A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
96 pág.
AvaliaçãoUsoTecnologia

Pré-visualização | Página 14 de 17

foram localizados rapidamente e 
destacados em vistas tridimensionais pela ferreamenta, o que facilitou o entendimento dos 
problemas. A verificação entre os modelos estrutural e arquitetônico encontrou 10 conflitos, sendo 
que 8 deles, relativos a interferências entre vigas e janelas, foram identificados como conflitos 
graves. 
Com isso, tem-se a corroboração de que o uso de tecnologia BIM facilita o trabalho de previsão e 
compreensão de conflitos. Ainda, pôde-se perceber que a visualização tridimensional dos conflitos 
identificados em BIM colabora na decisão de soluções para os mesmos. Mesmo que não se execute 
um processo em que se obtenha o clash avoidance, conforme apresenta o BSI PAS 1192-3 (2013), 
executar a varredura de conflitos com o uso de BIM, somente após a elaboração dos projetos das 
diferentes disciplinas (clash detection), apresenta-se mais vantajoso em relação aos processos 
tradicionais de compatibilização de projetos. 
86 
 
 
 
 
A presente pesquisa foi realizada com base em projetos de uma obra pública. Sendo assim, tem-se 
mais um indício que o uso de BIM pode ajudar na fiscalização de obras públicas. É importante 
exigir que os projetos a serem utilizados em futuras licitações sejam elaborados em BIM. Seguindo 
essa linha de mudança, também é importante exigir que as empresas concorrentes de licitações 
tenham experiência em ferramentas BIM. Desta forma, uma parceria entre o contratante e o 
contratado poderia ser criada a fim de estabelecer o uso de BIM e as responsabilidades de cada 
parte envolvida. Neste sentido, as interferências poderiam ser detectadas antes do início da obra de 
forma rápida e eficiente e reuniões entre as partes envolvidas seriam realizadas a fim de adotar as 
melhores soluções. O contratado, portanto, não precisaria dedicar tanto tempo em problemas de 
incompatibilidade entre projetos; e o contratante, desta forma, teria maiores garantias de evitar 
problemas de atrasos da entrega da obra e de imprevistos orçamentários devido às interferências 
descobertas durante a execução da obra. 
 
87 
 
 
 
REFERÊNCIAS 
AKPONEWARE, Anderson O.; ADAMU, Zulfikar A. Clash Detection or Clash Avoidance? An 
Investigation into Coordination Problems in 3D BIM. Buildings 2017, 21 ago. 2017, 7(3), 75. 
Disponível em: < http://www.mdpi.com/2075-5309/7/3/75>. Acesso em: 08 mai. 2018. 
American Institute of Architects. E203-2013 Building Information Modeling and Digital 
Exhibit. American Institute of Architects, 2013a. Disponível em 
<http://www.aia.org/aiaucmp/groups/aia/documents/pdf/aiab099084.pdf>. Acesso em: 02 fev. 
2018. 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 15575-1: Edificações 
Habitacionais – Desempenho. Parte 1: Requisito gerais. Rio de Janeiro, p. 60. 2013. 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 6118: Projeto de estrutura de 
concreto – Procedimento. Rio de Janeiro, p. 238. 2014. 
ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE NORMAS TÉCNICAS. NBR 8160: Sistemas prediais de 
esgoto sanitário – Projeto e execução. Rio de Janeiro, p. 74. 1999. 
Australian Construction Industry Forum; Australasian Procurement and Construction Council. 
BIM Knowledge and Skills Framework: An Introduction. Strategic Forum for the Australasian 
Building and Construction Industry, Australia, mar. 2017. Disponível em: 
<http://www.apcc.gov.au/SiteAssets/SitePages/BIM%20Knowledge%20and%20Skills%20Frame
work/BIM%20Knowledge%20and%20Skills%20Framework_IntroductoryExplanation.pdf>. 
Acesso em 30 jan. 2018. 
Autodesk. Navisworks: Software de revisão de projetos para os profissionais de AEC. 
Disponível em: < https://www.autodesk.com.br/products/navisworks/overview>. Acesso em: 30 
jan. 2018. 
Autodesk. What does Revit do? Disponível em: <https://www.autodesk.com/products/revit-
family/overview#>. Acesso em: 30 jan. 2018. 
AZEVEDO, Orlando José Maravilha de. Metodologia BIM – Building Information Modeling 
na direção técnica de obras. 2009. 115p. Dissertação de Mestrado – Escola de Engenharia da 
Universidade do Minho, Guimarães, Portugal. 
88 
 
 
 
