Resumo Protese Fixa PF- Protese Fixa - Odontologia
18 pág.

Resumo Protese Fixa PF- Protese Fixa - Odontologia


DisciplinaPrótese Fixa910 materiais9.864 seguidores
Pré-visualização7 páginas
Resumo Odontologia - José Henrique N. S. Junior - Whatsapp 69 99238-0142
20
Resumo Odontologia - José Henrique N. S. Junior - Whatsapp 69 99238-0142
52
PROTESE FIXA
Elementos constituintes de uma prótese parcial fixa.
OBJETIVOS DE UMA PPF:
Atuar como elemento terapêutico, restaurando e
mantendo a saúde do sistema estomatognático,
devolvendo:
> conforto;
> proteção;
> estética;
> função;
>durabilidade;
CLASSIFICAÇÃO DAS PRÓTESES PARCIAIS FIXAS:
> quanto ao número de elementos (unitária ou composta);
> quanto ao sistema de conexão (rígido ou semi-rígido);
> quanto à localização no arco (posterior, anterior, mista);
> quanto à forma da estrutura (reta ou angulada);
> quanto ao material (metálica, metaloplástica, metalocerâmica, cerâmica, plástica e cerômeros).
Elementos constituintes:
> biológicos (suporte, espaço protético);
> mecânicos (retentor, pôntico, conector, dentes pilares).
Elementos biológicos:
Suporte: Elemento dental que será preparado para suportar a prótese.
Características dos dentes pilares:
> numero e a forma em proporção com a área que a prótese preencherá;
> posição deve ser adequada;
> inserção óssea deve ser levada em conta, tanto quanto a mobilidade (que requer tratamento e cuidados
intensivos, e um prognostico com maior assistência);
> inclinação;
> quantidade de tecido sadio;
> restaurações;
> cáries;
> tratamentos endodônticos;
> proximidade das raízes.
A proporção coroa/raiz deve ser de 1/3 pra coroa e 2/3 pra raiz em espaço ósseo, no máximo com
valores iguais (1/2 pra cada), mas nunca com valores de raiz em espaço ósseo menor que da coroa.
Espaço protético: Espaço situados entre os pilares ou onde foram perdidos os dentes naturais. Esse
espaço é dividido em extensão, altura e forma de rebordo.
Elementos mecânicos:
Requisitos biológicos:
> biocompatibilidade,
> restaurar a função,
> facilidade de higienização,
> estética e conforto,
> preservação de rebordo e periodonto.
Requisitos mecânicos:
> resistência,
> rigidez;
> durabilidade.
Retentor:
Fixação do aparelho protético. Tipos de retentores/preparos:
> restauração metálica fundida (rmf);
Resumo Odontologia - José Henrique N. S. Junior - Whatsapp 69 99238-0142
Resumo Odontologia - José Henrique Nascimento Souza Junior - WhatsApp 69 99238-0142 facebook.com/jrbahia @Drdentista1
53[ 53 ]
> coroas parciais (peça protética, que cimentada extra-intra-coronariamente, restaura mais de três faces);
> coroas totais (peça protética que cimentada extra-coronariamente, envolve todo o remanescente dentário).
Tipos de retenção:
> intra-coronária;
> extra-coronária;
> extra-intra-coronária;
> intra-radicular.
Pôntico:
Elemento suspenso que substitui o dente perdido. Classificação:
> quanto à localização (intercalares e extremo livre - cantilever);
> quanto à forma (sela, plano inclinado, ogival, higiênico).
> limite dos pônticos (vestibular, língua, proximais, oclusal);
> seleção dos pônticos (retentor, estética, altura gengivo-oclusal e comprimento mésio-distal da área edêntua,
contorno e reabsorção do rebordo).
> requisitos (forma, adaptação, resistência, volume, desgaste, limpeza, biocompatibilidade, oclusão, estética
e forças paralelas).
Conector:
Responsável pela união do retentor ao pôntico, podendo ser rígido ou semi-rígido. Também pode unir
retentor à retentor e pôntico à pôntico.
INTRODUÇÃO À PRÓTESE PARCIAL FIXA.
Durante muitos anos, o homem vem tentando, com relativo esforço e sucesso, substituir, bem como
restabelecer a normalidade das funções perdidas, através da colocação de elementos artificiais, e de utilizar
seus dentes como embelezamento estético.
Esta preocupação remonta ao século vii a. C., quando os etruscos construíam próteses fixas, empregando
lâminas de ouro para a confecção das bandas, em que os dentes perdidos eram substituídos por dentes de
animais ou dentes extraídos.
