A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Adg2   Educação Inclusiva

Pré-visualização|Página 1 de 4

Educação Inclusiva (/aluno/timeline/index/2
Adg2 - Educação Inclusiva
(/notific
Avaliar
Informações Adicionais
Período: 11/02/2019 00:00 à 09/06/2019 23:59
Situação: Cadastrado
Protocolo: 357110357
a)
b)
c)
d)
e)
1)
2)
"No mês passado, quando eu perguntei o que era uma borboleta, minhas amigas trouxeram muitas
para mim. Colocaram as borboletas nas minhas mãos, fizeram com que eu sentisse suas asas delicadas e
depois me ajudaram a soltá-las... E eu sei que elas voaram para bem longe, felizes e livres". (SECCO, 2005,
p.11)
Fonte: SECCO, Patrícia Engel. A felicidade das borboletas. São Paulo. Melhoramentos, 2005.
A frase da personagem Marcela, da obra de Patrícia Secco, traz um relato de quando a experiência lhe
permitiu conhecer as borboletas.
Com base no texto, analise as afirmativas:
I. Para uma criança cega, as experiências táteis são fundamentais, pois contribuem para os processos de
ensino e aprendizagem.
II. As interações sociais contribuem para o desenvolvimento das crianças cegas.
III. A personagem é cega e demonstra conhecer e visualizar o mundo por meio do tato.
IV. O auxílio deve ser evitado, pois compromete a autonomia das crianças cegas.
Alternativas:
As afirmativas II, III e IV estão corretas.
As afirmativas I, II e III estão corretas. Alternativa assinalada
As afirmativas II e IV estão corretas.
As afirmativas I e III estão corretas.
Apenas a afirmativa III está correta.
"Vc repórter: mesmo após ficar cego, médico de SC não abandona a profissão".

a)
b)
c)
d)
e)
3)
Em 1985, o então jovem e recém-casado Wilson Alves de Oliveira sofreu um grave acidente automobilístico
em Santa Catarina. Foi diagnosticado com traumatismo cranioencefálico, perda do olfato e da visão. Ficou
internado na UTI, realizou uma série de cirurgias e se submeteu a meses de readaptação à nova realidade.
Hoje, com 56 anos, continua exercendo sua profissão de médico e conta orgulhoso que muitos dos
pacientes que atende diariamente pelo SUS de Blumenau ou em sua clínica particular, que sequer reparam
que ele é deficiente visual".
Fonte: SILVA, Jaime Batista. Vc repórter: mesmo após ficar cego, médico de SC não abandona a profissão.
Adaptado. Disponível em: < http://noticias.terra.com.br/brasil/vc-reporter-mesmo-apos-ficar-cego-medico-
de-sc-nao-abandona-a-profissao,e325813ba8c7f310VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html
(http://noticias.terra.com.br/brasil/vc-reporter-mesmo-apos-ficar-cego-medico-de-sc-nao-abandona-a-
profissao,e325813ba8c7f310VgnVCM10000098cceb0aRCRD.html)>. Acesso em 1 de fev. de 2019.
O médico Wilson superou as barreiras da deficiência e, após passar por reabilitação em uma instituição
especializada, continuou a atuar na sua profissão.
Com base no texto é correto afirmar que:
I. A superação envolve, inicialmente, aspectos emocionais relativos à aceitação da nova condição sensorial.
II. O trabalho de reabilitação em instituições especializadas é fundamental para desenvolvimento da
autonomia.
III. O médico continuou atuando, porém com auxílio constante de outro profissional da área, pois perdeu
sua autonomia.
IV. A confiança e a credibilidade dos pacientes, auxiliaram no processo de readaptação na profissão.
Assinale a alternativa correta.
Alternativas:
As afirmativas I, II, III e IV estão corretas.
As afirmativas I, II e IV estão corretas. Alternativa assinalada
As afirmativas II, III e IV estão corretas.
As afirmativas I e III estão corretas.
As afirmativas II e IV estão corretas.
"Professora surda dá aulas na mesma escola (de surdos) em que estudou".
Em um tempo em que a tônica dentro de sala de aula é a da integração entre alunos deficientes e não-
deficientes, uma professora surda defende que, pelo menos em relação às crianças surdas, a educação
deve ser feita de maneira separada. Não completamente. Mas, no ensino básico, a professora Thais Ribeiro
de Oliveira Ferreira, 28, afirma que é fundamental a criança ser ensinada, primeiramente, em Libras, a
língua brasileira de sinais para, depois, aprender o português.Pode parecer estranho, mas se tratam, de
fato, de duas línguas distintas. E as diferenças não estão apenas no fato de uma ser oralizada ou sonora e a
outra gestual. Há muito mais para se levar em consideração.

