A Astrologia do Karma - Pauline Stone
266 pág.

A Astrologia do Karma - Pauline Stone


DisciplinaAstrologia611 materiais2.093 seguidores
Pré-visualização50 páginas
as dores do parto da Nova 
Era, e, da mesma forma que as primeiras contrações inevitavelmente se intensificam 
até o ponto máximo antes do nascimento, os "trabalhos" da Nova Era também já estão 
em curso, e as manifestações de Urano, Netuno e Plutão devem intensificar-se, para 
que eles completem a missão que iniciaram.* 
 
 
O acordo com a energia espiritual 
 
Muita gente acha difícil entender a importância dos planetas exteriores, e é bem 
verdade que, no nível físico, os conceitos de holismo ou unificação não têm sentido. 
No plano físico não há unidade, e tampouco há igualdade num mundo em que tanta 
coisa parece totalmente injusta. Para avaliar o significado dos planetas exteriores é 
necessário haver sintonia com uma consciência espiritual, e é disso precisamente que 
tratam esses três planetas. 
Pensar em termos espirituais significa estar ciente da existência da alma além e 
acima do corpo físico. E estar consciente daquela parte do homem que é eterna, que 
sucessivamente assume muitos corpos diferentes, e que pode ser definida como um 
minúsculo e radiante ponto de luz. Ter consciência da alma é sentir um profundo 
senso de união com todos os outros seres, estejam vivos ou por assim dizer mortos, 
pois as barreiras de raça, sexo, idade e status \u2014 e até mesmo os obstáculos das três 
dimensões \u2014 são eliminados. Ter consciência da alma também é aceitar que todas as 
almas têm origem comum na fonte divina da energia do espírito. Somos realmente 
irmãos num sentido espiritual, pois partilhamos de uma origem comum. 
 
__________________________________ 
* É bem possível que esse aumento de intensidade esteja relacionado com a descoberta de Quíron 
em 1977, um "planeta" visitante do nosso sistema solar, situado dentro da órbita de Urano, e que forma, 
assim, uma ponte entre Saturno e os planetas exteriores. Está possivelmente associado ao nascimento e aos 
processos de ajuste dele decorrentes. 
 
 
Como planetas que operam no nível espiritual, Urano, Netuno e Plutão servem 
para elevar o nível de expressão da energia física dos seus correspondentes Mercúrio, 
Vênus e Marte. Assim, Urano, como vibração superior de Mercúrio, diz respeito 
primordialmente ao pensamento holístico; Netuno, como vibração superior de Vênus, 
enquadra sobretudo os relacionamentos num referencial holístico; e por fim Plutão, 
como vibração superior de Marte, lida com o direcionamento do impulso energético 
em benefício do todo e não simplesmente do eu. 
 
 
Uma questão de terminologia 
 
Podemos rotular de muitas maneiras diferentes os planetas exteriores. Se nos 
referirmos a eles como "energias coletivas", será importante vê-los como 
positivamente coletivos e não negativamente coletivos. Em outras palavras, não 
considerá-los apenas como algo abstrato, mas sim como algo que tem um propósito 
definido no tocante à unificação dos seres humanos. Por outro lado, podemos falar 
deles como mente espiritual (Urano), amor espiritual (Netuno) e força espiritual 
(Plutão), indicando uma referencia ao plano da alma e não do físico. (O termo 
"psíquico" [do grego psyche = alma] também é usado ocasionalmente.) 
Também é possível descrever esses planetas como mente universal (Urano), 
emoção universal (Netuno) e força universal (Plutão), sugerindo a função unificadora 
dessas energias e o fato de que, quando sua atuação é harmônica, elas efetivamente 
dão acesso à sabedoria (Urano), inspiração (Netuno) e força (Plutão) de natureza 
universal e, portanto, todo-poderosa. 
Uma energia universal contém em si a soma de todas as partes do todo; con-
seqüentemente, a magnitude do seu poder é quase incompreensível. Difere da energia 
planetária pessoal na medida em que esta última orienta-se basicamente para o eu e 
participa de todas as situações unicamente de um ponto de vista subjetivo, enquanto a 
energia planetária universal proporciona uma visão panorâmica capaz de analisar 
todas as partes que compõem o todo. 
De forma semelhante, a energia universal ultrapassa o mundo da matéria e faz 
entender que todos os níveis de experiência \u2014 pensamento, comunicação, emoção, 
ação \u2014 podem acontecer dentro das três dimensões mas também fora delas. 
 
