diária, havendo um mecanismo 
regulador entre a quantidade de osso formada 
durante a remodelagem e a quantidade de osso 
antigo, perdida através da reabsorção.
REPARO DE FRATURAS:
\uf0a2 Ocorrem através do periósteo, cujas células 
osteogenitoras, invadem o local formando um 
colar em torno da fratura. Ocorre a diferenciação 
das células em osteoblastos, que iniciam a 
deposição de trabéculas ósseas.
PRÁTICA DE OSSOS:
OSSOS DO CRÂNIO:
COLUNA VERTEBRAL:
OSSOS DO TÓRAX:
MEMBRO SUPERIOR:
MEMBRO INFERIOR:
FIM !
AULA 3 - SISTEMA ARTICULAR.pdf
SISTEMA ARTICULAR -
JUNTURAS
Profª Julice Angélica Antoniazzo Gadani
Conceito:
\uf06e Empregamos o termo junturas ou 
articulação, para designar a conexão 
existente entre qualquer parte rígida do 
esqueleto, sejam ossos ou cartilagens. 
Permite o contato dos ossos e sua 
mobilidade.
Classificação das junturas:
\uf06e Embora apresentem variações, as junturas 
possuem certos aspectos estruturais e 
funcionais em comum que permitem 
classificá-las em três grandes grupos: 
fibrosas, cartilaginosas e sinoviais.
\uf06e O critério para essa divisão é o da natureza 
do elemento que se interpõe às peças que se 
articulam.
Junturas fibrosas:
\uf06e O elemento que se interpõe às peças que se 
articulam é o tecido conjuntivo fibroso. A 
grande maioria dessas junturas, apresenta-
se no crânio. Sua mobilidade é 
extremamente reduzida, embora esse tecido 
conjuntivo interposto confira certa 
elasticidade ao crânio. 
\uf06e Há dois tipos de junturas fibrosas: suturas e 
sindesmose.
\uf06e a) Suturas: são encontradas entre os ossos do 
crânio.
- suturas planas (união linear retilínea), ex: juntura 
entre os ossos nasais.
- suturas escamosas (união em bisel \u2013 cortada 
obliquamente), ex: juntura entre o parietal e o 
temporal.
- suturas serreadas (união em linha denteada), ex: 
juntura entre os parietais.
\uf06e OBS: a quantidade de tecido conjuntivo fibroso no 
recém nascido é muito maior, explicando a grande 
separação entre os ossos e uma maior mobilidade. É 
isto que permite uma redução bastante apreciável do 
volume da cabeça no momento do parto. Esse 
\u201ccavalgamento\u201d facilita a expulsão do feto para o 
meio exterior.
\uf06e Seria interessante lembrar, que na idade avançada
pode ocorrer ossificação do tecido interposto. 
A isto se dá o nome de sinostose.
Suturas:
\uf06e b) Sindesmoses: a 
nomenclatura 
anatômica só registra 
um exemplo: 
sindesmose tíbio-
fibular, se faz entre as 
extremidades distais da 
tíbia e da fíbula.
Junturas cartilaginosas:
\uf06e O tecido que se interpõe a essas junturas é o 
cartilaginoso. Há dois tipos de junturas 
cartilaginosas:
- Sincondroses: quando a cartilagem for 
hialina. Ex: sincondrose esfeno-occipital.
- Sínfises: quando a cartilagem for fibrosa. 
Ex: sínfise púbica.
\uf06e Em ambas a mobilidade é reduzida.
\uf06e OBS: O disco intervertebral é um disco de 
fibrocartilagem.
Junturas sinoviais:
\uf06e O elemento que se interpõe às peças que se 
articulam é um líquido denominado sinóvia ou líquido 
sinovial, para permitir um livre deslizamento de uma 
superfície contra a outra.
\uf06e Nas junturas sinoviais,o principal meio de união é 
representado pela cápsula articular (espécie de 
manguito que envolve a articulação prendendo-se 
nos ossos que se articulam).
