A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
57 pág.
RESPONSABILIDADE SOCIAL Slides de Aula – Unidade I

Pré-visualização | Página 1 de 3

Responsabilidade Social
UNIDADE I
Prof. Flavio Martin
 Apresentar uma visão crítica da gestão socialmente responsável.
 Discutir impactos e consequências.
 Mostrar como empresas podem desenvolver investimentos sociais alinhadas aos 
processos e às estratégias.
 Discutir sustentabilidade.
 Apresentar certificações e prêmios da área.
 Discutir questões ligadas à ética empresarial no 
seu dia a dia.
Objetivos da disciplina
 Em 2050, os oceanos terão mais plástico do que peixes, medido em peso.
 Em Mariana, MG, um dique rompeu e milhares de toneladas de lama com resíduos 
de mineração foram espalhados. 
Uma fábrica de papel gera uma grande quantidade de água poluída no processo 
industrial. Todas as fábricas fazem o tratamento adequado?
Há trabalho escravo ou ilegal na produção de roupas e outros produtos? E a matéria-
prima vem de onde? 
 O lixo domiciliar vai para onde? São mais de 80 milhões 
de toneladas por ano no Brasil!
Introdução
 Isso não é coisa de “ecochato”.
 Esses assuntos são levados em consideração por governos, 
empresas e consumidores.
Trata-se de gerenciar os recursos finitos do nosso planeta:
 2030: 8,6 bilhões de habitantes
 2050: 9,8 bilhões de habitantes
 2100: 11 bilhões de habitantes
 Vamos cuidar da nossa casa?
Introdução
 Vamos chamar Responsabilidade Social Empresarial de RSE.
Para o Instituto Ethos, RSE é uma forma de gestão de empresas com:
 ética e transparência da empresa com todos os públicos; 
 metas compatíveis com o desenvolvimento sustentável da sociedade;
 preservação de recursos para as gerações futuras;
 respeito à diversidade;
 incentivo à redução das desigualdades sociais.
Conceitos e histórico
 Porém... a maioria dos gestores ainda pensa diferente!
 Friedman (1962), na análise econômica neoclássica, reforçava a obrigação dos 
administradores em aumentar o valor do acionista. E só. Necessidades sociais são 
do Estado, segundo ele!
Conceitos e histórico
 RSE não é caridade. Uma empresa fazer doações não é uma “forma de gestão”, e 
sim uma ação assistencialista na forma de caridade.
 RSE não é cumprir obrigações legais nem oferecer benefícios aos empregados por 
causa de negociação trabalhista.
Conceitos e histórico
 Pirâmide de Carroll (1979)
Conceitos e histórico
Responsabilidades
filantrópicas
Ser uma boa cidadã corporativa
Melhorar a qualidade de vida
Responsabilidades éticas
Ser ética
Obrigação de fazer o que é certo, correto e justo
Responsabilidades legais
Obedecer às leis
Obedecer às regras do jogo
Responsabilidades econômicas
Ser lucrativa
A fundação pela qual todas as outras responsabilidades estão assentadas
 Século XVIII – o Estado cuidava das ações sociais e as empresas cuidavam de ter 
lucros para criar empregos e pagar impostos. Essa visão existe até hoje!
Entre 1900 e 1960, o mundo dos negócios começa a mudar: 
a) Quebra da Bolsa de Nova Iorque em 1929, Grande Depressão da 
década de 1930.
b) Lucros exorbitantes, ira da população, empresas precisam de boa imagem.
c) Avanço das ciências administrativas.
Evolução histórica 
Entre 1960 e 1980, a turbulência social muda drasticamente os negócios:
 Direitos civis – movimento negro, feminismo, pacifismo (EUA).
 Direitos estudantis e trabalhistas (França, Alemanha e Itália).
 Liberalização política (na Tchecoslováquia). 
 Germe da mudança: reivindicações sociais impactam o mundo dos negócios.
 Zeitgeist: espírito de um tempo.
 Além de revoluções sociais e políticas... inovações tecnológicas!
Evolução histórica 
 Milton Friedman, economista respeitado, era defensor do livre mercado com 
intervenção mínima do Estado. Ele dizia: as organizações não têm condições de 
analisar os problemas sociais e ambientais.
