A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
8 pág.
Manejo de feridas   Clinica de grandes animais III

Pré-visualização | Página 1 de 2

Clínica de grandes animais III
Manejo de feridas
Sistema tegumentar 
Funções: 
- Permite a comunicação entre o organismo com o meio ambiente (temperatura, humidade...) 
- É um órgão sensorial e percebe todas as alterações do ambiente 
- Promove proteção para as estruturas internas(proteção contra desidratação por exemplo) 
- Espessura varia de 1 a 6mm, para grandes animais, em locais em que a espessura da pele é fina, mais delgada, quando ocorre uma laceração os bordos da ferida se afastam de mais tornando mais difícil a cicatrização do local; como em região de cabeça dos equinos(região periocular, plano nasal, porção distal dos membros, do carpo até o casco, do tarso até o casco) 
1-) Classificação das feridas 
- Utilizado para preencher fichas clinicas, ou quando houver necessidade de enviar material para o laboratório para análise, exames de imagens e afins 
a. Localização 
- Utilizam os termos anatômicos e zootécnicos para descrever a localização da ferida 
- Como por exemplo região dorsal do metatarso do membro pélvico, ou região de canela 
b. Grau de contaminação 
- Fundamental para poder designar qual o tipo de tratamento 
- Não existem feridas não contaminadas, mas sim o grau de contaminação desta 
- Muito comum os proprietários aplicarem produtos domésticos para tentar promover a cura da ferida, e isto acabam aumentando o grau de contaminação 
c. Abertas X Fechadas 
Abertas: Onde teve um grau de laceração que promoveu a exposição dos órgãos internos(ossos, músculos) 
• Abrasivas: 
- Acomete uma grande região, porém de fácil resolução, é uma ferida superficial 
• Incisionais:
- Lembram uma incisão cirúrgica, teve contato com um objeto pontiagudo ou perfurocortante 
• Lacerativas:
- Onde ocorreu a perda de tecido cutâneo, uma laceração mais profunda 
- Ocorre a perda de tegumento, musculatura, tendões 
- Geralmente são mais extensas e possui maior dificuldade de resolução 
- Normalmente a cicatrização é feita por segunda intensão 
- Como por exemplo mordidas 
• Avulsivas:
- Ocorre uma avulsão tecidual, neste caso há a possibilidade de ser realizada a sutura do tecido 
- O animal acabou puxando o membro e o tecido foi descolado
• Puncionais:
- São feridas com aberturas pequenas, porém profundas
- Ocorreu um trauma por ter encostado em um objeto cortante ou perfurocortante 
- Pode acometer estruturas mais internas(vasos, nervos) e até órgãos 
Feridas Lacerativas extensas e profundas 
- Há mais risco de infecção e necrose 
- Realizar uma limpeza acentuada 
- É necessário promover o tecido de granulação o mais rápido possível, necessário estimular a granulação e associar com agentes bactericidas(Nitrofurazona, Rifamicina, Polimixina bacitracina, Neomicina)
- Se necessário usar anti-inflamatórios não esteroidais, antibióticos para prevenção da laminite 
Fechadas: Teve ainda a manutenção do sistema tegumentar 
- Muito causada por erros humanos, como injeções 
- Animais brincam dando cabeçadas uns nos outros 
Cuidados: 
- Geralmente fáceis de identificação, são aumentos de volume
- Em alguns casos podem ocorrer fistulas 
- Diagnostico diferencial, realizar a palpação para verificar o tipo de conteúdo presente, a consistência
- Fazer o uso de exames de imagens, punções para verificar se o abscesso está maduro para ser drenado 
• Seromas:
- É o acúmulo de secreções serosas 
- Pode ser somente o acúmulo de infiltrado inflamatório 
- Um seroma pode evoluir para um hematoma se houver um sangramento nesta região(formação de coágulos) 
• Hematomas:
- Acúmulo de sangue 
• Abscessos:
- Um abscesso pode evoluir para um hematoma pela contaminação hematógena(bactérias colonizam o abscesso) 
Cicatrização: 
- O abscesso passa por um tempo de maturação, ele só poderá ser drenado quando estiver com conteúdo “flutuante”, possui liquido internamente 
- Drenagem, lavagem(soro) e curetagem para remoção da capsula(debridamento), usar antissépticos, antibióticos, nitrofurazona 