BARBOSA, Ana Cládia Monteiro. A Metodologia BIM 4D e BIM 5D aplicada a um caso 
prático: Construção de uma ETAR na Argélia. 2014. 156p. Dissertação de Mestrado – Instituto 
Superior em Engenharia do Porto, Porto, Portugal. 
BARONI, Larissa Leiros. As vantagens da plataforma BIM incluem todo o ciclo de vida do 
edifício, desde os estudos de viabilidade até a demolição. PINI Web, ed 208, jul. 2011. 
Disponível em <http://au17.pini.com.br/arquitetura-urbanismo/208/vale-a-pena-migrar-224372-
1.aspx>. Acesso em: 30 jan. 2018. 
BELK, Abram. BIM – Um Novo Paradigma: Vantagens, Desvantagens e Dificuldades. 
Disponível em: < http://www.tqs.com.br/suporte-e-servicos/biblioteca-digital-tqs/92-bim/242-
bim-um-novo-paradigma-vantagens-desvantagens-e-dificuldades-12o-enece>. Acesso em: 31 jan. 
2018. 
BIMForum. Level of Development Specification Guide Cover. 2016. Disponível em: 
<http://bimforum.org/wp-content/uploads/2016/07/LOD-COVER-2016-APR_Working_rev-
B.jpg>. Acesso em: 01 fev. 2018. 
BIMForum. Level of Development Specification Guide. 2017. Disponível em: 
<http://bimforum.org/lod/>. Acesso em: 01 fev. 2018. 
BRAGA, Paula Rodrigues. Levantamento de Quantitativos com o Uso da Tecnologia BIM. 
2015. 130p. Monografia – Universidade Federal da Bahia, Salvador. 
BRASIL. Decreto nº 9.377, de 17 de maio de 2018. Institui a Estratégia Nacional de Disseminação 
do Building Information Modelling. Diário Oficial da União, Brasília, 18 mai. 2018. Seção 1, p 3. 
BRASÍLIA. Câmara dos Deputados. Projeto de Lei PL 6619/2018. Dá nova redação ao § 1º do art. 
7º da Lei nº 8.666, de 21 de junho de 1993, para estabelecer a obrigatoriedade do sistema de 
modelagem da informação da construção, identificado pela sigla inglesa BIM – Building 
Information Model, na confecção de projetos executivos de obras e serviços de engenharia 
contratados pelos órgãos e entidades da administração pública, e dá outras providências. Disponível 
em: <http://www.camara.gov.br/proposicoesWeb/fichadetramitacao?idProposicao=2120016>. 
Acesso em: 03 jul. 2018 
89 
 
 
 
British Standards Institute. PAS 1192–2:2013 – Specification for information management for 
the capital/delivery phase of construction projects using building information modelling. BSI 
Standards Limited: Londres, Reino Unido. 2013. 
Câmara Brasileira da Indústria da Construção. 10 motivos para evoluir com o BIM. Brasília. 
2016. Disponível em: 
<http://cbic.org.br/arquivos/CBIC_Guia_10%20Motivos_para%20Evoluir_o_BIM.pdf>. Acesso 
em: 28 jan. 2018. 
Câmara Brasileira da Indústria da Construção. Coletânea Implementação do BIM Para 
Construtoras e Incorporadoras: Volume 1 – Fundamentos BIM. Brasília. 2016. Disponível 
em: < http://cbic.org.br/inovacao/2017/10/18/coletanea-bim/>. Acesso em: 28 jan. 2018. 
CAPIOTTI, Laura Jaskulski. Vantagem do Uso de Modelagem BIM 4D e 5D no Planejamento 
e Controle da Produção Aplicado ao Setor da Construção Civil. 2015. 76p. Trabalho de 
Conclusão de Curso – Universidade Federal de Santa Maria, Santa Maria. 
CICHINELLI, Giseli. BIM na baixa renda: A biblioteca BIM do Ministério do Desenvolvimento 
ainda é pouco usada no mercado; saiba como - e em quais casos - usá-la. 2012. Revista 
Construção Mercado. Disponível em: <http://construcaomercado17.pini.com.br/negocios-
incorporacao-construcao/126/bim-na-baixa-renda-a-biblioteca-bim-do-ministerio-282596-
1.aspx>. Acesso em 27 mai. 2018. 
COELHO, Karina Matias. A Implementação e o Uso da Modelagem da Informação da 
Construção em Empresas de Projeto de Arquitetura. 2017. 286p. Dissertação de Mestrado – 
Universidade de São Paulo, São Paulo. 
COMUNICA UFU. Inauguração do Centro Esportivo Universitário ocorre nesta terça. 2016. 
Disponível em: <http://www.comunica.ufu.br/noticia/2016/03/inauguracao-do-centro-
poliesportivo-universitario-ocorre-nesta-terca>. Acesso em: 28 mai. 2018. 
EADIE