A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
111 pág.
cp108992

Pré-visualização | Página 23 de 26

pelos projetos desenvolvidos em BIM e a 
sua influência positiva sobre os demais processos da construção. Com a cobrança 
maior por parte desses clientes, os escritórios não terão como evitar essa evolução. 
Nesse momento, acredita-se que as empresas que hoje estão se aventurando na 
implantação do BIM estarão a frente no mercado. 
Aliado a esses fatores, verifica-se que os softwares ainda estão sendo 
subutilizados, uma vez que poucas informações relativas a outros integrantes do 
processo e da cadeia produtiva estão sendo agregadas ao modelo. A tecnologia 
está sendo usada mais como ferramenta de desenho e como facilitadora do 
processo de projeto dentro do escritório de arquitetura, não atingindo diretamente 
outros processos ligados a produção do edifício. É preciso que haja maior 
participação de fornecedores e clientes no processo como um todo para que maiores 
vantagens sejam alcançadas com a tecnologia. Fica claro que a questão da 
integração dos projetos precisa avançar para que se garantam maiores lucros de 
tempo e ainda mais qualidade no projeto. 
5.1 SUGESTÕES DE TRABALHOS FUTUROS 
Espera-se que este trabalho incentive o desenvolvimento de novos estudos 
em busca de uma adaptação da tecnologia aos padrões nacionais, facilitando a 
expansão de sua utilização. 
Algumas sugestões para o desenvolvimento de trabalhos futuros: 
95 
1- Avaliar de que forma o uso do BIM pode influenciar efetivamente o produto 
final, o edifício construído; 
2- Analisar os diversos aspectos de relacionamento do BIM com os demais 
processos de produção do edifício (planejamento, gerenciamento da 
construção, etc.); 
3- Desenvolver estudos que promovam melhoria nos softwares e a questão da 
interoperabilidade; 
4- Criação de um padrão brasileiro através de um referencial normativo, seja a 
partir de norma ABNT, seja através da ASBEA; 
5- Propor diretrizes para a implantação do BIM em toda a cadeia produtiva da 
indústria de AEC; 
6- Desenvolver modelos para que as empresas implantem mais facilmente a 
tecnologia; 
7- Relacionar as fases de projeto e o uso da metodologia de projeto BIM.
REFERÊNCIAS BIBLIOGRÁFICAS 
ABNT. NBR ABNT. NBR 13531: Elaboração de projeto de edificações: atividades 
técnicas. Rio de Janeiro: ABNT, 1995. 10 p. 
ABNT. NBR ABNT. NBR 5670: Seleção e contratação de serviços e obras de 
engenharia e arquitetura de natureza privada. Rio de Janeiro: ABNT, 1977. 
AIA. The American Institute of Architects. (página da internet) http://www.aia.org 
Acessado em 13.12.2008 
ANUMBA, C. J.; BAUGH, C.; KHALFAN, M. M. A. Organizational structures to 
support concurrent engineering in construction. Industrial Management & Data 
Systems. 102/5 p. 260-270. 2002. 
ASBEA. – Associação Brasileira de Escritórios de arquitetura. Diretrizes gerais para 
intercambialidade de projetos em CAD. Editora Pini, 2002. 
AYRES FILHO, C. Acesso ao modelo integrado do edifício. Dissertação de 
mestrado. Pós-Graduação em Construção Civil - Setor de Tecnologia, Universidade 
Federal do Paraná. Curitiba, 2009. 
AYRES FILHO, C.; SCHEER, S. Diferentes abordagens do uso do CAD no 
processo de projeto arquitetônico. VII WORKSHOP BRASILEIRO DE GESTÃO 
DO PROCESSO DE PROJETO NA CONSTRUÇÃO DE EDIFÍCIOS. Curitiba 2007. 
Disponível em: http://www.cesec.ufpr.br/workshop2007/Artigo-57.pdf. Acessado em: 
30.10.2008. 
BARROS, M. M. B. O processo de projeto e a busca de inovação tecnológica 
nas empresas construtoras. In.: I SIMPÓSIO BRASILEIRO DE GESTÃO DA 
QUALIDADE E ORGANIZAÇÃO DO TRABALHO, Recife, 1999. Anais. Recife, 
UPE/POLI/DEC, 1999. v.1, p.329-38. 
BARROS, M. M. B.; MELHADO, S.B. Racionalização do Projeto de edifícios 
construídos pelo processo tradicional. São Paulo, 1993. Seminário (Pós-
Graduação). 
 
