Direito do Trabalho - Para os Concursos de Analista do TRT e MPU - Coleção Tribunais e MPU (2018) - Henrique Correia
94 pág.

Direito do Trabalho - Para os Concursos de Analista do TRT e MPU - Coleção Tribunais e MPU (2018) - Henrique Correia


Disciplina<strong>direito do Trabalho</strong> 32 materiais2 seguidores
Pré-visualização23 páginas
Resumão Legislação Trabalhista 
 
 
1
 
 
RESUMO 
LEGISLAÇÃO 
TRABALHISTA 
 
Conteúdo 
 
1. Relações de Trabalho pag. 02 
2. Contrato Individual de Trabalho pag. 04 
3. Contratos Especiais de Trabalho pag. 09 
4. Jornada de Trabalho pag. 14 
5. Normas Especiais de Tutela do Trabalho pag. 19 
6. Férias pag. 24 
7. Remuneração e Salário pag. 28 
8. Normas Complementares de Proteção ao Trabalhador pag. 35 
9. Salário \u2013 Família pag. 36 
 10. Seguro \u2013 Desemprego pag. 37 
 11. PAT \u2013 Programa de Alimentação do Trabalhador pag. 37 
 12. FGTS \u2013 Fundo de Garantia por Tempo de Serviço pag. 38 
 13. Estabilidade e garantia de emprego pag. 39 
 14. Segurança e Medicina no Trabalho pag. 41 
 15. Rescisão Contratual pag. 45 
 16. Direito Coletivo do Trabalho pag. 51 
 17. Justiça do Trabalho pag. 55 
 18. Processo Judiciário Trabalhista pag. 59 
 19. Ministério Público do Trabalho pag. 71 
 20. Direito Internacional do Trabalho pag. 74 
 21. Contrato de Trabalho por Tempo Determinado pag. 77 
 22. Microempresa e Empresa de Pequeno Porte pag. 79 
 23. Participação dos Trabalhadores nos Lucros e Resultados pag. 80 
 
 
Alexandre José GranzottoAlexandre José GranzottoAlexandre José GranzottoAlexandre José Granzotto 
 
 
 
 
 
Resumão Legislação Trabalhista 
 
 
2
RESUMÃO - LEGISLAÇÃO TRABALHISTA 
 
1. RELAÇÕES DE TRABALHO 
 
\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd Só existe uma relação de emprego quando alguns requisitos são preenchidos, 
de acordo com a Legislação (artigos 2º e 3º, da CLT). 
 
EMPREGADOR: É a empresa, individual ou coletiva, que, assumindo os riscos da 
atividade econômica, admite, assalaria e dirige a prestação pessoal 
de serviço. 
\ufffd Equiparam-se ao empregador, para os efeitos exclusivos da relação 
de emprego, os PROFISSIONAIS LIBERAIS, as INSTITUIÇÕES DE 
BENEFICÊNCIA, as ASSOCIAÇÕES RECREATIVAS ou outras 
instituições sem fins lucrativos, que admitirem trabalhadores como 
empregados. 
 
EMPREGADO: toda pessoa física que prestar serviços de natureza não eventual 
a empregador, sob a dependência deste e mediante salário. 
 
\u2022 Assim, o EMPREGADO é o SUJEITO que presta serviços ao 
EMPREGADOR com: 
 
P Pessoalidade (não pode se fazer substituir por pessoa estranha à empresa) 
O Onerosidade (o trabalho é realizado em troca de um pagamento) 
N Não 
E Eventualidade (deve haver habitualidade) 
S Subordinação Jurídica (recebe ordens de seu empregador) 
 
 
\u2022 EMPREGADOR nada mais é do que aquele que: 
 
A Admite o empregado 
D Dirige a prestação pessoal de serviços 
A Assalaria o empregado 
 
\u2022 \u201cToda relação de emprego é uma relação de Trabalho, mas nem toda 
relação de Trabalho é uma relação de Emprego\u201d 
 
Grupo Econômico \ufffd\ufffd\ufffd\ufffd Sempre que uma ou mais empresas tendo, cada uma delas, 
personalidade jurídica própria, estiverem sob a direção, 
controle ou administração de outra, constituindo grupo 
industrial, comercial ou de qualquer outra atividade econômica, 
serão, para os efeitos da relação de emprego, solidariamente 
responsáveis à empresa principal e cada uma das 
subordinadas. 
 
 
Resumão Legislação Trabalhista 
 
 
3
\u2022 Se o responsável solidário não participou da relação processual como 
reclamado, não pode ser sujeito passivo na execução; 
 
\u2022 A prestação de serviços a mais de uma empresa do mesmo grupo 
econômico, durante a mesma jornada de trabalho, não caracteriza a 
coexistência de mais de um contrato de trabalho, salvo ajuste em 
contrário. 
 
