A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
55 pág.
RESUMO PROVA CIÊNCIAS MOLECULARES E CELULARES 01(1)

Pré-visualização | Página 1 de 19

RESUMO PROVA CIÊNCIAS MOLECULARES E CELULARES 
 
Seção 1.1 Fenômeno da vida 
 
A célula é a menor unidade funcional e estrutural que compõe um organismo vivo. 
 
Toda célula é limitada por uma membrana, preenchida internamente por 
uma solução aquosa concentrada de compostos e como organelas e material 
genético. 
 
As bactérias são seres unicelulares considerados organismos primitivos, são microrganismos com 
alta capacidade de adaptação, aliados às mutações e troca de material 
genético, processo que é fundamental para sua evolução, e ainda se 
multiplicam rapidamente. 
 
 
 
Para realizar seu ciclo vital, todo ser vivo precisa de energia. Ela pode ser obtida 
através da fotossíntese realizada por vegetais, algumas bactérias autotróficas utilizam 
a energia de uma fonte não orgânica, em geral a luz do sol. Temos como exemplo 
as plantas, que possuem clorofila em suas folhas, elas captam luz solar e a utilizam na 
síntese de moléculas orgânicas. Além dos fotossintetizantes, também existem seres 
autótrofos quimiossintetizantes que não precisam de fonte luminosa, utilizam matérias 
inorgânicas, gás carbônico e água para produzirem matéria orgânica. Por fim, temos 
os seres heterótrofos, que conseguem energia por ingestão de outros seres, como 
plantas e animais, e são considerados consumidores. 
 
 
Teoria Celular. 
 
Esse conceito surgiu no século XIX, idealizado pelo botânico alemão Mathias Jakob 
Schleiden, no ano de 1838, e pelo zoólogo, também alemão, Theodor Schwann, em 
1839. Os princípios gerais desta teoria se baseiam em alguns aspectos fundamentais: 
• Todos os seres vivos são formados por uma ou mais células. 
• Toda célula se origina de outra pré-existente, por um processo chamado divisão celular. 
• A célula é a unidade estrutural e funcional de todos os organismos vivos. 
• A atividade de um organismo depende da atividade total de células independentes. 
• Todas as células possuem, basicamente, a mesma constituição química. 
• As reações metabólicas e bioquímicas ocorrem no interior das células. 
• A célula contém informação genética e hereditária que é passada para outras células durante o processo de divisão 
celular. 
 
todas as células são constituídas por um envoltório denominado membrana plasmática, um citoplasma 
e material genético, sendo que as células procarióticas possuem material genético 
solto no citoplasma, são pobres em membranas, e as eucariontes possuem o núcleo 
delimitado por uma membrana nuclear. 
 
Apesar das diferenças entre as células procariontes e eucariontes, 
todas têm em sua estrutura membrana plasmática, material genético e 
citoplasma. 
 
A membrana plasmática é uma estrutura fina semipermeável, isto é, seleciona 
o que passará por ela 
 
é constituída de uma dupla 
camada lipoproteica (gordura + proteína), enquanto o citoplasma é o meio interno 
onde ocorre a maioria das reações químicas e sínteses, é formado de água, proteínas, 
sais minerais, íons diversos, aminoácidos livres e açúcares, formando um material 
coloide, uma espécie de gel que pode ser mais espesso na parte interna da célula 
(gelatinoso), chamado de endoplasma, e menos denso nas periferias, chamado de 
ectoplasma. Tanto o endoplasma como o ectoplasma fazem parte do hialoplasma 
ou citosol, onde ocorrem as reações químicas metabólicas e a ciclose, que se refere 
ao movimento no interior das células. 
 
O citoplasma possui citoesqueleto formado por proteínas e tem a função de estruturar a forma da célula. Essa estrutura é 
inexistente 
nas células procariontes, onde a forma e sustentação das células é feita por uma 
parede celular rígida. 
 
 
As células foram descobertas em 1665, pelo cientista inglês Robert Hooke, a partir 
da construção de seus próprios microscópios. 
 