BAZJANAC, V. Virtual Building Environments (VBE) - Applying Information 
Modeling to Buildings. Lawrence Berkeley National Laboratory, University of 
California. Berkeley, CA, U.S.A., 2004. 
BENBASAT, I., GOLDSTEIN, D.K., MEAD, M. The Case Research Strategy in 
Studies of Information Systems. MIS Quarterly (11:3), Set 1987, pp. 369–386. 
97 
BIRX, G. W. Getting started with Building Information Modeling. The American 
Institute of Architects - Best Practices, 2006. Disponível em 
http://www.aia.org/bestpractices_index. Acessado em: 13.12.2008. 
BOUCHLAGHEM, D., KIMMANCE, A. G., ANUMBA C. J. Integrating product and 
process information in the construction sector. Industrial Management & Data 
Systems. vol. 104 n. 3, p.218-33, 2004. 
BROOKES, N. J.; BACKHOUSE, C. J. Understanding concurrent engineering 
implementation: a case-study approach. International Journal of Production 
Research 36(11):3035-54, 1998. 
BJORNSSON, H; EKSTROM, M. Information Technology and Purchasing Strategy: 
Two Necessary Enablers of More Efficient Construction Processes. CIFE Technical 
Report 160. Stanford University. Outubro, 2004. 
CAMPBELL, D. A. Building information modeling: the Web3D application for AEC. 
In Proceedings of the Twelfth international Conference on 3D Web Technology 
(Perugia, Italy, April 15 - 18, 2007). Web3D '07. ACM, New York, NY, 173-176. 
Disponível em http://doi.acm.org/10.1145/1229390.1229422. Acessado em: 
10.10.2008 
CODINHOTO, R. Diretrizes para o Planejamento e Controle Integrado dos 
Processos de Projeto e Produção. 2003. Dissertação de Mestrado (Mestrado em 
Engenharia Civil) – Núcleo Orientado para a Inovação da Edificação, Programa de 
Pós-Graduação em Engenharia Civil, Universidade Federal do Rio Grande do Sul, 
Porto Alegre, 2003. 
CRESPO, C. C.; RUSCHEL, R. C. Ferramentas BIM: um desafio para a melhoria 
do ciclo de vida do projeto. ENCONTRO DE TECNOLOGIA DE INFORMAÇÃO E 
COMUNICAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL. Porto Alegre, 2007. Disponível em 
http://www.infohab.org.br. Acessado em: 20.11.2008. 
CROSS, N. Engineering Design Methods. Strategies for product design. Ed Wiley, 
second edition, London, 1994, 179p. 
EASTMAN, C. M. General purpose building description systems. Computer-
Aided Design, v. 8, n. 1, 1976, p. 17-26. Disponível em 
http://dx.doi.org/10.1016/0010-4485(76)90005-1. Acessado em: 11.2008. 
EASTMAN, C. M.; SACKS, R.; LEE, G. Strategies for Realizing the Benefits of 3D 
Integrated Modeling of Buildings for the AEC Industry. ISARC - 19th International 
Symposium on Automation and Robotics in Construction, W. Stone, ed., 9-14. 
Washington DC, 2002. 
EASTMAN, C.; TEICHOLZ, P.; SACKS, R.; LISTON, K. BIM Handbook. A guide to 
Building Information Modeling for owners, managers, designers, engineers and 
contractors. John Wiley and Sons, 2008. 
EGAN, J. Rethinking Construction. Report of the Construction Task Force on the 
Scope for Improving the Quality and Efficiency of UK Construction. Departament of 
the Enviroment, Transport and the regions. London, 1998. 
98 
EVBUOMWAN, N. F. O.; ANUMBA, C. J. An integrated framework for concurrent life-
cycle design and construction. Advances in Engineering Software. Vol 29. No 7-9, 
PP 587-97. 1998. 
FABRICIO, M. M. Projeto Simultâneo na construção de edifícios. Tese 
(Doutorado) – Escola Politécnica, Universidade de São Paulo, São Paulo, 2002. 
FABRICIO, M.; MELHADO, S. B. Impactos da tecnologia da informação no 
conhecimento e métodos projetuais. In: SEMINÁRIO DE TECNOLOGIA DE 
INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO NA CONSTRUÇÃO CIVIL, 1, Curitiba, 2002. 
Disponível em http://www.infohab.org.br. Acessado em: 20.11.2008. 
FERREIRA, A. A.; REIS, A. C. F.; PEREIRA, M I. Gestão empresarial: de Taylor 
aos nossos dias. São Paulo: Pioneira, 2001. 
FERREIRA, S. L. Da engenharia simultânea ao modelo de informações de 
construção (BIM): contribuição das ferramentas ao processo de projeto e 
produção e vice-versa. VII WORKSHOP NACIONAL GESTÃO DO PROCESSO DE 
PROJETO NA CONSTRUÇÃO CIVIL. Curitiba, 2007. Disponível em: 
http://www.infohab.org.br. Acessado em: 08.07.08. 
FISCHER,