2-) Fases da reparação de feridas 
- Após uma lesão ocorre imediatamente uma reação do organismo para poder tentar controlar essa lesão 
a. Fase vascular ou de hemostasia
- Vasoconstrição reflexa, para poder controlar a hemorragia 
- Produção e deposição de fibrina na região para formar um coagulo
- Ativação dos receptores de membrana 
- Quimiotaxia para plaquetas(ativação e adesão) e formar o tampão plaquetário 
- Liberação de substancias vasoativas, como a histamina 
- Estimulo para formação de fatores de crescimento tecidual para formação do tecido de base para a cicatrização 
- Se preocupar com uma adequada hemostasia e formação de tecido base para cicatrização 
- Pode-se utilizar um garrote no membro proximal para poder conter o sangramento abundante 
b. Fase inflamatória 
× Ocorre a formação do infiltrado celular composto por: 
- Polimorfonucleares, como os linfócitos realizando a fagócitos e apresentação de antígeno 
- Macrófagos promovendo a fagocitose e começam a realizar o remodelamento pela liberação de proteases 
- Linfócitos começam a liberar substancias quimiotáticas, atraindo mais polimorfonucleares e macrófagos 
- Células inflamatórias, como mastócitos e plaquetas 
- Componentes humorais, como a histamina, serotonina e prostaglandina(substancias inflamatórias) 
c. Fase de proliferação
c.1 Preenchimento: 
- Caracterizada pela formação de um novo tecido, um tecido de preenchimento 
- Migração dos queratinócitos para a lesão para realizar a produção de queratina 
- Neovascularização para auxiliar no processo de irrigação sanguínea 
- Aumento do metabolismo dos fibroblastos para formação de colágeno 
- Polimerização do colágeno e consequente adesão 
- Estas etapas acima promovem a formação do tecido de granulação, conferindo uma proteção ao organismo por meio de uma barreira mecânica contra antígenos e agressões ambientais(umidade, temperatura, radiação solar) 
- Este tecido de granulação possui aparência rosada e muito vascularizado(sangra facilmente) 
OBS: Os equídeos tendem a formar tecidos de granulação exacerbados, chama-se tecido de granulação exuberante 
c.2 Reepitelização: 
- Ocorre a formação de um novo epitélio 
- As células epiteliais começam a chegar nesta região e seu deposito ocorre dos bordos para o centro(centrípeta)
- A proliferação máxima ocorre entre 48h e 72h após a lesão inicial 
- Liberação de fatores de crescimento por plaquetas e macrófago, estimulando a epitelização 
d. Fase de contração 
- A ferida vai diminuindo o tamanho da escara inicial 
- Os fibroblastos se diferenciam para miofibroblastos para realizar a contração das margens da ferida sobre a granulação 
- O que pode interferir nesta fase é a espessura da pele, pode ter tensão nos bordos da ferida 
- Os bordos que tiverem muito tracionados podem ter tensão e demorar para contrair a pele, dificultando a cicatrização 
- Pode-se utilizar a implantação de enxertos de pele ou “flaps”(deslizamento de pele) para agilizar esta fase
e. Fase de remodelamento 
- Fase mais extensa, ocorre por vários anos, nesta fase já houve a consolidação da ferida, já houve cura 
- Ocorrerá a redução e remodelamento da escara inicial
- A partir do momento que houve a formação da “casquinha” já está havendo o remodelamento da ferida 
- O ácido hialurônico e as proteoglicanos fazem a diminuição da cicatriz por remodelamento dos componentes da matriz tecidual e do colágeno 
3-) Avaliação do paciente 
- Inicialmente se preocupar com o estado geral do animal, observar alterações sistêmicas, se apresenta alguma alteração hemodinâmica, pacientes com dor podem hiperventilar ocasionando uma alcalose ou uma acidose, se houve acometimento de tecidos ou estruturas vizinhas 
- Fazer um exame físico completo para avaliar o estado geral do animal, avaliar todos os parâmetros 
4-) Avaliação da ferida 
a. Exame da ferida 
- Muitas vezes é necessário anestesiar o animal para poder examinar efetivamente a ferida devido a dor
- Realizar uma tricotomia ampla, o pelo é um