a)
b)
c)
d)
e)
4)
VALLELA, Thiago. Professora surda dá aulas na mesma escola (de surdos) em que estudou. Disponível em: <
http://educacao.uol.com.br/noticias/2015/06/06/professora-surda-da-aulas-na-mesma-escola-de-surdos-
em-que-estudou.htm (http://educacao.uol.com.br/noticias/2015/06/06/professora-surda-da-aulas-na-
mesma-escola-de-surdos-em-que-estudou.htm)> Acesso em 1 de fev. de 2019.
A professora Thais, passou por processos de inclusão e agora, contribui para o processo de inclusão dos
seus alunos. Ao defender o ensino da Libras para as crianças, a professora está provocando reflexões sobre
as metodologias aplicadas com esses alunos. Dessas metodologias é correto afirmar que:
Assinale (V) para verdadeiro e (F) para falso.
( ) O oralismo objetiva ensinar o surdo a falar.
( ) A comunicação total objetiva ensinar o surdo a falar, ler e escrever em Português.
( ) O bilinguismo defende o uso da língua de sinais e do Português, como duas línguas distintas.
( ) O bilinguismo defende a Libras como primeira língua do surdo e o Português como segunda.
Agora, assinale a alternativa que apresenta a sequência CORRETA:
Alternativas:
V - V - F - F.
F - V - V - F.
V - F - V - V. Alternativa assinalada
F - V - F - V.
V - V - V - F.
"Tecnologia Assistiva é um termo ainda novo, utilizado para identificar todo o arsenal
de Recursos e Serviços que contribuem para proporcionar ou ampliar habilidades funcionais de pessoas
com deficiência e, consequentemente, promover Vida Independente e Inclusão". No Brasil, o Comitê de
Ajudas Técnicas - CAT (http://portal.mj.gov.br/corde/), instituído pela PORTARIA 142, DE 16 DE
NOVEMBRO DE 2006
(http://portal.mj.gov.br/corde/arquivos/doc/PORTARIA%20institui%20comit%C3%AA%20de%20ajudas%20t%C3%A
%20revisada31.doc) propõe o seguinte conceito para a tecnologia assistiva: " Tecnologia Assistiva é uma área
do conhecimento, de característica interdisciplinar, que engloba produtos, recursos, metodologias,
estratégias, práticas e serviços que objetivam promover a funcionalidade, relacionada à atividade e
participação de pessoas com deficiência, incapacidades ou mobilidade reduzida, visando sua autonomia,
independência, qualidade de vida e inclusão social" (SARTORETTO; BERSCH, 2018).
Fonte: SARTORETTO, Mara Lúcia. BERSCH, Rita. Assistiva: tecnologia e educação. 2018. Disponível em:
http://www.assistiva.com.br/tassistiva.html (http://www.assistiva.com.br/tassistiva.html) Acesso em 1 de fev.
de2019.
Os recursos de tecnologia assistiva são fundamentais para a inclusão de crianças com deficiência física.
Entre esses recursos estão:
I. Auxílio em Atividades de Vida Diária: materiais e produtos para auxílio em tarefas rotineiras tais como
comer, cozinhar, vestir-se, tomar banho e executar necessidades pessoais, manutenção da casa etc.
II. Auxílios de Mobilidade: cadeiras de rodas manuais e motorizadas, bases veis, andadores,
scooters
de
3 rodas e qualquer outro veículo utilizado na melhoria da mobilidade pessoal.
III. Comunicação Aumentativa e Alternativa: recursos, eletrônicos ou não, que permitem a comunicação
expressiva e receptiva das pessoas sem a fala ou com limitações da mesma.