Parece verdade que o homem sempre preferiu elementos que permanecessem fixos na boca, pois, dessa
forma, aproximar-se-ia com a situação bucal normal.
Diversos materiais foram utilizados, passando pelo marfim, ossos de animais esculpidos, pedras preciosas,
etc...
Os artifícios de retenção e estabilidade para prótese fixa eram limitados pela ausência de instrumentos
rotatórios, sendo difícil a utilização de instrumentos de corte manuais, além de serem muito dolorosos, pois
naquela época, ainda não havia sido descoberta a anestesia.
CONCEITO:
São próteses dentárias os artefatos que substituem desde um único dente, até a reabilitação de toda a
dentição/oclusão de um paciente, permanecendo ligada aos dentes
Remanescentes, enquanto estiver em função.
\u201ca prótese fixa é a arte e a ciência de restaurar com metal fundido ou porcelana os dentes destruídos (ou
perdidos) e de recolocar os que faltam, mediante próteses fixas
Cimentadas.\u201d
Terminologia:
\u2022 coroa - é uma restauração protética que
reveste a superfície externa da coroa natural
(total ou parcial);
\u2022 inlay - restaurações intracoronárias de um
dente;
\u2022 inlay-onlay \u2013 restaurações que apresentam
revestimento intra e extracoronáriao, com
proteções cuspídeas/oclusal;
\u2022 overlay \u2013 restaurações extracoronárias com
proteções cuspídeas que envolvem
recobrimento de todas as faces axiais e
oclusais ;
Resumo Odontologia - José Henrique N. S. Junior - Whatsapp 69 99238-0142
Resumo Odontologia - José Henrique Nascimento Souza Junior - WhatsApp 69 99238-0142 facebook.com/jrbahia @Drdentista1
54 [ 54 ]
\u2022 faceta - restauração restrita a uma fina camada na face vestibular de um dente;
\u2022 prótese parcial fixa - próteses que substituem 1 ou mais dentes ausentes ou perdidos.
Seqüência De Preparo Para Provisórios.
Com um molar natural fixo por gesso em um copo de café, inicia-se a seqüência de preparos dentais para
receber uma coroa metálica.
1 \u2013 com uma lapiseira se demarca o sulco cervical que será a linha terminal do preparo.
2 \u2013 com a broca 1013 desgasta-se então a linha terminal já demarcada. O sulco terá aproximadamente o
tamanho da broca que é esférica.
3 \u2013 usando novamente a lapiseira, marca-se as linhas correspondentes aos sulcos de orientação em primeira
e segunda inclinação (faces vestibular e lingual) e os sulcos de inclinação oclusais.
4 \u2013 com a broca 3216 é feito o desgaste dos sulcos de orientação em primeira e segunda inclinação. A
profundidade dos sulcos corresponde à metade da broca.
5 \u2013 e usando a broca 3069 é feito o desgaste dos sulcos de orientação oclusais.
6 \u2013 então é realizado o rompimento dos contornos proximais com a broca 2200.
7 \u2013 voltando a utilizar a broca 3216, é realizado o rompimento dos sulcos de orientação em primeira e
segunda inclinação.
8 \u2013 e com a broca 3069 o rompimento dos sulcos de orientação oclusais.
9 \u2013 após a coroa for desgastada e o dente já tiver aspecto de preparo para ppf, utiliza-se da broca 1111 para
o preparo do bisel na linha terminal do preparo.
10 \u2013 para encerrar o processo, utiliza-se uma broca 4138f para alisar e retirar os arranhões na superfície do
preparo. Por fim, passa-se uma taça de borracha para o polimento.
No caso de um dente anterior, o processo é parecido, mas adaptado à forma anatômica do dente.
PRINCÍPIOS FUNDAMENTAIS DOS PREPAROS DENTAIS.
Princípios mecânicos:
Os princípios mecânicos que regem os preparos dentais são:
\u2022 retenção e estabilidade
\u2022 reforço de estrutura ou solidez da restauração
\u2022 plano de inserção
Retenção e estabilidade
\u2022 retenção é a habilidade que um preparo possui para resistir ás forças de remoção das restauração,
segundo o eixo de inserção;
\u2022 estabilidade é a propriedade que evita o deslocamento da restauração promovida por forças oclusais
oblíquas durante o ciclo mastigatório;
\u2022 a configuração geométrica de um preparo obtido através de um certo paralelismo das paredes e altura
adequada, torna a retenção e estabilidade, propriedades inseparáveis.
Os princípios fundamentais na retenção são:
\u2022 paralelismo