A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
10 pág.
Sistema Respiratório e Seios Faciais

Pré-visualização | Página 2 de 2

 Aumento da superfície de contato com a cavidade nasal 
 Condicionadores do ar (filtrar, aquecer e umidificar) 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
 Ressonância da voz 
 Importante na modificação do tamanho e forma da face durante a 1ª e 2ª infância e no 
aumento da ressonância da voz durante a adolescência 
Divisão topográfica 
 Anteriores ou superiores 
o Seio frontal, maxilar e células etmoidais anteriores e mediais 
 Meato nasal médio 
 Posteriores ou profundos 
o Células etmoidais posteriores e seio esfenoidal 
 Meato nasal superior e recesso esfenoetmoidal 
SEIOS MAXILARES 
 Amplas cavidades aéreas localizadas no corpo das maxilas 
 Maiores seios paranasais 
Desenvolvimento 
 3º e 4 mês de vida intrauterina 
 Ao nascimento é pequena está alguns músculos acima do assoalho da cavidade nasal 
 Aos 9 anos existe nivelamento em relação aos assoalhos 
 Cresce lentamente até a puberdade 
 Com o fim da erupção dos dentes permanentes e crescimento do 1/3 medio da face e 
assoalho do seio se torna 5mm mais baixo que o assoalho da cavidade nasal 
Características 
 Tamanho variável 
 Capacidade media de 8 a 12cm³ 
 Formato de pirâmide quadrangular 
 Base: parede lateral da cavidade nasal 
 Ápice: osso zigomático 
Paredes 
1. Parede anterior 
a. Convexa e fina 
b. Estende-se da borda inferior da orbita até o processo alveolar 
c. Aloja os feixes vasculonervosos dos ramos alveolar superior anterior e médio 
2. Parede posterior 
a. Separa o seio maxilar das fossas infratemporal e pterigopalatina 
b. Abriga o feixe vasculonervoso alveolar superior posterior 
3. Parede superior 
a. Forma a orbita – o assoalho 
b. Abriga o canal infraorbital – feixe vasculonervoso infraorbital 
4. Parede inferior 
a. Assoalho do seio maxilar 
b. Intima relação com as raízes dos dentes posteriores 
c. Encontram-se os ramos terminais do plexo alveolar superior 
d. 0,5 a 1cm abaixo do assoalho da cavidade nasal 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
 Exodontias precoces podem provocar a descida do seio maxilar 
 2º molar superior – mais próximo ao assoalho do seio maxilar 
 1º molar 
 3º molar 
 2º pré-molar 
 1º pré-molar 
 Odontalgias de origem sinusal – sinusites 
 Infecção odontogênica pode causar uma sinusite 
 Comunicação bucossinusal – exodontia 
 Introdução da raiz ou dente para o interior do seio 
5. Parede medial 
a. Parede lateral da cavidade nasal 
b. Localiza-se o óstio do seio maxilar 
Drenagem: 
 Canal maxilar 
 6 a 8mm de comprimento de 3 a 5mm de largura 
 Vai de baixo para cima, de frente para trás e de lateral para medial 
 Abre-se do óstio do seio maxilar 
 Terço posterior do hiato semi-lunar no meato nasal médio 
SEIO FRONTAL 
 Localizado entre as tábuas ósseas externa e interna do osso frontal 
 Posteriores dos arcos superciliares 
 Formato de pirâmide triangular 
Desenvolvimento 
 Origem na migração das células etmoidais anteriores 
 No 1º ano de vida ainda pertence ao grupo etmoidal 
 No 2º ano de vida – osso frontal 
 4 anos – visível em radiografias 
 7 a 12 anos – rápida evolução (completa entre 14 e 20 anos) 
Características 
 Assimétrico 
 Septo ósseo que os divide do plano mediano 
 Tamanho variável 
 Pode haver agenesia 
 Capacidade media de 5cm³ 
Drenagem: 
 Ducto frontonasal 
 Hiato semi-lunar no meato nasal médio 
CÉLULAS ETMOIDAIS 
 Conjunto de pequenas cavidade aéreas – labirinto etmoidal 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
 Massa lateral do osso etmoide 
Características 
 Número irregular 
 Circunscritas por lâminas ósseas muito finas 
 Volume determinado pelo tamanho do osso etmoide 
 Capacidade de 10cm³ 
Desenvolvimento 
 A partir do 4ª mês de vida intrauterina até os 6 anos de idade 
 3 grupos 
o Anterior – até 10 células; hiato semi-lunar (meato nasal médio) 
o Media – 3 células; bolha etmoidal (meato nasal médio) 
o Posterior – 1 a 7 células (meato nasal superior) 
SEIOS ESFENOIDAIS 
 Localizados no corpo do osso esfenoide 
 Posteriormente a cavidade nasal 
Características 
 Divididas por um delicado septo ósseo 
 Assimétricos e de tamanho variável 
 Superiormente: glândula hipófise 
 Anteriormente: cavidade nasal 
 Inferiormente: nasofaringe 
 Posteriormente: parte da artéria basilar 
Desenvolvimento 
 A partir do 3º mês de vida intrauterina (pequeno recesso mucoso) 
 3 anos – radiografia 
 14 a 16 anos – completo 
Drenagem 
 Superior e posterior a concha nasal superior 
 Recesso esfenoetmoidal