1) Apostila de Desenvolvimento humano e ciclo vital I
87 pág.

1) Apostila de Desenvolvimento humano e ciclo vital I


DisciplinaPsicologia do Desenvolvimento: Ciclo Vital1.236 materiais24.059 seguidores
Pré-visualização16 páginas
da infância. O adolescente aspira pela autonomia, mas a dependência dos pais ainda é muito necessária, porque ele se sente imaturo. Na tentativa de elaborar o luto pela dependência infantil, o adolescente manipula a afetividade. Brigando, questionando, talvez seja mais fácil a separação, mas não menos dolorosa. Enfrentar os pais é enfrentar o mundo, conquistar um espaço seu, antes ocupado por eles. Trata-se de uma verdadeira revolução no meio familiar e social, criando um problema de gerações nem sempre bem resolvido.
-Luto pelos pais da infância Durante a infância, os pais podem tudo pela criança. Na adolescência, o adolescente tem que aprender a poder tudo por ele mesmo. A dependência é a relação lógica e natural da infância. O adolescente aspira pela autonomia, mas a dependência dos pais ainda é muito necessária, porque ele se sente imaturo. Na tentativa de elaborar o luto pela dependência infantil, o adolescente manipula a afetividade. Brigando, questionando, talvez seja mais fácil a separação, mas não menos dolorosa. Enfrentar os pais é enfrentar o mundo, conquistar um espaço seu, antes ocupado por eles. Trata-se de uma verdadeira revolução no meio familiar e social, criando um problema de gerações nem sempre bem resolvido.
-Luto pela bissexualidade: O adolescente tem que elaborar o luto pela bissexualidade, que consiste na definição de um papel sexual e no exercício da sexualidade com responsabilidade. O menino tem que renunciar de forma definitiva a seu desejo de ter um bebê e a menina tem que renunciar à onipotência materna. A evolução natural deste processo, que vai do auto-erotismo até a heterossexualidade, faz o adolescente reviver todas as etapas de sua sexualidade infantil. Inicialmente, o adolescente vive o amor sincrético, porque o seu objeto de amor é ele mesmo. Será preciso um longo caminho a percorrer para que a necessidade de ser amado se funda à necessidade de amar, que a necessidade de receber se funda à necessidade de dar, de forma que ele possa viver uma sexualidade amor que transborde na direção do outro como pessoa humana, com todas as conseqüências que advêm.
Constantes flutuações do humor e do estado de ânimo: O processo de luto da adolescência é permeado pela depressão e ansiedade, substrato natural das alterações de humor dos adolescente.
MODIFICAÇÕES ORGÂNICAS OCORREM NA ADOLESCÊNCIA
- Desenvolvimento do aparelho reprodutor
- Desenvolvimento esquelético e muscular
- Crescimento pôndero-estatural
- Modificação na quantidade e distribuição de gordura corporal
- Desenvolvimento do sistema cárdio-respiratório e aumento da força e resistência
DESENVOLVIMENTO PSICOSSEXUAL DO ADOLESCENTE
O desenvolvimento psicossexual do adolescente apresenta características conforme sua fase de desenvolvimento físico e pode ser classificado em quatro etapas:
Dos 10 aos 13 anos: com o início das várias modificações físicas, geralmente há uma procura pelo mesmo sexo e inicia-se a prática da masturbação.
Dos 13 aos 15 anos: já há um domínio relativo sobre as mudanças corporais, uma procura por figuras de identificação não-parentais e canalização da energia sexual por meio de experiências homossexuais.
Dos 15 aos 17 anos: ocorre a afirmação da identidade sexual e relações entre ambos os sexos, com pouco compromisso. Nessa fase é comum o atual \u201cficar\u201d dos adolescentes (namoro corporal, sem compromisso, que vai desde beijos e toques até a relação sexual).
Dos 17 aos 20 anos: a identidade sexual já está definida, há uma maior estabilidade emocional e inicia-se a busca por um parceiro amoroso único.
Na adolescência o estirão de crescimento e a maturação sexual (desenvolvimento das gônadas, órgãos de reprodução e caracteres sexuais secundários) são fenômenos desencadeados conjuntamente, iniciando-se mais cedo nas meninas, habitualmente entre os 8 e 13 anos, e uns dois anos mais tarde nos meninos. Em média, as meninas crescem até 8 cm por ano e os meninos de 10 a 12 cm por ano, durante o estirão. A maturação sexual é avaliada pelo estadiamento puberal de Tanner.
	