 Havia a ilusão que os recursos naturais eram infinitos!
 A Teoria Econômica Convencional aborda apenas a alocação de recursos 
escassos; então, recursos naturais não eram vistos como fatores limitantes...
Evolução histórica 
Ventos da mudança: 
 Sociedade mais exigente de direitos.
 Evolução tecnológica.
 Evolução das teorias de gestão empresarial. 
 Descoberta da finitude dos recursos naturais.
 O liberalismo contribuiu para o crescimento econômico, mas evidenciou o lado 
ruim da atividade empresarial: poluição, degradação, disparidade social etc.
Evolução histórica 
Eventos históricos que contribuíram para os ventos da mudança: 
 1973: OPEP, aumento do preço do petróleo em mais de 400%.
 1979: crise política no Irã, aumento do preço do petróleo de 160%.
 1984: tragédia de Bhopal, vazamento tóxico Union Carbide, 13 mil mortes.
 1986: Rússia, explosão de reator da usina nuclear de Chernobyl.
 1989: Alasca, encalhe do navio Exxon Valdez, 40 milhões de litros de petróleo 
vazaram, contaminando uma área de 250 km2.
Recursos finitos e responsabilidade ambiental: 
Friedman estava certo?
Evolução histórica 
 Fase das empresas terem equipamentos de controle de poluição mesmo que não 
fossem tão eficientes.“Estamos fazendo nossa parte!”
 Porém... equipamentos caros de manter transformam a situação: controle 
ambiental tem de ser eficiente e eficaz! 
 Surge a Gestão Ambiental.
Evolução histórica 
 A preocupação ambiental era só uma reação e passa a ser uma ação planejada e 
orientada para os propósitos organizacionais!
Contribuição direta das ONGs, que cresceram muito ao longo do tempo:
Evolução histórica 
Ano Nº de ONGs internacionais
1956 1.000
1960 1.200
1970 3.200
1980 8.300
1990 18.000
1998 32.000
Nelson (1998) estabeleceu três eixos de atuação:
1 - Atuando eticamente nas atividades produtivas (políticas de RH, cooperação 
tecnológica, gestão ambiental, apoio a fornecedores e distribuidores etc.);
2 - Fazendo investimento social (doações, voluntariado empresarial, marketing
social, desenvolvimento comunitário etc.);
3 - Contribuindo no debate sobre políticas públicas (políticas fiscais, educacionais, 
produtivas, ambientais etc.)
Há mais: filantropia individual de acionistas, patrocínios 
de ações do Terceiro Setor, campanhas voltadas a uma 
causa, incentivo a funcionários e fornecedores se 
engajarem em ações sociais etc.
Formas de atuação em RSE
Filantropia
 Desprendimento, generosidade para com outrem; caridade.
 Feita por empresas é assistencialismo. Pode ser recorrente ou eventual.
 Não é considerada importante para os objetivos organizacionais. 
 Na prática reduz os efeitos, mas não ataca as causas.
Formas de atuação em RSE
Empresa cidadã ou cidadania corporativa 
 Acrescenta ações internas às externas de RSE. 
 Ações junto a colaboradores e clientes internos, criando um ecossistema sadio 
para as atividades de trabalho.
 A cidadania empresarial tem condições de ser considerada uma etapa mais 
avançada da Responsabilidade Social.
 Cidadania corporativa: Samsung, PepsiCo e IBM.
Formas de atuação em RSE
Qual das alternativas é falsa? 
a) Milton Friedman era defensor do livre mercado com intervenção 
mínima do Estado.
b) Filantropia é considerada importante para os objetivos organizacionais.
c) Entre 1960 e 1980, a turbulência social muda drasticamente os negócios.
d) Cidadania corporativa junta ações internas e externas de RSE.
e) RSE não é caridade.
Interatividade 
Desenvolvimento sustentável
 1987: Comissão Mundial sobre Meio Ambiente e Desenvolvimento da ONU.
 Relatório Nosso Futuro Comum, visão crítica do modelo de desenvolvimento do 
países ricos e pobres.
 Desenvolvimento sustentável é um processo de transformação em que recursos, 
investimentos, desenvolvimento tecnológico e mudança institucional são 
convergentes utilizando