126 Pegadinhas em Língua Portuguesa
69 pág.

126 Pegadinhas em Língua Portuguesa


DisciplinaComunicação Empresarial I6.404 materiais50.463 seguidores
Pré-visualização12 páginas
fica assim: 
A famosa modelo posou durante toda a tarde de ontem. 
 
 
 
 
www.softwareebookecia.com Página 38 
 
Pegadinha 69 
O homem sequer foi admitido no emprego. 
 
Sequer é uma palavra que deve sempre ser antecedida de negativa. Exemplos: 
Tomou a decisão sem sequer nos avisar. (INCORRETO: Tomou a decisão sequer nos 
avisar.) 
Não fez sequer o mínimo que havíamos combinado. (INCORRETO: Fez sequer o 
mínimo que havíamos combinado.) 
O contribuinte nem sequer foi notificado. (INCORRETO: O contribuinte sequer foi 
notificado.) 
Nesta seção de dicas de português para concursos, o correto seria escrever a frase inicial 
da seguinte maneira: 
O homem nem sequer foi admitido no emprego. 
 
Pegadinha 70 
É hora dele aparecer. 
 
O sujeito não pode ser preposicionado. Frase com sujeito preposicionado é muito 
comum na linguagem inculta com sujeitos de verbos no infinitivo. Veja os exemplos a 
seguir: 
 CERTO \u2014 É hora de eu aparecer. 
 ERRADO \u2014 É hora deu aparecer. 
 CERTO \u2014 No dia de ela chegar, vou ficar muito contente. 
 ERRADO \u2014 No dia dela chegar, vou ficar muito contente. 
 CERTO \u2014 Chegou a hora de a onça beber água. 
 ERRADO \u2014 Chegou a hora da onça beber água. 
A frase inicial, depois da correção, fica assim: 
É hora de ele aparecer. 
 
 
 
www.softwareebookecia.com Página 39 
 
Pegadinha 71 
Tratam-se de assuntos que não me interessam. 
 
O sujeito da frase é indeterminado. Neste caso, a indeterminação do sujeito é feita, 
justapondo-se o pronome se \u2014 que funciona como índice de indeterminação do sujeito 
\u2014 ao verbo na terceira pessoa do singular. Portanto, o verbo está flexionado de modo 
ERRADO. A forma verbal correta é no singular "Trata". Propositadamente, colocaram-
se os demais elementos no plural, tentando confundir o leitor, levando-o a fazer a 
concordância verbal com a palavra assuntos. Assuntos é complemento do verbo tratar, e 
complemento não influencia na concordância verbal. O verbo só varia para concordar 
com o sujeito, e como este é indeterminado pelo pronome "se", o verbo não poderá 
sofrer flexão para fazer qualquer tipo de concordância, uma vez que se sabe que existe 
sujeito, mas não se sabe quem é, nem quantos são. Observe outros exemplos 
semelhantes que seguem: 
Precisa-se de carpinteiros. 
Nesta hora, apela-se para todos os meios. 
Discordou-se dos fatos. 
Falava-se de muitas coisas na assembléia. 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
Trata-se de assuntos que não me interessam. 
 
 
Pegadinha 72 
O aluno estava aguardando o professor há mais de três horas. 
 
O verbo haver deve concordar com o verbo estar. Se este estiver no imperfeito ou no 
mais-que-perfeito do indicativo, a concordância será feita com a forma havia. 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
O aluno estava aguardando o professor havia mais de três horas. 
 
 
 
www.softwareebookecia.com Página 40 
 
Pegadinha 73 
Não consegui dar conta do trabalho que levei para mim fazer em casa. 
 
Mim não pode ser sujeito. Os pronomes que assumem a função de sujeito são os 
chamados pronomes do caso reto \u2014 eu, tu, ele, nós, vós, eles. Veja os exemplos 
seguintes: 
Este casaco é para eu usar nos dias frios. (eu, sujeito do infinitivo "usar") 
Ela gosta de mim. (mim, objeto indireto da forma verbal "gosta") 
 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
Não consegui dar conta do trabalho que levei para eu fazer em casa. 
 
 
Pegadinha 74 
A perca daquele patrimônio transformou-o numa pessoa cética e amarga. 
 