 
CARTEIRA DE TRABALHO E PREVIDÊNCIA SOCIAL \u2013 CTPS: 
\ufffd é obrigatória para o exercício de qualquer emprego, inclusive de natureza rural, 
ainda que em caráter temporário, e para o exercício por conta própria de atividade 
profissional remunerada. 
\ufffd A CTPS será obrigatoriamente apresentada, contra recibo, pelo trabalhador ao 
empregador que o admitir, o qual terá o prazo de 48 horas para nela anotar, 
especificamente, a data de admissão, a remuneração e as condições especiais, 
se houver, sendo facultada a adoção de sistema manual, mecânico ou eletrônico; 
\u2022 As anotações concernentes à remuneração devem especificar o salário, 
qualquer que seja sua forma e pagamento, seja ele em dinheiro ou em 
utilidades, bem como a estimativa da gorjeta. 
\u2022 As anotações na CTPS serão feitas: 
a) na data-base; 
b) a qualquer tempo, por solicitação do trabalhador; 
c) no caso de rescisão contratual; ou 
d) necessidade de comprovação perante a Previdência Social. 
 
\u2022 A falta de cumprimento pelo empregador do disposto acarretará a lavratura do 
auto de infração, 
\u2022 É vedado ao empregador EFETUAR ANOTAÇÕES DESABONADORAS à 
conduta do empregado em sua CTPS; 
\u2022 Os acidentes do trabalho SERÃO OBRIGATORIAMENTE ANOTADOS pelo 
INSS na carteira do acidentado. 
 
 
LIVROS DE REGISTRO DE EMPREGADOS: 
 
\ufffd Em todas as atividades será obrigatório para o empregador o registro dos 
respectivos trabalhadores, podendo ser adotados livros, fichas ou sistema 
eletrônico; 
 
\u2022 A empresa que mantiver empregado não registrado, incorrerá na multa de 
valor igual a 30 (trinta) vezes o valor-de-referência regional, por empregado 
não registrado, acrescido de igual valor em cada reincidência. 
 
Resumão Legislação Trabalhista 
 
 
4
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
2. CONTRATO INDIVIDUAL DE TRABALHO 
 
\ufffd\ufffd\ufffd\ufffd É o acordo referente à relação de emprego entre EMPREGADOR e 
EMPREGADO. 
 
2.1. NATUREZA JURÍDICA 
\ufffd As autoridades administrativas e a Justiça do Trabalho, na falta de disposições 
legais ou contratuais, decidirão, conforme o caso, pela jurisprudência, por 
analogia, por eqüidade e outros princípios e normas gerais de direito, 
principalmente do direito do trabalho, e, ainda, de acordo com os usos e 
costumes, o direito comparado, MAS SEMPRE DE MANEIRA QUE NENHUM 
INTERESSE DE CLASSE OU PARTICULAR PREVALEÇA SOBRE O INTERESSE 
PÚBLICO. 
\u2022 O direito comum será fonte subsidiária do direito do trabalho, naquilo 
em que não for incompatível com os princípios fundamentais deste. 
\u2022 Serão nulos de pleno direito os atos praticados com o objetivo de desvirtuar, 
impedir ou fraudar a aplicação dos preceitos contidos na CLT; 
\u2022 O direito de ação quanto a créditos resultantes das relações de trabalho 
PRESCREVE: 
I - em 5 anos para o trabalhador urbano, ATÉ O LIMITE de 2 
anos após a extinção do contrato; 
II - em 2 anos, após a extinção do contrato de trabalho, para o 
trabalhador rural. 
 
Conteúdo do Contrato de Trabalho: As cláusulas contratuais são de livre estipulação 
entre as partes, desde que não contravenham 
 
Resumão Legislação Trabalhista 
 
 
5
aquilo que está na Lei e nos instrumentos 
normativos. 
 
Fontes do Direito do Trabalho 
 
Fontes Formais \ufffd\ufffd\ufffd\ufffd formas de exteriorização do direito; 
 
Heterônomas: impostas por agente externo (CF, Leis, Acordos, 
Decretos, Costumes, convenções, contratos de trabalho, 
sentenças normativas, regulamentos de empresas) 
 
Autônomas: pactuadas pelas partes 
 
Integração: O direito comum será fonte subsidiária do direito do 
trabalho, naquilo em que não for incompatível com os 
princípios fundamentais deste. 
 
Hierarquia: Principio da norma mais favorável ao empregado 
 
 
Fontes Materiais \ufffd\ufffd\ufffd\ufffd fatores que ocasionaram o surgimento das normas; 
 
 
 
2.2. FORMALIDADES DO CONTRATO 
 
Pressupostos para validade da contratação: