Manual de Aplicação do RTQ-T - v01-2014
203 pág.

Manual de Aplicação do RTQ-T - v01-2014


DisciplinaOficina Multidisciplinar33 materiais96 seguidores
Pré-visualização39 páginas
RTQ-R) 
Consumo de água: 50 litros por pessoa por dia (volume mínimo dado no RTQ-R) 
\u25ab Temperatura água fria: 20,2 °C; 
\u25ab Temperatura de consumo: 45°C; 
\u25ab Temperatura de armazenamento: 60°C. 
 
A população residente no edifício é calculada da seguinte forma: 
 
onde: 
Ntotal: número total de pessoas na edificação 
Napto: número de apartamentos do edifício 
Npessoas: número de pessoas por apartamento 
 
 
 
O volume de água consumido diariamente na edificação é calculado por: 
 
onde: 
Vconsumo: Volume de consumo diário de água a ser aquecida (litros) 
Vdia: Volume diário de água quente por pessoa 
Ntotal: número total de pessoas na edificação 
 
 
 
 
pessoasaptototal NNN \uf0b4\uf03d
pessoasdormitóriopessoassdormitórioandarporaptosandarestotalN 1282248 /.. \uf03d\uf0b4\uf0b4\uf0b4\uf03d
totaldiaconsumo NVV \uf0b4\uf03d
diaporlitrospessoasdiapessoalitrosconsumoV ..// 400.612850 \uf03d\uf0b4\uf03d
\uf028 \uf029
\uf028 \uf029
friaáguaarmaz
friaáguaconsumoconsumo
diário
TT
TTV
V
.
.
.
\uf02d
\uf02d\uf0b4
\uf03d
144 
 
 
 
 
2) Cálculo do volume pico de água quente 
Para o cálculo do volume de água quente necessário na primeira hora deve-se utilizar 
um fator de simultaneidade para se obter o volume de água quente máximo possível 
consumido durante uma hora. O fator de simultaneidade (FS) pode ser obtido 
diretamente do gráfico apresentado na Figura 2 do RTQ-R. 
 
Com o volume diário de 3.988 litros temos: 
 
 
 3) Cálculo do volume mínimo de água quente armazenada 
 
O Fator de armazenamento deve ser obtido na Tabela 3.47do RTQ-R, em função do 
volume de água quente no horário de pico (Vpico). Para o exemplo em questão temos o 
Fator de armazenamento é igual a ¼. 
 
 
 4) Cálculo do volume de recuperação 
 
 
Definido o volume necessário de recuperação do sistema é preciso calcular as 
potências dos aquecedores que atendem a estas condições. 
 
5) Determinação da potência dos aquecedores a gás natural 
 
 
\uf028 \uf029
\uf028 \uf029 litrosdiário
V 988.3
2,2060
2,2045400.6
. \uf03d
\uf02d
\uf02d\uf0b4
\uf03d
FSVV diáriopico \uf0b4\uf03d
litrospicoV 700.2\uf03d
armazpicoarmaz FVV \uf0b4\uf03d
litrosarmazV 675
4
1
700.2 \uf03d\uf0b4\uf03d
armazpicorecup VVV \uf02d\uf03d
horalitrosrecupV /025.2675700.2 \uf03d\uf02d\uf03d
\uf028 \uf029friaáguaarmazrecup TTcVQ .\uf02d\uf0b4\uf0b4\uf03d
kWQ 73,93)2,2060(001163,0025.2 \uf03d\uf02d\uf0b4\uf0b4\uf03d
145 
 
b) Aquecedores a gás classificados pelo PBE 
Os aquecedores a gás do tipo instantâneo e de acumulação devem possuir ENCE e estar de 
acordo com normas técnicas brasileiras para aquecedores a gás. Deve-se adotar a 
classificação da ENCE obtida na Tabela do PBE, considerando a última versão publicada na 
página do Inmetro, e identificar o equivalente numérico na Tabela 2.1. 
 
Verificados os pré-requisitos procede-se a determinação do nível de eficiência do sistema 
de aquecimento a gás. Duas são as possibilidades: ou os aquecedores fazem parte do 
PBE e são classificados de acordo com a sua ENCE (conforme descrito no item \u201cb\u201d 
acima); ou os aquecedores não fazem parte do PBE e sua classificação é calculada 
conforme apresentado no item \u201cc\u201d a seguir. 
 
c) Aquecedores a gás não presentes no PBE 
Os aquecedores a gás não enquadrados no item \u201cb\u201d devem ser classificados de acordo com os 
níveis e requisitos a seguir: 
\uf0b7 Níveis A e B: os aquecedores de água devem atender aos requisitos mínimos de eficiência 
apresentados na Tabela 3.48; 
\uf0b7 Nível C: os aquecedores de água devem atender aos requisitos mínimos de eficiência 
apresentados na Tabela 3.49; e 
\uf0b7 Nível D: quando o sistema não se enquadrar nos níveis acima. 
 
