AÇÃO POPULAR
15 pág.

AÇÃO POPULAR


DisciplinaDireito Constitucional I47.677 materiais1.329.050 seguidores
Pré-visualização1 página
AÇÃO POPULAR 
Conceito
A ação popular é uma via que permite ao cidadão recorrer a justiça na defesa da coletividade para prevenir ou reformar atos lesivos ao patrimônio público, meio ambiente consumidores e demais interesses difusos e coletivos. 
É um importante instrumento de democracia direta, visando a proteção da republica.
AÇÃO POPULAR 
O art. 5.°, LXXIII, da Constituição Federal proclama que qualquer cidadão é parte legítima para propor ação popular que vise anular ato lesivo ao patrimônio público ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural.
Lei 4.717/1965 sendo recepcionada pela Constituição através de Emenda Constitucional.
 
AÇÃO POPULAR 
Finalidade
	Ação que é visa anular o ato lesivo causado ao patrimônio publico ou de entidade de que o Estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural, sujeitando o causador, direto ou indireto, do dano à reparação do mesmo e às perdas e danos que seus atos ou omissões tiverem causado, somado ao fato de que o cidadão autor é, na verdade, um substituto processual, ou seja, atua em nome da coletividade, exercer a função fiscalizatória do Poder Público, com base no princípio da legalidade dos atos administrativos e o patrimônio do povo.
 
AÇÃO POPULAR 
 
Regulada pela Lei nº 4.717/65, é um meio direto de exercício da democracia, que permite ao cidadão fiscalizar e controlar a gestão da coisa pública, favorecendo participação efetiva na vida política do Estado. Nessa ação, o cidadão não está buscando proteger um interesse subjetivo individual, mas um direito de toda a coletividade, visando à anulação de um ato lesivo ao meio ambiente, moralidade administrativa, patrimônio público, etc.
AÇÃO POPULAR 
Requisitos
 São dois os requisitos para o ajuizamento da ação popular:
requisito subjetivo
requisito objetivo
AÇÃO POPULAR 
Objeto
   O Inciso LXXIII da art. 5º da CF de 1988 ampliou de forma considerável o objeto da Ação Popular é o ato ilegal ou imoral e lesivo ao patrimônio público ou entidade de que o estado participe, à moralidade administrativa, ao meio ambiente e ao patrimônio histórico e cultural.
AÇÃO POPULAR 
Objeto
Quem pode ser alvo de uma Ação Popular:\u200b
empresas públicas.\u200b
serviços sociais autônomos.\u200b
instituições ou fundações para cuja criação ou custeio o tesouro público haja concorrido com mais de 50% da receita anual.\u200b
empresas incorporadas ao patrimônio da União, \u200b
Estados e Municípios.\u200b
qualquer entidade subvencionada pelos cofres públicos.\u200b
\u200b
AÇÃO POPULAR 
Objeto
Atos sujeitos a anulação por Ação Popular:\u200b
Art. 2º parágrafo único\u200b
\u200b
admissão ao serviço público remunerado em desobediência as normas legais.\u200b
operação de credito ou bancária realizada irregularmente.\u200b
empreitada, a tarefa e a concessão de serviços públicos sem concorrência\u200b
compra e venda de móveis e imóveis realizadas irregularmente por preço inferior ou superior ao real.\u200b
   A ação popular é objeto de verdadeira serventia  no combate as diretrizes aos cofre públicos.\u200b
\u200b
AÇÃO POPULAR 
Legitimação ativa
 Somente o cidadão, seja o brasileiro nato ou naturalizado, inclusive aquele entre 16 e 21 anos, e ainda, o português equiparado, no gozo de seus direitos políticos, possuem legitimação constitucional para a propositura da ação popular. Há a necessidade da juntada do título de eleitor na Petição Inicial da ação. 
AÇÃO POPULAR 
Legitimação passiva
 Os sujeitos passivos da ação popular são diversos, prevendo a Lei n.° 4.717/65, em seu art. 6.°, § 2.°, a obrigatoriedade de citação das pessoas jurídicas públicas, tanto da Administração direta quanto da indireta, inclusive das empresas públicas e das sociedades de economia mista, ou privadas, em nome das quais foi praticado o ato a ser anulado. 
AÇÃO POPULAR 
Natureza da decisão
 A natureza da decisão na ação popular é desconstitutiva condenatória, visando tanto à anulação do ato impugnado quanto à condenação dos responsáveis e beneficiários em perdas e danos. 
AÇÃO POPULAR 
Competência
 A competência para processar e julgar a ação popular será determinada pela origem do ato a ser anulado, aplicando-se as normais regras constitucionais e legais de competência. 
AÇÃO POPULAR 
Sentença e coisa julgada
 
As procedência da ação popular são:
 
invalidade do ato impugnado;
condenação dos responsáveis e beneficiários em perdas e danos; 
condenação dos réus às custas e despesas com a ação, bem como honorários advocatícios; 
produção de efeitos de coisa julgada erga omnes. 
AÇÃO POPULAR 
Sentença e coisa julgada
 	A improcedência, para se analisar seus efeitos. 
Se a ação popular for julgada improcedente por ser infundada, permanecendo válido o ato. 
Porém, se a improcedência decorrer de deficiência probatória, apesar da manutenção da validade do ato impugnado, a decisão de mérito não terá eficácia de coisa julgada, havendo possibilidade de ajuizamento de nova ação popular com o mesmo objeto e fundamento, por prevalecer o interesse público de defesa da legalidade e da moralidade administrativas, em busca da verdade real.
AÇÃO POPULAR 
Sentença e coisa julgada
 	 Em ambas as hipóteses de improcedência, ficará o autor, salvo comprovada má-fé, isento de custas judiciais e do ônus da sucumbência.
 A ratio dessa previsão constitucional é impedir a utilização eleitoreira da ação popular, com objetivos político-partidários de desmoralização dos adversários políticos, levianamente.