 
Os planetas exteriores e a busca da graça 
 
Os planetas exteriores têm ainda outro significado quanto à capacidade de 
promover a mudança mundial. Já vimos que, ajudando-nos a moderar as exigências 
do ego, eles têm condições de contribuir para a instauração da paz e da unidade. 
Entretanto, assim como podem ser considerados os construtores do novo, também 
podem agir como destruidores do velho. Isso porque uma das mais importantes 
funções de Urano, Netuno e Plutão é libertar-nos de muito karma negativo que 
acumulamos Em vidas passadas. 
Antes da descoberta dos "três grandes", Júpiter e Saturno simbolizavam os 
limites do nosso potencial espiritual; a ignorância e a percepção limitada impendiam 
nossa libertação do karma negativo. Agora, entretanto, por intermédio de 
 
 
Urano, Netuno e Plutão, temos a possibilidade de reduzir nosso saldo kármico 
negativo pela transformação do nosso estado de percepção. Se estivermos dispostos a 
deixar o ego de lado e a trabalhar com as energias representadas pelos três planetas 
exteriores, teremos a possibilidade de nos libertar do sofrimento kármico resultante da 
preocupação com o nosso ser e do isolamento dos outros. 
Se buscarmos o caminho da "graça"* pela cooperação com os princípios de 
Urano, Netuno e Plutão, participaremos do processo de autotransformação em três 
vertentes: 
 
1. Através de Urano, acabamos descobrindo o quanto nosso pensamento tem 
de presunçoso, intolerante e cruel, e em que há necessidade de nos tomarmos 
mais receptivos aos outros. 
2. Através de Netuno, acabamos descobrindo o quanto nossas emoções são 
autocentradas, o quanto existe de autopiedade e insensibilidade no que diz 
respeito ao sofrimento dos outros, e em que há necessidade de promover 
maior sintonia com os sentimentos dos outros. 
3. Através de Plutão, acabamos descobrindo o quanto a nossa vontade é 
voltada para o benefício próprio e em que é preciso render-se à vontade 
universal. 
 
Os planetas exteriores, portanto, são energias que atuam no sentido de ajustar o 
funcionamento da mente, do coração e da vontade, e que podem ser encarados como 
fontes do poder de cura capaz de nos ajudar a superar o mal-estar interior que está na 
raiz de todas as doenças físicas. De acordo com a filosofia médica** da Nova Era, os 
momentos em que ficamos fora de cadência com a consciência universal são aqueles 
em que pode surgir a doença. Quando reintegramos o senso de preocupação pelo todo, 
os planetas exteriores promovem a nossa recuperação individual pela integridade e 
saúde do corpo. 
Em nome da exatidão, deve-se dizer que os planetas exteriores não são, em si, 
qualidades universais, mas podem ser considerados os portais dessas qualidades. 
Assim, em função do processo de aprendizado que desencadeiam em nossa vida, eles 
favorecem a sintonia com a consciência universal. Os três planetas exteriores podem 
ser vistos como um só portal para a irmandade dos homens na Nova Era, quando todas 
as almas compartilham o senso de fraternidade e manifestam essa harmonia em seus 
relacionamentos. 
 
 
 
 
 
 
 
__________________________________ 
* Neste contexto, deve-se entender "graça" como o processo pelo qual nos libertamos do sofrimento 
kármico através da regeneração espiritual. 
** Ver dr. Edward Bach, Os remédios florais do dr. Bach (Ed. Pensamento, S. Paulo, 
1990). 
 
 
6 
 
URANO: PORTAL DA 
MENTE UNIVERSAL 
Aquário e a Décima Primeira Casa 
 
Urano, vibração superior de Mercúrio, refere-se à elevação do nível de per-
cepção intelectual de forma a propiciar o entendimento da noção de unicidade, e, por 
conseguinte, da relativa insignificância do ego. Urano exige