Tabela 3.48: Eficiência mínima de aquecedores a gás para classificação nos níveis A e B 
(Fonte: ASHRAE Standard 90.1-2007) 
Tipo de 
equipamento 
Capacidade (c) 
Subcategoria (sc) 
Eficiência mínima 
Procedimento 
de teste 
(kW) (W) 
Aquecedor de 
acumulação 
c \u2264 22,98 sc \u2265 75,5 (litros) \u2212 . . \ud835\udc38 
DOE 10 CFR 
Part 430 
c > 22,98 sc < 309,75 (W/l) . \ud835\udc38 ( \u2044 + \u221a ). \ud835\udc46 ANSI Z21.10.3 
Aquecedor 
do tipo 
instantâneo 
14,66 < c < 58,62 
309,75 (W/l) \u2264 sc < 
7,75 (litros) 
 \u2212 . . \ud835\udc38 
DOE 10 CFR 
Part 430 
c \u2265 58,62 
309,75 (W/l) \u2264 sc < 
37,85 (litros) 
 . \ud835\udc38 ANSI Z21.10.3 
c \u2265 58,62 
sc \u2265 309,75 (W/l) e sc 
\u2265 37,85 (litros) 
 . \ud835\udc38 ( \u2044 + \u221a ). \ud835\udc46 ANSI Z21.10.3 
 
 
146 
 
Tabela 3.49: Eficiência mínima de aquecedores a gás para classificação no nível C 
(Fonte: ASHRAE Standard 90.1-1999) 
Tipo de 
equipamento 
Capacidade (c) 
Subcategoria (sc) 
Eficiência mínima 
Procedimento 
de teste 
(kW) (W) 
Aquecedor de 
acumulação 
c \u2264 22,98 sc \u2265 75,7 (litros) \u2212 7 . . \ud835\udc38 
DOE 10 CFR 
Part 430 
22,98 < c \u2264 45,43 sc < 309,75 (W/l) 
 7 . \ud835\udc38 
 . + . \ud835\udc46 
ANSI Z21.10.3 
c >45,43 sc < 309,75 (W/l) 
 7 . \ud835\udc38 
 . + . \ud835\udc46 
ANSI Z21.10.3 
Aquecedor 
do tipo 
instantâneo 
14,66 < c < 58,62 
309,75 (W/l) \u2264 sc < 
7,75 (litros) 
 \u2212 7 . . \ud835\udc38 
DOE 10 CFR 
Part 430 
c \u2265 58,62 
309,75 (W/l) \u2264 sc < 
37,85 (litros) 
 . \ud835\udc38 ANSI Z21.10.3 
c > 58,62 
sc \u2265 309,75 (W/l) esc 
\u2265 37,85 (litros) 
 77. \ud835\udc38 
 7 + 3. \ud835\udc46 
ANSI Z21.10.3 
 
Onde: 
V: volume (litros); 
EF: Fator energético; 
Et: Eficiência térmica; 
Q: potência nominal de entrada (W); 
SL: perdas em standby (W), considerando uma diferença de temperatura de 38,9
o
C entre a 
água quente acumulada e as condições térmicas do ambiente interno. 
3.2.2.3 Bombas de calor 
Sistemas de aquecimento de água utilizando bombas de calor recebem eficiência de acordo 
com o coeficiente de performance (COP), medido de acordo com as normas ASHRAE 
Standard 146, ASHRAE 13256 ou AHRI 1160. O nível de eficiência é obtido através da Tabela 
3.50 e o equivalente numérico identificado na Tabela 2.1. 
Tabela 3.50: Nível de eficiência para bombas de calor 
COP(W/W) Nível de eficiência 
COP \u2265 3,0 A 
2,0 \u2264 COP < 3,0 B 
COP < 2,0 C 
 
Nas bombas de calor não devem ser utilizados gases refrigerantes comprovadamente nocivos 
ao meio ambiente (por exemplo, R22). Recomenda-se equipamentos que utilizem os gases 
R 134, R 407 ou similares. 
 
As bombas de calor não devem utilizar gases refrigerantes com Potencial de Destruição 
de Ozônio (ODP > 0), tais como os Clorofluorcarbonos - CFCs (R-11, R-12, R-13) ou 
147 
 
os Hidroclorofluorcarbonos - HCFCs (R-22, R-123) por serem prejudiciais ao meio 
ambiente. Dentre os gases refrigerantes com ODP = 0, e portanto permitidos, encontram-
se o R-134a, R-407C e o R-410A, entre outros. A Enrvironmental Protection Agency 
(EPA) dos Estados Unidos disponibiliza para consulta, uma lista de gases refrigerantes 
com os seus respectivos valores de ODPs. 
3.2.2.4 Sistema de aquecimento elétrico 
a) Aquecedores elétricos de passagem, chuveiros elétricos e torneiras elétricas 
Aos sistemas de aquecimento de água com aquecedores elétricos de passagem, chuveiros 
elétricos e torneiras elétricas é atribuída eficiência em função da potência do aparelho, desde 
que façam parte do PBE. Deve-se considerar a última versão publicada na página do Inmetro. 
A classificação dos aparelhos recebe eficiência: 
\uf0b7 D, para aparelhos com pot ncia P \u2264 4.600 W; 
\uf0b7 E, para aparelhos com potência P > 4.600 W. 
Equipamentos com potência regulável serão classificados pela maior potência. 
Equipamentos não classificados pelo Inmetro receberão classificação nível E. 
 
Um chuveiro elétrico é um exemplo de um equipamento com potência regulável. Um 
chuveiro com a chave na posição \u201cinverno\u201d utiliza sua potência máxima, enquanto com a 
chave na posição \u201cverão\u201d utiliza, em média, 70% da potência máxima. O mesmo ocorre 
para chuveiro do tipo multitemperaturas. Para a classificação