Material das aulas de anatomia e fisiologia

Material das aulas de anatomia e fisiologia


DisciplinaAnatomia e Fisiologia Humana280 materiais2.092 seguidores
Pré-visualização11 páginas
ANATOMIA FUNCIONAL E CONTRAÇÃO DO 
MÚSCULO
\uf097 Cada músculo esquelético é 
formado por milhares de fibras 
musculares esqueléticas paralelas.
\uf097 Cada fibra muscular, contém 
milhares de miofibrilas também 
dispostas paralelamente.
\uf097 Ao longo da extensão de cada 
miofibrila, existem milhares de 
filamentos moleculares, são os 
filamentos de actina e miosina, 
que se dispõe de forma alternada.
As extremidades dos filamentos de actina e de miosina 
sobrepõem-se umas às outras, em presença do íons cálcio, o 
que faz com que esses filamentos deslizem uns sobre os 
outros, representando o mecanismo de contração muscular.
\uf097 As miofibrilas são constituídas por unidades que se repetem ao longo 
do seu comprimento, denominadas sarcômeros.
\uf097 As faixas mais extremas e mais claras do sarcômero, chamadas banda 
I, contêm apenas filamentos de actina.
\uf097 Dentro da banda I, existe uma linha que se cora mais intensamente, 
denominada linha Z, que corresponde a várias uniões entre dois 
filamentos de actina.
\uf097 A faixa central, mais escura, corresponde a banda A, cujas 
extremidades são formadas por filamentos de actina e miosina 
sobrepostos.
\uf097 Dentro da banda A, existe uma região mediana mais clara, 
denominada banda H, que contém apenas miosina.
\uf097 Um sarcômero compreende o segmento entre duas linhas Z 
consecutivas e é a unidade contrátil da fibra muscular.
A QUÍMICA DA CONTRAÇÃO MUSCULAR
\uf097O impulso nervoso que chega à fibra muscular por 
um nervo propaga-se pela membrana das fibras 
musculares (sarcolema) e atinge o retículo 
sarcoplasmático, fazendo com que o cálcio ali 
armazenado, seja liberado no citoplasma. 
\uf097 Este cálcio permite que a actina se ligue à miosina, 
iniciando a contração muscular.
\uf097 Assim que cessa o estímulo, o cálcio é imediatamente 
rebombeado para o interior do retículo 
sarcoplasmático, o que faz cessar a contração.
Química da contração muscular
Contração do músculo liso:
\uf097 O músculo liso não é dividido em 
sarcômeros, portanto os 
filamentos de actina e miosina 
ficam misturados de modo não 
organizado.
\uf097 No momento do potencial de 
ação, o cálcio penetra na célula 
através da membrana da fibra 
muscular lisa e não é liberado no 
interior da fibra pelo retículo 
sarcoplasmático.
\uf097 A duração da contração do 
músculo liso, é 10 a 100 vezes 
maior que do músculo 
esquelético, porque o 
bombeamento do cálcio para fora 
da membrana da célula muscular 
lisa é muito lento. 
Principais músculos do corpo humano
\uf097FIM !
AULA 5 - ANATOMIA E FISIOLOGIA DO SISTEMA NERVOSO.pdf
P R O F ª J U L I C E A N G É L I C A A N T O N I A Z Z O B . 
G A D A N I
ANATOMIA E FISIOLOGIA DO 
SISTEMA NERVOSO
Conceito
\uf097 O Sistema nervoso controla e coordena as funções 
de todos os sistemas do organismo. Quando recebe 
estímulos aplicados à superfície do corpo é capaz 
de interpretá-los e desencadear respostas 
adequadas a estes estímulos. 
\uf097 Existem funções do Sistema Nervoso que 
dependem da vontade (caminhar \u2013 ato voluntário) 
e outras que independem da nossa vontade 
(secreção da saliva por ex.).
Divisão do Sistema Nervoso:
\uf097 Sistema nervoso central (SNC): é uma porção 
de recepção de estímulos de comando e 
desencadeadora de respostas. Está constituindo por 
estruturas que se localizam no crânio e coluna 
vertebral; são a medula espinhal e o encéfalo.
\uf097 Sistema nervoso periférico (SNP): está 
constituída pelas vias que se conduzem os estímulos 
ao SNC ou que levam até aos órgãos efetuadores, as 
ordens da porção central (SNC). São os nervos 
cranianos e espinhais, os gânglios e as terminações 
nervosas.