Perca é a forma verbal da primeira e terceira pessoas do singular do presente do 
subjuntivo. Perda é substantivo, que, obviamente, admite ser precedido de artigo. 
Exemplos: 
Mesmo que eu perca de início, não desanimarei. (perca é verbo) 
Não me importa que o governo perca. (perca é verbo) 
A perda de um ano de estudos não o abalou. (perda é substantivo) 
Não entro nesse negócio porque quero evitar a perda de meu dinheirinho. (perda é 
substantivo) 
 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
A perda daquele patrimônio transformou-o numa pessoa cética e amarga. 
 
 
www.softwareebookecia.com Página 41 
 
Pegadinha 75 
Você paga o valor do apartamento e eu o mobilio. 
 
Assim se conjuga o verbo mobiliar, no presente do indicativo: eu mobílio, tu mobílias, 
ele mobília, nós mobiliamos, vós mobiliais, eles mobíliam. 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
Você paga o valor do apartamento e eu o mobílio. 
 
Pegadinha 76 
O motorista do ônibus deu uma freiada brusca, assustando os 
passageiros. 
 
Freiada é um grupo de religiosos denominados freis. Já, o ato de parar o carro é frear e 
essa ação chama-se freada. 
A frase inicial, depois da correção, fica assim: 
O motorista do ônibus deu uma freada brusca, assustando os passageiros. 
 
Pegadinha 77 
Evite trabalhar em regime de excessão. 
Eis um erro de ortografia. Este tipo de questão é muito explorado em provas de 
concurso. 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
Evite trabalhar em regime de exceção. 
 
 
 
www.softwareebookecia.com Página 42 
 
Pegadinha 78 
Não lhe disse nada porque o encontrei mau-humorado. 
 
Esta pegadinha nos adverte do risco de errarmos ao confiarmos no som das palavras. 
Embora homófonas na maior parte do Brasil, mau e mal têm significados e empregos 
diferençados. Mau faz oposição a bom, e mal se opõe a bem. Veja os exemplos a 
seguir: 
 mau humor ~ bom humor 
 mau cheiro ~ bom cheiro 
 mau caráter ~ bom caráter 
 mal estar ~ bem estar 
 mal afamado ~ bem afamado 
 mal-intencionado ~ bem intencionado 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
Não lhe disse nada porque o encontrei mal-humorado. 
 
Pegadinha 79 
Prefiro um emprego humilde do que trabalhar com aqueles corruptos. 
 
Deve-se preferir uma coisa a outra, e, jamais, uma coisa do que outra. Exemplos: 
Prefiro laranja a goiaba. 
Preferimos ir a ficar. 
Ela preferiu falar a ficar calada. 
 
A frase inicial, depois de corrigida, fica assim: 
Prefiro um emprego humilde a trabalhar com aqueles corruptos. 
 
 
www.softwareebookecia.com Página 43 
 
Pegadinha 80 
Cientistas provam que existe vestígios de vida em Marte. 
O verbo existir flexiona-se, como outro verbo qualquer, para concordar com seu sujeito, 
que, neste caso, é vestígios de vida. Muitas pessoas, erroneamente, dão o mesmo 
tratamento do verbo haver ao verbo existir. Realmente, o verbo haver, no sentido de 
existir é impessoal. Mas, o verbo existir é pessoal e varia, normalmente, para concordar 
com o sujeito. 
A frase acima, depois da correção, fica assim: 
Cientistas provam que existem vestígios de vida em Marte. 
 
Pegadinha 81 
A negligência nos estudos implicou em sua reprovação. 
O verbo implicar, no sentido de ter como consequência, acarretar, é transitivo direto, 
isto é, não se liga ao seu complemento por meio de preposição, mas, sim, diretamente. 
Exemplos: 
A sua dedicação aos estudos implicou a sua aprovação. 
O amor implica muitas renúncias. 
A transgressão implica multa. 
 
A frase acima, depois da correção, fica assim: 
A negligência nos estudos implicou sua reprovação. 
 
 
 
 
www.softwareebookecia.com Página 44 
 
Pegadinha 82 
O concurso está em vias de anulação. 
Só existe uma locução prepositiva na forma plural, que é a expensas de. Portanto, o 
correto é em via de. Exemplos: 
O cadastramento já está em via de descontrole administrativo. 
Esse planeta encontra-se em via de extinção. 
A frase acima, depois da correção, fica assim: 
O concurso