historia da infancia unidade 2
10 pág.

historia da infancia unidade 2


Disciplina<strong>comunicação</strong>6 materiais4 seguidores
Pré-visualização3 páginas
Pergunta 1
Resposta Selecionada:
e. 
Resposta Correta:
e. 
Feedback da
resposta:
Manoel por Manoel:
 \u201c[...] Cresci brincando no chão, entre formigas. De uma infância livre e sem comparamentos. Eu tinha mais comunhão com as coisas que comparação.
Porque se a gente fala a partir de ser criança, a gente faz comunhão: de um orvalho e sua aranha, de uma tarde e suas garças, de um pássaro e sua
árvore. Então eu trago das minhas raízes crianceiras a visão comungante e oblíqua das coisas. Eu sei dizer sem pudor que o escuro me ilumina. É um
paradoxo que ajuda a poesia e que eu falo sem pudor. Eu tenho que essa visão oblíqua vem de eu ter sido criança em algum lugar perdido onde havia
transfusão da natureza e comunhão com ela. Era o menino e os bichinhos. Era o menino e o sol. O menino e o rio. Era o menino e as árvores. [...]\u201d
 BARROS, M. de. Memórias inventadas: As Infâncias de Manoel de Barros. São Paulo: Planeta do Brasil, 2010. p. 187.
 A partir dos seus conhecimentos sobre as diversas formas de viver a infância, analise as questões a seguir:
 I. ( ) As infâncias são vividas das mais diversas formas, dependendo dos contextos sociais e culturais; assim, não há apenas um tipo de criança ou um
tipo de infância
 II. ( ) As crianças produzem cultura a partir daquilo que vivenciam e aprendem no grupo cultural em que nascem, nas conversas com as pessoas com
quem convivem, brincando com outras crianças
 III. ( ) A infância pode ser reconhecida como a fase de descobertas do indivíduo, um período em que a criança, desde que nasce, é apresentada e
inserida em um grupo cultural, com costumes e ideias especí\ufb01cas do contexto em que vive.
 IV. ( ) A infância é considerada uma categoria geracional de caráter relacional, pois é histórica e socialmente construída, através da participação das
crianças em suas culturas e geração com as dos adultos, instâncias mutuamente entrelaçadas.
 V. ( ) Apesar do conhecimento sobre a existência de diversas formas de viver a infância, pode-se considerar que, até dois anos de idade, período em
que as crianças começam a falar, a forma como elas enxergam o mundo é muito parecida, pois são muito pequenas para estabelecerem relações
complexas.
 Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência correta:
 
 
V, V, V, V, F
 
V, V, V, V, F
Isso mesmo, você está apto a prosseguir, pois já compreendeu que as infâncias são vividas das mais diversas formas, dentro daquilo
que a criança assimila desde que nasce, imersa em uma cultura particular.
 
0,25 em 0,25 pontos
Pergunta 2
Resposta
Selecionada:
d.
Resposta Correta: d.
Feedback
da
resposta:
Observe a charge a seguir:
De acordo com a charge apresentada e os conteúdos estudados na Unidade 2, pode-se a\ufb01rmar que:
 
O entorno social é parte importante da formação da criança que deve ser respeitada como tal e protegida pelo estado e pela
família como o ECA preconiza.
O entorno social é parte importante da formação da criança que deve ser respeitada como tal e protegida pelo estado e pela
família como o ECA preconiza.
Feedback: O entorno social é parte importante da formação da criança que deve ser respeitada como tal e protegida pelo estado e pela
família como o ECA preconiza. Assim, de forma irônica, a charge mostra um pai que só pretende proteger e garantir os direitos da criança
quando ela é membro de sua família, contrariando totalmente os princípios da lei.
 