 
O gênero Giardia foi o primeiro protozoário intestinal humano a ser 
identificado. 
 
 
Os microscópios ópticos permitem aumentos de até 2000 vezes (Robert Hooke) 
Os microscópios eletrônicos permitem aumentos de cerca de 500 mil vezes (Ernst Ruska). 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Reino Animal (Animalia) 
 
Principais características: são multicelulares; não possuem a capacidade de produzir seu próprio 
alimento; a maioria das espécies (cerca de 95%) são invertebrados; a minoria (cerca de 5%) são 
animais vertebrados (entre eles o ser humano); possuem a capacidade de locomoção. 
Exemplos de representantes deste reino: Homem, cão, gato, zebra, leão, cavalo, aranhas, serpentes, 
lagartos, sapos, caranguejo, escorpião, pato, galinha, gavião, peixes e insetos. 
Reino Vegetal (Plantae) 
Principais características: composto pelas plantas; são organismos eucariotos; produzem o próprio 
alimento através da fotossíntese; maioria das espécies é multicelular; com relação às flores e sementes, 
algumas espécies produzem e outras não. 
Exemplos de representantes deste reino: árvores, arbustos, gramíneas, musgos, orquídeas, lírios, 
palmeiras e samambaias. 
Reino dos Fungos (Fungi) 
Principais características: a maioria das espécies é multicelular; absorvem alimento de matéria 
orgânica, morta ou viva; geralmente se desenvolvem em locais com pouca luz e muita umidade; são 
eucariotas; a reprodução pode ser sexuada ou assexuada (depende da espécie). 
Exemplos de representantes deste reino: cogumelos, leveduras e bolores. 
Reino dos Protistas (Protista) 
Principais características: são eucariotas; são organismos intermediários, ou seja, apresentam 
características de animais (caso dos protozoários) e plantas (caso das algas). 
Exemplos de representantes deste reino: amebas, flagelados, esporozoários e algas. 
Reino das Moneras (Monera) 
Principais características: são unicelulares; não apresentam núcleo organizado (são procariotas); são 
microscópicos (microrganismos); de acordo com a Biologia Evolutiva, foram as primeiras formas de 
vida que se desenvolveram em nosso planeta. 
Exemplos de representantes deste reino: bactérias, cianobactérias e arqueobactérias. 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Seção 1.2 Origem e evolução das células 
 
todos os seres 
vivos descendem de um ancestral comum, 
 
As condições químicas da Terra primitiva permitiram o surgimento de 
coacervados. 
 
Nesses 
“caldos nutritivos”, substâncias relativamente complexas, como proteínas 
e ácidos nucleicos, teriam aparecido espontaneamente ao acaso. 
 
1.2.1 Evolução Química 
1.2.1.1 Evolução pré-biótica: hipótese de Oparin e Haldan 
 
os elementos químicos 
básicos para a vida são carbono, oxigênio e hidrogênio, e estes três elementos estão 
presentes em 90% da massa corporal. 
 
Acredita-se que as primeiras células surgiram no planeta há aproximadamente 
4 bilhões de anos. Naquela época, a atmosfera primitiva da Terra continha metano 
(CH4), amônia (NH3), gás hidrogênio (H2), sulfeto de hidrogênio (H2S), gás carbônico 
(CO2) e vapor d’água (H2O). Não existia oxigênio livre (O2) e só apareceria muito depois, 
após a atividade fotossintética de células autotróficas. 
 
 
 
 
Essa massa líquida, chamada de 
caldo primitivo, continha grande quantidade de moléculas inorgânicas e os gases 
dessa atmosfera primitiva estariam em solução. 
As descargas elétricas, altas temperaturas e as radiações ultravioletas eram intensas 
e promoveram energia para que as moléculas dissolvidas no caldo primitivo se 
combinassem quimicamente, dando origem a moléculas maiores e mais complexas, 
as primeiras moléculas contendo carbono (orgânicas). Essa é uma teoria de origem por evolução química, denominada de 
pré-biótica. 
 
1.2.2 Evolução Biológica 
1.2.2.1 Teoria da invaginação da membrana 
 
As moléculas de