A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
314 pág.
dd 5e livro do jogador fundo branco biblioteca c3a9lfica

Pré-visualização | Página 16 de 50

mas seu 
humano possui as seguintes características. 
Aumento no Valor de Habilidade. Todos os seus 
valores de habilidade aumentam em 1. 
Idade. Os humanos chegam à idade adulta no final da 
adolescência e vivem menos de um século. 
Tendência. Os humanos não possuem inclinação a 
nenhuma tendência em especial. Os melhores e os piores 
são encontrados entre eles. 
Tamanho. Os humanos variam muito em altura e 
peso, podem ter quase 1,50 metro ou mais de 1,80 metro. 
Independentemente da sua posição entre esses valores, o 
seu tamanho é Médio. 
Deslocamento. Seu deslocamento base de caminhada 
é 9 metros. 
Idiomas. Você pode falar, ler e escrever Comum e 
outro idioma adicional, à sua escolha. Os humanos 
normalmente aprendem os idiomas dos povos que 
convivem, incluindo dialetos obscuros. Eles gostam de 
rechear seu discurso com palavras emprestadas de outras 
línguas: xingamentos orcs, expressões musicais élficas, 
frases militares anãs e outros. 
TRAÇOS RACIAIS ALTERNATIVOS 
Se sua campanha usa as regras opcionais de talentos do capítulo 
6, seu Mestre pode permitir que você utilize os traços raciais 
alternativos que substituem as características Aumento no Valor 
de Habilidade e Perícias. 
Aumento no Valor de Habilidade. Dois valores de habilidade, 
à sua escolha, aumentam em 1. 
Perícia. Você ganha proficiência em uma perícia, à sua 
escolha. 
Talento. Você adquire um talento de sua escolha. 
32 
DRACONATO
SEU PAI FICOU NA PRIMEIRA DAS TRÊS ESCADAS QUE 
levavam ao portal, imóvel. As escamas de sua face tinha 
ficado pálidas ao redor das bordas, mas Clanless Mehen 
ainda aparentava ser capaz de derrubar um urso atroz 
apenas com suas mãos. Ela já não usava sua antiga 
armadura pesada, substituída por uma armadura de 
escamas de cor violeta com detalhes prateados brilhantes. 
Também havia um brasão no seu braço, a marca de uma 
casa estrangeira. A espada em suas costas era a mesma, 
aquela que ela carregava mesmo antes de ter encontrado 
os gêmeos, quando partiu, nos portões de Arush Vayem. 
Por toda sua vida, Farideh soube que decifrar as 
feições de seu pai era uma perícia que ela ainda tinha que 
aprender. Um humano que não conseguiria observar a 
mudança nos olhos dela, Havilar certamente veria apenas 
a indiferença de um dragão no rosto de Clanless Mehen. 
Mas a mudança das escamas, o arco de sua crista, o 
conjunto de seus olhos, o balbuciar de seus dentes – a face 
de seu pai dizia muito. 
Mas cada escama, dessa vez, parecia completamente 
imóvel – a indiferença de um dragão, mesmo para 
Farideh. 
–Erin M. Evans, O Adversário
Descendentes de dragões, como seus nomes 
demonstram, os draconatos andam orgulhosamente pelo 
mundo que os saúda com um temor incompreensível. 
Moldados por deuses dracônicos ou pelos próprios 
dragões, draconatos originalmente nasceram de ovos de 
dragão como uma raça única, combinando os melhores 
atributos de dragões e humanos. Alguns draconatos são 
servos fieis de dragões verdadeiros, outros formas as 
fileiras de soldados em grandes guerras e ainda existem 
os que encontram-se à toa, sem um objetivo claro na vida. 
ORGULHOSO PARENTESCO DRACÔNICO
Draconatos parecem muito com dragões que estão de pé 
em forma humanoide, apesar de não possuírem asas nem 
uma calda. O primeiro draconato possuía escamas de 
matizes brilhantes combinando com as cores do dragão de 
que descendia, mas gerações de misturas criaram uma 
aparência mais uniforme. Suas pequenas escamas finas, 
normalmente são de cor bronze ou latão, algumas vezes 
indo até tons de escarlate, ferrugem, ouro ou cobre-
esverdeado. Eles são altos e de constituição forte, muitas 
vezes medindo 1,95 metro de altura e pesando 150 kg ou 
mais. Suas mãos e pés são fortes, com três dedos de 
garras curvadas em cada mão. 
