Fundamentos de Enfermagem   Parte II Kawamoto
162 pág.

Fundamentos de Enfermagem Parte II Kawamoto


DisciplinaFundamento368 materiais498 seguidores
Pré-visualização45 páginas
por 7 dias.
-ulo 121 Noções de Farmacologia 117
\u2022 Precauções: monitorar a frequência cardíaca e a temperatura com
frequência. Medicar previamente com antiemético, pois anorexia,
náuseas e vômitos podem diminuir os efeitos do medicamento.
Observar sinais de alterações urinárias devidas à nefrotoxicidade,
além do monitoramento da creatinina sérica. A piridoxina é indi-
cada para minimizar ou evitar os sintomas de neurite periférica
\u2022 Eventos adversos: febre, calafrios, náuseas, vômitos, cefaleia e hipo-
tensão durante a infusão na primeira semana, diminuindo posterior-
mente. Podem ocorrer supressão medular e hipopotassemia. A flebite
pode ser minimizada mediante administração cuidadosa e lenta.
\u2022 Nistatina
\u2022 Apresentação: suspensão oral com conta-gota, drágea e creme
\u2022 Vias de administração: VO e tópica
\u2022 Indicações: infecções por Candida albicans, decorrente da diminui-
ção de imunidade. Candidíase oral, frequente em crianças, imu-
nossuprimidos, após uso prolongado de antibióticos, radioterapia.
Esofagite e candidíase dos tratos digestório e geniturinário
\u2022 Recomendações: proceder à higiene bucal adequada, incluindo os
cuidados com a limpeza de próteses dentárias, antes de administrar
a suspensão oral que deve ser bochechada e mantida por algum
tempo na cavidade oral antes de ser deglutida. Nos lactentes e
crianças menores, colocar a metade da dose indicada em cada lado
da boca. Por exemplo: na prescrição de 1 conta-gota para o bebê,
colocar metade do conta-gota em cada canto da boca de maneira
que a solução escorra no interior da cavidade oral.
\u2022 Cetoconazol e fluconazol
\u2022 Indicações: Candidíase vaginal, candidíase oral, candidíase disse-
minada, Tinea versicolor, Tinea corporis, Tinea cruris, pé de atleta,
dermatite seborreica.
Grupo das quina/anos
\u2022 Ciprofloxacino e norfloxacino
\u2022 Recomendações: deglutir os comprimidos inteiros com um pouco
de líquido, independentemente das refeições. Se ingeridos com o
estômago vazio, a substância ativa é absorvida mais rapidamente. Em
administração por via intravenosa deve ter a duração aproximada
de 60 min, lentamente, em veia de bom calibre para reduzir o des-
conforto e o risco de irritação venosa. A solução para infusão pode
ser administrada diretamente ou após diluição em solução salina a
0,9%, solução de Ringer ou lactato de Ringer, soro glicosado a 5% ou
a 10%.Administrar após a diluição por causa da sensibilidade à luz
\u2022 Eventos adversos: erupções cutâneas, prurido, febre medicamentosa,
náuseas, diarreia, vômito, dispepsia, dor abdominal, flatulência,
anorexia, colite pseudomembranosa, hepatite, necrose hepática,
reações anafiláticas.
118 Fundamentos de Enfermagerr
Grupo das tienamicinas
\u2022 Imipeném e meropeném
\u2022 Apresentação: formulações para administração parenteral
\u2022 Precauções: os medicamentos com duas apresentações diferentes
para administração por vias IV e 1Msão de indicação exclusiva das
vias recomendadas
\u2022 Eventos adversos: náuseas, vômitos, diarreia, manchas nos dentes:
eritema, dor e enduração local, tromboflebite; exantema, prurido.
urticária, eritema multiforme, síndrome de Stevens- Iohnson-
angioedema, necrólise epidérmica tóxica (raramente), derrnatite
esfoliativa (raramente), candidíase, febre, reações anafiláticas.
Antibióticos contra tuberculose
\u2022 Estreptomicina
\u2022 Ver grupo dos aminoglicosídios
\u2022 Vias de administração: injetável.
\u2022 Etionamida
\u2022 Vias de administração: comprimido associado a estreptomicina
etambutol e pirazinamida (esquema III, segundo o MS).
\u2022 Indicação: tratamento da tuberculose pulmonar e extrapulmonar
associado a outros tuberculostáticos nos casos de falência de tra-
tamentos anteriores, por resistência ou intolerância a rifampicina
e!ou izoniazida, ou abandono de tratamento
\u2022 Precauções: os pacientes devem ser alertados a comunicar qualquer
alteração visual durante o tratamento.