Meninges:
\uf097O encéfalo e a medula espinhal são 
envolvidos e protegidos por lâminas (ou 
membranas) de tecido conjuntivo 
chamadas, em conjunto, MENINGES.
\uf097Estas lâminas são, de fora para dentro: 
A dura máter, a aracnóide e a pia 
máter. 
Meninges
Vesículas primordiais Partes do SNC
Origem e desenvolvimento do SNC
Origem e desenvolvimento do SNC
\uf097 Para melhor compreender as partes que constituem 
o SNC é preciso partir de sua origem embriológica.
\uf097 O SNC origina-se do tubo neural que, na sua 
extremidade cranial, apresenta três dilatações 
denominadas vesículas primordiais;
\uf097 O restante do tubo é a medula espinhal primitiva;
\uf097 Destas transformações das vesículas primordiais 
origina-se as partes mais importantes do SNC: o 
cérebro, o cerebelo e o tronco encefálico 
(mesencéfalo, ponte e bulbo)
Ventrículos encefálicos
\uf097 Ventrículos laterais (direito e esquerdo);
\uf097 III Ventrículo;
\uf097 IV ventrículo.
Líquor:
\uf097 No espaço subaracnóide e nos ventrículos, circula 
um líquido de composição química pobre em 
proteínas, denominado líquido cérebro-espinhal ou 
líquor, sendo uma de suas mais importantes funções 
proteger o SNC, amortecendo choques. O mesmo é 
produzido em formações especiais chamados plexos 
corióides, situados no assoalho dos ventrículos 
laterais e no teto do III e IV ventrículos.
Disposição das substâncias branca e cinzenta 
no SNC:
\uf097 Em um corte no 
encéfalo ou na medula, 
pode-se ver áreas claras 
e escuras, que são 
respectivamente a 
substância branca (que 
é constituída de fibras 
nervosas mielínicas) e a 
substância cinzenta 
(constituída de corpos 
de neurônio). 
Neurônio:
TIPOS DE FIBRAS NERVOSAS: MIELÍNICAS E 
AMIELÍNICAS
\uf097 A fibra nervosa de mielina é envolvida pela 
membrana da célula de Schwann, que contém 
substância lipídica e funciona como isolante.
\uf097 A fibra nervosa amielínica não está envolvida por 
esse isolante.
\uf097 As fibras mielínicas transmitem os impulsos com 
mais rapidez e com menos uso de energia neural.
Sistema nervoso periférico:
\uf097 São as terminações nervosas, gânglios e nervos.
\uf097 As fibras nervosas são classificadas em: 
Motoras (eferentes) e Sensitivas (Aferentes). 
\uf097 As fibras motoras transmitem ordens 
originadas do SNC, por isso são eferentes. As 
fibras sensitivas transmitem impulsos que 
devem chegar ao SNC, por isso são aferentes.
Terminações nervosas:
\uf097Existe na extremidade da fibra motora 
e sensitiva. 
\uf097Nas fibras motoras, as terminações 
nervosas são as placas motoras. 
\uf097Nas fibras sensitivas, as terminações 
nervosas são estruturas especializadas 
para receber estímulos físicos ou 
químicos (calor, frio, pressão, tato, 
azedo, doce).
Gânglios:
\uf097 Quando há acúmulos de 
corpos celulares de 
neurônios dentro do 
SNC são denominados 
núcleos.
\uf097 Quando estes acúmulos 
ocorrem fora do SNC, 
eles são chamados 
gânglios e apresentam-
se geralmente como 
uma dilatação.
Nervos:
\uf097 Nervos cranianos: \uf097 Nervos espinhais:
SENSAÇÕES SOMESTÉSICAS:
\uf097 São aquelas que tem origem na superfície do corpo ou 
em suas estruturas profundas. Incluem sensações 
como o tato, a pressão, o calor, o frio, a dor e angulação 
das articulações.
\uf097 Os receptores sensoriais da dor, são terminações 
nervosas livres. 
\uf097 Outros receptores sensoriais são formados por uma 
ramificação nervosa encapsulada, como por exemplo o 
corpúsculo de Meissner, encontrados em grande 
número nas pontas dos dedos, que são extremamente 
sensíveis ao contato de formas, texturas e outras 
características dos objetos.
Trajeto das sensações somestésicas:
\uf097 Essas sensações vão pelos nervos espinhais até a 
medula espinhal, depois são transmitidas ao 
cérebro, numa região chamada tálamo,