O sangue de um tipo particular de dragão corre 
fortemente nas veias de alguns clãs de draconatos. Esses 
draconatos muitas vezes ostentam escamas de cores mais 
similares ao seu dragão ancestral – vermelho, verde, azul 
ou branco brilhantes, preto lustroso ou ouro, prata, latão, 
cobre ou bronze metálico reluzente. 
33 
CLÃS AUTOSSUFICIENTES
Para qualquer draconato, o clã é mais importante que sua 
própria vida. Draconatos devem ter devoção e respeito 
pelo seu clã acima de tudo, até mesmo dos deuses. A 
conduta de cada draconato reflete na honra do seu clã, e 
trazer desonra para o clã pode resultar em expulsão e 
exílio. Cada draconato sabe da sua posição e deveres para 
com o clã e a honra requer manutenção dos laços da sua 
posição. 
Uma busca continua pelo aperfeiçoamento pessoal 
reflete na autossuficiência da raça como um todo. 
Draconatos valorizam a perícia e excelência em todos os 
ramos. Eles odeiam fracassar e eles se forças a realizar 
esforços extremos antes de desistir de algo. Um draconato 
tem na maestria de uma perícia em particular como um 
objetivo de vida. Membros de outras raças que partilham 
do mesmo comprometimento tem facilidade em adquirir o 
respeito de um draconato. 
Apesar de todos os draconatos procurarem ser 
autossuficientes, eles reconhecem que ajuda, algumas 
vezes é necessária em situações difíceis. Mas a melhor 
fonte quando ajuda é necessária é o clã e, quando um clã 
precisa de ajuda, eles buscam outros clãs de draconatos 
antes de procurarem ajuda de outras raças – ou até 
mesmo dos deuses. 
NOMES DRACONATOS 
Draconatos possuem um nome pessoal dado no seu 
nascimento, mas eles colocam o nome do seus clãs na 
frente como uma demonstração de honra. Um nome de 
infância ou apelido geralmente é usado entre os 
companheiros como um termo descritivo ou uma forma 
carinhosa. O nome deve recordar um evento ou centrar- 
se em um hábito. 
Nomes Masculinos: Arjhan, Balasar, Bharash, Donaar, 
Ghesh. Heskan, Kriv, Medrash, Mehen, Nadarr, 
Pandjed, Patrin, Rhogar, Shamash, Shedinn, Tarhun, 
Torinn 
Nomes Femininos: Akra, Biri, Daar, Farideh, Harann, 
Flavilar, Jheri, Kava, Korinn, Mishann, Nala, Perra, 
Raiann, Sora, Surina, Thava, Uadjit 
RAÇAS INCOMUNS 
Os draconatos e o resto das raças nesse capítulo são incomuns. 
Elas não existem em todos os mundos de D&D e, mesmo quando 
elas são encontradas, elas são menos difundidas que os anões, 
elfos, halflings e humanos. 
Nas cidades cosmopolitas do multiverso de D&D, a maioria 
das pessoas dificilmente olha duas vezes para o membro, até 
mesmo das raças mais exóticas. Mas as pequenas cidades e vilas 
que permeiam a zona rural são diferentes. O povo comum não 
está acostumado a ver membros dessas raças e eles reagem de 
acordo. 
Draconatos. É fácil presumir que um draconato é um 
monstro, principalmente se suas escamas possuírem uma herança 
cromática. A não ser que o draconato comece a cuspir fogo e 
causar destruição, no entanto, as pessoas tendem a reagir com 
cautela ao invés de com medo descontrolado. 
 Gnomos. Gnomos não aparentam ser uma ameaça e podem 
rapidamente derrubar quaisquer suspeitas com bom humor. O 
povo comum geralmente possui muita curiosidade a respeito dos 
gnomos, como se nunca tivessem visto um antes, mas eles 
dificilmente são hostis ou temidos. 
Meio-elfos. Apesar de muitas pessoas nunca terem visto um 
meio-elfo, praticamente todos conhecem sua existência. A 
chegada de forasteiro meio-elfo é seguida por fofocas por trás 
dele olhares curiosos em salões comuns, ao invés de qualquer 
confronto ou curiosidade perceptível. 
Meio-orcs. Normalmente é seguro presumir que um meio-orc 
agressivo e facilmente enfurecido, por isso as pessoas ficam 
preparadas quando existe qualquer meio-orc estranho por perto. 
Vendedores irão repentinamente esconder itens valiosos ou bens 
frágeis quando um meio-orc entrar, e as pessoas iram partir da