\u2022 Cloridrato de etambutol
\u2022 Vias de administração: comprimido e solução oral
\u2022 Indicação: casos de tratamento em recidivantes e retorno após abar-
dono de tratamento anterior (esquema IR, segundo o Ministéri;
da Saúde, associado a rifampicina, isoniazida e pirazinamida) e nos
casos de falência de tratamento com outros esquemas (esquema
III, associado a estreptomicina, etionamida e pirazinamida)
\u2022 Precauções: não administrar a pacientes incapazes de comunica;
alteração ou distúrbio visual.
\u2022 Isoniazida
\u2022 Vias de administração: de preferência em jejum, até 1 h antes das
refeições. Caso ocorram distúrbios gastrintestinais, podem :-
administrados com alimentos ou antiácidos, desde que não cor-
tenham alumínio
\u2022 Precauções: evitar bebidas alcoólicas durante o tratamento
\u2022 Eventos adversos: distúrbios gastrintestinais, anorexia, náuseas ::
vômitos.
==- ítulo 121 Noções de Farmacologia
Quimioterapia
-o-"nto por agentes químicos
-:: iern atuar de modo efetivo
~ ::ganismos patogênicos ou
órgãos doentes
119
\u2022 Rifampicina
\u2022 Vias de administração: em jejum, de preferência 30 min antes do
desjejum; se houver distúrbios gastrintestinais, pode ser adminis-
trado com leite, suco ou alimento
\u2022 Precauções: evitar uso concomitante de salicilatos e bebidas alcoó-
licas. Não usar rifampicina nas últimas semanas de gestação pelo
risco de hemorragia pós-natal, tanto para a puérpera quanto para
o recém-nascido
\u2022 Eventos adversos: distúrbios gastrintestinais, coloração avermelhada
da urina, das fezes, da saliva, do suor e da lágrima. Calafrios, ton-
tura, febre, cefaleia, artralgia e mialgia, erupções cutâneas, prurido,
anorexia.
\u2022 Pirazinamida
\u2022 Vias de administração: VO
\u2022 Precauções: manter monitoramento periódico do ácido úrico e das
enzimas para controle da função hepática
\u2022 Eventos adversos: artralgia.
Quimioterápicos
Conceito
A quimioterapia é definida como "tratamento por agentes químicos
que podem atuar de modo efetivo sobre organismos patogênicos ou
órgãos doentes". Neste aspecto, destacam-se a quimioterapia antivi-
ral, a antibacteriana e a quimioterapia destinada a destruir células
cancerosas.
As substâncias antineoplásicas ou citostáticas são capazes de des-
truir células jovens que se multiplicam rapidamente, características
de células que formam o tumor maligno. Considerando-se que
existem células normais no organismo com essa característica, como
na medula óssea, na mucosa do trato gastrintestinal e nos folículos
pilosos, a ação das substâncias nesses sítios resulta em efeitos inde-
sejáveis e tóxicos, causando desconfortos aos pacientes submetidos
à quimioterapia. A maioria das substâncias citostáticas interfere na
síntese de DNA e RNA, essenciais à formação da estrutura genética
das células, o que provoca a interrupção da multiplicação celular.
A finalidade do tratamento por quimioterapia pode ser:
\u2022 Adjuvante: tratamento adicional efetuado após a cirurgia com o
objetivo de controlar metástases subclínicas residuais
\u2022 Neoadjuvante: realizado antes da cirurgia para prevenir a dissemi-
nação e o crescimento de células cancerosas
\u2022 Paliativo: tem como objetivo diminuir os sinais e sintomas da doen-
ça, proporcionando ao paciente melhor qualidade de vida.
120
Substâncias antineoplásicas
São classificadas segundo a
especificidade no ciclo celular e
segundo a estrutura química e a
função nas células
~I,
Fundamentos de Enfermage
Classificação das substâncias antineoplásicas
As substâncias antineoplásicas são classificadas em duas formas prin-
cipais:
\u2022 Segundo a especificidade no ciclo celular:
o Ciclo celular específico: atuam sobre as células, em determinada
fase do ciclo de divisão celular
o Ciclo celular não específico: atuam sobre as células, indepen-
dentemente da fase do ciclo de divisão celular
\u2022 Segundo a estrutura química e a função nas células:
o Alquilantes: ciclo celular não específico; alteram as cadeias de:
DNA, impedindo a duplicação celular. Por exemplo: meclore-