0,25 em 0,25 pontos
Pergunta 3
Resposta
Selecionada:
d.
Resposta
Correta:
d.
Observe a imagem a seguir:
 
Podemos a\ufb01rmar que a charge traz uma crítica à questão da realidade da infância. Assinale a alternativa que traz essa crítica:
 
 
 
 
Embora tenhamos discussões importantes a respeito da criança e de seu desenvolvimento e seus direitos, a realidade infantil, em vários
espaços é a de que, mais do que brincadeiras, falta comida.
Embora tenhamos discussões importantes a respeito da criança e de seu desenvolvimento e seus direitos, a realidade infantil, em vários
espaços é a de que, mais do que brincadeiras, falta comida.
0,25 em 0,25 pontos
Feedback
da
resposta:
Feedback: Atualmente, quando falamos sobre crianças e infância, temos discutido aspectos importantes ligados ao desenvolvimento e aos
seus direitos. Contudo, muitas vezes, a realidade infantil em certos espaços ainda parece invisível e, tendemos a não destacar o fato de que
há muitos lugares em que o que mais falta faz não é a brincadeira, mas a comida.
 
Pergunta 4
Resposta
Selecionada:
c.
Resposta
Correta:
c.
Feedback
da
resposta:
Observe a imagem e, em seguida, assinale a alternativa que melhor a explica:
 
Na contemporaneidade, se por um lado tendemos a discutir a criança e seu direito à infância, tornando-a a agente na construção do
próprio conceito, por outro, temos também a tendência a ver essas mesas crianças, muitas vezes, sendo levadas à mecanização dos
comportamentos, o que, paradoxalmente, implica em \u201cpasteurizar\u201d o comportamento infantil.
Na contemporaneidade, se por um lado tendemos a discutir a criança e seu direito à infância, tornando-a a agente na construção do
próprio conceito, por outro, temos também a tendência a ver essas mesas crianças, muitas vezes, sendo levadas à mecanização dos
comportamentos, o que, paradoxalmente, implica em \u201cpasteurizar\u201d o comportamento infantil.
Feedback: A charge nos mostra uma realidade comum na contemporaneidade: a busca pela \u201cpasteurização\u201d da infância, muitas vezes de
forma medicamentosa. Essa tendência acontece em paralelo e em paradoxo com outra, a de discutir a criança como agência de sua própria
infância, enquanto ser dotado de direitos que devem ser respeitados por todas as instâncias de autoridade de sua vida.
 
0,25 em 0,25 pontos
Pergunta 5
Resposta
Selecionada:
Resposta
Correta:
Feedback
da
resposta:
Julia é professora de Ensino Infantil e trabalha em uma escola que se diz inovadora e preocupada com a formação da criança como ser que está em
processo de criar e entender conceitos, ao mesmo tempo que lida com condições já impostas anteriormente. Em uma reunião pedagógica, a
coordenadora solicita que a professora apresente seu trabalho com os alunos através de um artigo para ser enviado a um congresso de Pedagogia.
Julia, que leciona em duas turmas, apresenta então um relatório preliminar para a coordenadora com a seguinte de\ufb01nição: &quot;a construção de conceitos e
habilidades de uma criança passa, necessariamente, por seu entorno social, assim, a escola é local apropriado para que as crianças estabeleçam
vínculos&quot;. Autores como Martins Filho (2013) concordam com essa de\ufb01nição e dizem que ela deve ser levada em conta ao se elaborar o currículo
escolar.
Assinale a alternativa que justi\ufb01ca a posição de autores como Martins Filho e de Julia, nossa personagem do case em questão.
 
 
 
O currículo escolar deve priorizar a criação de situações de aprendizagens nas quais as crianças, a partir dos conhecimentos adquiridos
em seu meio social, poderão ampliar e reconstruir conceitos e habilidades.
O currículo escolar deve priorizar a criação de situações de aprendizagens nas quais as crianças, a partir dos conhecimentos adquiridos
em seu meio social, poderão ampliar e reconstruir conceitos e habilidades.
Feedback: De acordo com Martins Filho (2013), o currículo priorizar a criação de situações de aprendizagens nas quais as crianças, a partir
dos conhecimentos adquiridos em seu meio social, poderão ampliar e reconstruir conceitos e habilidades, já que assim, ela pode articular o
seu entorno social em prol das técnicas que necessita dominar. Assim, qualquer situação que tire a criança do relacional, ou que priorize a
visão de um adulto sobre o conteúdo que ela deve conhecer, deve ser cuidadosamente analisada.
 
Pergunta 6
No âmbito jurídico, as leis mais importantes que atendem aos direitos da criança