A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
18 pág.
ARTIGO FISCALIZAÇÃO E CONTROLE NA GESTÃO PÚBLICA 0 1332100 CORRIGIDO

Pré-visualização | Página 1 de 5

UNINTER CENTRO UNIVERSITÁRIO
GABINEIA PEREIRA DOS REIS 
FISCALIZAÇÃO E CONTROLE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 
PRAIA GRANDE
2018
GABINEIA PEREIRA DOS REIS 
FISCALIZAÇÃO E CONTROLE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 
Artigo Científico apresentado ao Programa de Pós-Graduação em Administração Pública e Gerenciamento de Cidades da Escola Superior de Gestão Pública, Política, Jurídica e Segurança do Centro Universitário Uninter, como requisito parcial à obtenção do título de especialista em Administração Pública e Gerenciamento de Cidades.
Orientadora: Prof. Eduardo Vacovski
PRAIA GRANDE
2018
FISCALIZAÇÃO E CONTROLE NA ADMINISTRAÇÃO PÚBLICA 
Gabineia Pereira dos Reis[1: Discente do Programa de Pós-Graduação em Administração Pública e Gerenciamento de Cidades da Escola Superior de Gestão Pública, Política, Jurídica e Segurança do Centro Universitário Uninter]
Eduardo Vacovski[2: Orientador de TCC no Centro Universitário UNINTER, Graduado em Direito, Mestrando em Planejamento e Governança Pública, Especialista em Direito Processual Civil, Advogado.]
RESUMO
Este artigo tem como objetivo demonstrar a importância da fiscalização para o controle orçamentário na gestão pública. A evolução na administração pública ao longo do tempo traz a transparência como uma das principais formas de promoção das atividades e competências, adotando uma perspectiva mais gerencial, o que é sustentado por medidas de fiscalização e controle das atividades públicas, direcionadas aos cidadãos. Foi realizada pesquisa descritiva a partir de revisão bibliográfica em livros sobre fiscalização e controle na administração pública, além de artigos científicos e outros trabalhos acadêmicos. Mostra-se que a Administração pública vem se adaptando conforme as novas necessidades da sociedade brasileira, adotando novos formatos administrativos mais compatíveis com a realidade contextual, o que configura uma fiscalização mais focada em princípios administrativos pautados na qualidade dos serviços públicos. Conclui-se que as medidas de controle evoluíram conforme a exigência dos cidadãos, que atualmente acompanham e cobram de forma mais atenta os representantes do governo e exercem sua cidadania mais plenamente.
Palavras-chave: Fiscalização. Controle. Administração Pública. 
INTRODUÇÃO 
A administração pública no Brasil sofreu períodos de mudanças consecutivas desde a década de 1980, período marcado por crise do Estado. 
Em sequência, o país vivenciou e precisou adequar-se à nova realidade da Globalização, modificando sua estrutura burocrática para uma abordagem gerencial, onde passaram a incidir conceitos e teorias administrativas no exercício da atividade pública, onde as políticas públicas e as atividades estatais passaram a ser pautadas por princípios administrativos modernos.
Com a evolução da sociedade no mundo global, os meios de controle e fiscalização adotados foram os relacionados a administração de empresas, sem intenção de copiar modelos administrativos, mas de inserir na administração pública meios mais eficazes para permitir a prática de novas competências e garantir maior transparência no processo administrativo das atividades públicas.
Nos últimos anos, porém, percebe-se que houve uma crise política na administração pública, o que resultou numa revisão de papéis e mecanismos das atividades e serviços públicos, a partir da descoberta de formas de corrupção e práticas ilícitas na administração pública nas esferas federal, estadual e municipal, ocasionando uma crise econômica e confirmando a necessidade de discussão sobre a fiscalização e controle na administração pública. 
Em contexto de escassez de recursos financeiros por crise econômica e política, aliado à necessidade de reestruturação da administração pública com maior transparência administrativa, questiona-se: Como realizar a fiscalização na administração pública para o controle do orçamento público? 
O objetivo geral desta pesquisa é demonstrar a importância da fiscalização para o controle orçamentário na gestão pública.
Os objetivos específicos são:
Apresentar os conceitos de controle interno e externo do orçamento público;
Investigar a história e evolução da fiscalização da gestão pública no Brasil;
Identificar os princípios legais do controle;
Mostrar as competências para o controle da gestão pública; 
Analisar os tipos de auditorias governamentais.
A justificativa da elaboração do artigo está no desejo de aprofundar o conhecimento nesta área, bem como a aplicação dos conceitos de fiscalização e controle no orçamento público como forma de obter maior eficiência da gestão das competências e dos interesses públicos, que se apresentam em ambiente complexo e diversificado de interesses políticos, institucionais e da população.
2 REFERENCIAL TEÓRICO 
	O tipo de estudo será descritivo visando à identificação, registro e análise das características, fatores ou variáveis que se relacionam com o fenômeno ou processo (PEROVANO, 2016).
	A pesquisa bibliográfica será desenvolvida com base em material científico e publicado, constituído principalmente de livros e artigos científicos.
	A classificação do tipo bibliográfica, para Gil (2010), as pesquisas bibliográficas possuem uma característica lógica: escolha do tema, prévio levantamento bibliográfico, busca de fonte, análise do material, organização coerente do assunto e a redução do assunto.
	Foram pesquisados livros sobre administração pública, assim como artigos científicos e outros trabalhos acadêmicos, como dissertações e teses, que abordam a fiscalização e o controle na administração pública.
2.1 A Evolução da Administração Pública
	Meirelles (2010) define Administração Pública como o aparelhamento do Estado para assegurar a satisfação das necessidades coletivas nos âmbitos de: segurança, saúde, cultura e bem-estar social da população. Suas funções, portanto, são: influenciar relações entre público e privado, garantir a segurança jurídica, publicidade aos atos administrativos do Estado e fiscalização. 
	Já a ação administrativa, conforme o autor, constitui-se no condicionamento de liberdade e de propriedade e exercício do poder de polícia.
	Ressalta-se que, embora haja um conceito de Administração pública, sua prática define-se sem distinção da administração de empresas privadas, pois para ambas podem ser aplicadas teorias e práticas a fim de obter a otimização no uso de recursos, para o alcance dos objetivos institucionais. O que difere são suas finalidades, ou seja, seus objetivos e resultados.
	A Administração pública brasileira fundamenta-se em alguns princípios estabelecidos no artigo 37 da Constituição Federal (CF) de 1988 que definem a estrutura de poder da União, Estados, Distrito Federal e Municípios, conforme a seguir:
Princípio da legalidade: deve ocorrer a atuação da administração em conformidade com os princípios constitucionais, a lei e o direito; 
Princípio da impessoalidade: a administração pública deverá atuar quanto ao interesse da coletividade, em regime de igualdade e impessoalidade, em favor do interesse público, sem benefícios próprios ou de terceiros;
Princípio da moralidade: a administração deve adotar a ética, moral comum e integridade conforme o contexto e os preceitos legais;
Princípio da publicidade: a administração deve publicar, ou seja, tornar público, divulgar os atos administrativos oferecendo acesso às informações;
Princípio da eficiência: a administração deve apresentar presteza, racionalidade e otimização de recursos na prestação de serviços.
De acordo com Meirelles (2010), a Administração Pública, no Brasil, apresenta divisão em Administração direta e Indireta. No primeiro tipo: o Estado exerce suas funções diretamente no exercício dos poderes da União, dos Estados, do Distrito Federal e dos Municípios. No segundo tipo, há transferência e descentralização na execução de funções pela contratação de outras entidades