 A transformação do corpo coloca o adolescente diante da inevitabilidade das mudanças e da perda de sua condição de criança: \u201ctenho de agir como um adulto, de acordo com o meu corpo\u201d.
SÍNDROME DA ADOLESCÊNCIA NORMAL (SAN)
A SAN constitui um conjunto de características do desenvolvimento psico-emocional do adolescente que são normalmente esperadas durante essa fase da vida. São elas: busca de si mesmo, separação progressiva dos pais, tendência grupal, evolução da sexualidade, desenvolvimento de pensamento abstrato, capacidade de fantasiar, necessidade de intelectualizar-se, crises religiosas, vivência temporal singular, atitude social reinvidicatória, manifestações contraditórias de conduta e flutuações de humor.
ADULTO JOVEM- 20 AOS 40 ANOS
Essa fase compreende um período da vida que vai dos vinte aos quarenta anos de idade, caracterizando-se como uma etapa de muita força e vitalidade do ser humano. Porém, o indivíduo adulto jovem se encontra em um processo de afirmação e testagem de seu potencial, frente aos enfrentamentos sociais e pessoais.
DESENVOLVIMENTO FÍSICO DO ADULTO JOVEM
Na fase adulta jovem ou juventude, com relação aos aspectos físicos, a pessoa se encontra no auge das estruturas intelectuais e morais. Por volta dos 25 anos, há uma diminuição das mudanças fisiológicas, pois as funções do corpo já estão desenvolvidas. Na realidade pode se afirmar que as funções corporais se encontram plenas, a força muscular está no seu ponto máximo, bem como a agudeza sensorial. Quanto a estatura, os homens costumar atingir estatura máxima por volta dos 21 anos e as mulheres, em torno dos 18 anos.
O adulto jovem geralmente faz parte do grupo mais saudável da população. Por outro lado, as maiores causas da morte nesse período são principalmente acidentes e atos de violência, como homicídios ou suicídios. 
Se nessa fase ocorre o auge da vitalidade física, por que há tantos casos de infertilidade? Os estudos e as pesquisas sobre a vida adulta ainda são muito recentes, e, nesse sentido, já é notória a necessidade de uma ampliação dos mesmos. No entanto, pode-se afirmar que o estilo de vida (exercícios, alimentação, sono etc.), o avanço da medicina, a ausência de guerras, melhores condições sanitárias e políticas de natalidade são fatores que ao longo do desenvolvimento humano interferiram positiva e negativamente nos diferentes eixos do ciclo vital. Assim, parece-nos que a ampliação dos estudos e das pesquisas na fase adulta passa a ser cada vez mais importantes para a compreensão sobre os fenômenos que nela ocorrem, a fim de que se saiba a melhor maneira de intervir.
DESENVOLVIMENTO COGNITIVO DO ADULTO JOVEM 
O raciocínio sobre questões religiosas é um aspecto do desenvolvimento cognitivo adulto, que tem despertado interesse em alguns pesquisadores. Tal como a moralidade, a fé é mais do que um processo cognitivo: ela envolve a pregação e provém da experiência e da educação religiosa. E como todas as formas de raciocínio e análise, a fé não é estática, mas se modifica com a vida e com os valores, sofrendo transformações à medida que a experiência se acumula (BERGER, 2001, p. 321). 
Esse período se caracteriza pelo auge das estruturas intelectuais. Além disso, geralmente se dá o início do trabalho e dos estudos superiores. Nesse momento, muitas pessoas começam a modelar seu projeto de vida, sua vocação, colocando suas decisões à prova ou alterando seu plano de vida. Griffa e Moreno (2001) apresentaram um estudo longitudinal, em que acompanharam 300 estudantes com idades entre 25 e 35 anos. Os resultados apontaram para \u201cuma tendência a se adaptar ao meio social, dedicar-se ao trabalho e à família\u201d. Outro aspecto importante observado é que essas pessoas apresentaram \u201cpouca autorreflexão\u201d e dedicação às atividades individuais; por outro lado, tiveram \u201cmaior autoexigência e menor autossatisfação\u201d. Percebe-se que a maioria dos adultos jovens tem a necessidade de impor-se, expandir-se, com vistas ao êxito, à ascensão
Liliany
Liliany fez um comentário
Vocês conseguiram as referências?
0 aprovações
Eduardo
Eduardo fez um comentário
qual a referência bibliográfica da Rosa 1994 ?
0 aprovações
Thamires
Thamires fez um comentário
Preciso referenciar o arquivo, poderia me passar os dados de referência?
0 aprovações
Edna Cristina
Edna Cristina fez um comentário
Teoria do apego
0 aprovações
Cristiane
Cristiane fez um comentário
basta abrir e clicar em download
0 aprovações
Carregar mais