\uf06e Dentro desta cápsula articular, existe a cavidade 
articular, que é um espaço onde se encontra o 
líquido sinovial, que é o lubrificante natural da juntura 
e permite o deslizamento com o mínimo atrito e 
desgaste.
Características da juntura sinovial:
\uf06e cápsula articular; 
\uf06e cavidade articular 
\uf06e líquido sinovial.
Superfícies articulares e seu 
revestimento:
\uf06e As superfícies articulares são revestidas em toda sua 
extensão por cartilagem hialina (cartilagem articular). 
Estas se apresentam lisas, polidas e de cor 
esbranquiçada e sua função está condicionada ao 
movimento. A redução da mobilidade na articulação 
pode levar à fibrose da cartilagem articular, com 
anquilose da juntura (perda da mobilidade). 
\uf06e A cartilagem articular não é vascularizada nem 
inervada, portanto, sua nutrição é precária, 
dificultando sua regeneração em caso de lesões.
Cápsula articular:
\uf06e É uma membrana conjuntiva que envolve a 
juntura sinovial como um manguito. Esta se 
apresenta com duas camadas: membrana 
fibrosa (externa) e membrana sinovial 
(interna).
\uf06e Membrana fibrosa: mais resistentes e 
podem estar reforçadas por feixes também 
fibrosos chamados ligamentos capsulares 
para aumentar sua resistência. 
Em algumas junturas sinoviais existem 
ligamentos independentes da cápsula 
articular, denominados extra-capsulares ou 
acessórios e em outras apresentam 
ligamentos intra-articulares, como o joelho, 
por exemplo.
Ligamentos e cápsula articular têm por 
finalidade manter a união dos ossos, impedir 
movimentos em planos indesejáveis e limitar 
a amplitude de movimentos considerados 
normais.
\uf06e Membrana sinovial: é abundantemente 
inervada e vascularizada, sendo encarregada 
da produção do líquido sinovial.
Discute-se se o líquido sinovial é uma 
verdadeira secreção ou um ultra filtrado do 
sangue, mas é certo que contém ácido 
hialurônico (que lhe confere a viscosidade 
necessária à sua função lubrificadora).
Discos e meniscos:
\uf06e São formações fibro-cartilagíneas e encontra-se 
intra-articulares em várias junturas sinoviais.
\uf06e Sua função ainda é discutida: serviriam para melhor 
adaptação das superfícies que se articulam 
(tornando-as congruentes) ou seriam destinadas a 
receber violentas pressões, agindo como 
amortecedores.
\uf06e Exemplo de disco intra-articular: articulações 
esterno-clavicular e têmporo-mandibular.
\uf06e Exemplo de menisco: articulação dos 
joelhos (possuem forma de meia lua). 
Principais movimentos realizados 
pelos segmentos do corpo:
\uf06e O movimento em uma articulação faz-se, 
obrigatoriamente, em torno de um eixo, 
denominado eixo de movimento, cuja direção 
é: ântero-posterior (ventral/dorsal), latero-
lateral e longitudinal (crânio-caudal).
\uf06e Os movimentos executados pelos segmentos 
do corpo recebem nomes específicos e aqui 
serão definidos apenas os mais importantes:
\uf0b7 Movimentos 
angulares: nestes 
movimentos, existe 
uma diminuição ou 
um aumento do 
ângulo, existente 
entre o segmento 
que se desloca e o 
que permanece fixo. 
Quando ocorre a 
diminuição do 
ângulo, realiza-se a 
flexão e quando 
aumenta o ângulo, 
realiza-se a 
extensão.
\uf06e Adução e abdução: são movimentos nos 
quais o segmento é deslocado 
respectivamente, em direção ao plano 
mediano ou em direção, isto é, afastando-se 
dele.
\uf06e OBS: Para os dedos prevalece o plano 
mediano do membro.
\uf06e Rotação: é o movimento em que o segmento 
gira em torno de um eixo longitudinal 
(vertical).
- rotação medial: quando a face anterior do 
membro gira