A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
11 pág.
Sistema digestório

Pré-visualização | Página 2 de 3

o Óstio gastroduodenal: esfíncter verdadeiro/ pilórico 
 
INTESTINO DELGADO 
 Tem cerca de 6m de comprimento, no adulto 
 Inicia na junção gastroduodenal e desemboca no ceco 
 O intestino delgado é dividido em 3 porções: duodeno, jejuno e íleo 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
 Apresenta como características morfológicas, as pregas circulares da mucosa e as 
microvilosidades, que aumentam sua superfície de absorção 
 O jejuno e o íleo apresentam grande mobilidade no interior da cavidade abdominal, 
graças a uma prega no peritônio que vem para envolvê-los = mesentério 
DUODENO 
 Possui aspecto de C 
o Sua convexidade esta dirigida à esquerda e contorna a cabeça do pâncreas 
 São os primeiros 25cm do intestino delgado 
 Está fixado a parede abdominal posterior, estando em condição retroperitoneal 
 Dividido em 4 partes 
o Parte superior: 5cm iniciais – acompanham os movimentos da região pilórica do 
estômago. Conhecida como bulbo duodenal 
o Parte descendente: anterior aos vasos renais direitos e rim direito. Desemboca 
no ducto colédoco (proveniente do fígado e vesícula biliar) + ducto pancreático 
principal, que se unem frequentemente. Esses ductos desembocam em um 
orifício comum, que se abre na papila duodenal maior 
o Parte horizontal: inferior e horizontal, anterior à veia cava inferior, à a. aorta e 
ao m. psoas maior 
o Parte ascendente: de direção superior, passa anteriormente ao m. psoas maior 
esquerdo. O seu término é marcado por uma curvatura (angulação) anterior, 
denominada flexura duodenojejunal 
JEJUNO 
 Tem cerca de 2,5m, seguintes ao duodeno e tende para o quadrante superior 
esquerdo do abdome 
ÍLEO 
 3,5m finais do intestino delgado 
 Termina na porção inicial do intestino grosso, chamada ceco 
 A valva ileocecal é um relevo interno do ceco 
 
INTESTINO GROSSO 
 1,5m de comprimento 
 Dividido em 
o Ceco 
 Porção mais dilatada, pende o apêndice vermiforme (estrutura oca, 
alongada e muscular); Posição retrocecal 
o Colo ascendente 
 Situa-se a direita da cavidade abdominal, em que se aproxima do fígado, 
curva-se para a esquerda, formanda a flexura cólica direita (flexura 
hepática) 
o Colo transverso 
o Colo descendente 
o Colo sigmoide 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
o Reto 
 Atravessam os músculos do diafragma pélvico - limite 
o Canal anal 
 3 cm finais do intestino grosso 
 Apresenta internamente pregas verticais, as colunas anais 
 São separadas entre si por depressões, os seios anais 
 Inferiormente, as colunas anais são unidas por pequenas 
pregas (as válvulas anais) 
 Na região das colunas e seios anais, há um plexo de veias retais que, 
quando dilatadas, constituem hemorroidas 
 Diafragma pélvico: m. levantador do ânus + m. coccígeo 
 Linha pectinada: é uma linha sinuosa, interna, situada na transição reto – canal anal, que 
os divide clinicamente 
 Tênias cólicas: são como “fitas”, formadas por condensações da musculatura lisa 
longitudinal dos colos, que desaparecem ao nível do reto 
 Haustros: são como saculações 
 Apêndices omentais “epiploicos”: são pregas de peritônio contendo gordura no interior, 
presentes na região dos colos 
 
 
GLÂNDULAS ANEXAS 
Situadas ao longo do tubo digestório, que nele desembocam 
 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
GLÂNDULAS SALIVARES 
 Menores: distrubuidas na mucosa da cavidade oral 
 Maiores: formam 3 pares 
o Parótidas 
 Situada lateralmente na face e anteriormente ao pavilhão auricular 
(orelha externa) 
 Apresenta ducto parotídeo, que cruza superficialmente o m. masseter, 
em seguida perfura o m. bucinador e se abre no vestíbulo da boca, na 
altura do 2º molar superior 
o Submandibulares 
 Situada inferiormente à parótida e medialmente ao ângulo da boca 
 Apresente ducto submandibular, que atravessa o assoalho da boca e se 
abre nas carúnculas sublinguais (são duas pequenas elevações situadas 
sob a face inferior da língua, uma de cada lado do frênulo lingual 
o Sublinguais 
 Situadas inferiormente à língua 
 São drenadas para vários ductos que se abrem em uma prega em forma 
de ferradura, no assoalho da boca, a prega sublingual 
 SALIVA E SUAS FUNÇÕES 
o Limpa os dentes 
o Umidifica o bolo alimentar, facilitando sua formação e deglutição 
o Contém enzimas digestivas para carboidratos 
 
FÍGADO 
 Localizado na cavidade abdominal, à direita do plano mediano 
 É um órgão de grande volume, ricamente vascularizado e friável (muito vascularizado e 
pouco tecido conjuntivo) 
 Ele é mantido em sua posição anatômica graças aos ligamentos, que são 
desdobramento do peritônio 
 Faces do fígado 
o Diafragmática 
 Podem ser observados dois lobos, separados entre si pelo ligamento 
falciforme 
 Lobo direito - maior 
 Lobo esquerdo - menor 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
o Visceral 
 Lobo direito 
 Lobo esquerdo 
 Lobo caudado 
 Lobo quadrado 
 Entre os lobos esquerdo e quadrado, há a fissura para o 
ligamento redondo, ocupado por ele 
 Entre os lobos quadrado e direito, há a fossa para a vesícula 
biliar, que a contém 
 Entre os lobos caudado e quadrado, há o hilo ou porta hepática, 
por onde passam os elementos do pedículo hepático = artéria 
hepática própria, veia porta do fígado, ducto hepático comum, 
além de linfáticos e nervos 
 Funções do fígado 
o Armazena ferro e vitaminas 
o Transforma glicogênio 
o Faz a depuração de toxinas 
o Produz bile 
 O fígado recebe sangue venoso contendo os nutrientes absorvidos pela digestão através 
da veia porta do fígado. O sangue arterial lhe chega através da artéria hepática própria, 
que é ramo da artéria hepática comum, a qual provem do tronco celíaco (ramo da aorta 
abdominal). No interior do fígado, ocorre uma mistura entre o sangue venoso e o sangue 
arterial. Para sair do fígado, o sangue deve seguir por uma das três veias hepáticas, 
ultimas tributárias da veia cava inferior 
 
VESÍCULA BILIAR 
 Situada junto à face visceral do fígado, alojada em sua fossa. É formada por 
musculatura lisa, revestida internamente por mucosa 
 Armazena bile, concentrando-a, mas também pode reabsorvê-la 
 A partir dos hepatócitos, surgem ductos intrabilíferos 
o Eles se unem para formar os ductos hepáticos direito e esquerdo. Estes dois 
confluem para formar o ducto hepático comum, que deixa o fígado através do 
hilo hepático 
o A bile que sai da vesícula biliar o faz pelo ducto cístico, o qual se une ao ducto 
hepático comum, para formar o ducto colédoco 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
o O ducto colédoco se une ao ducto pancreático principal, para desembocar na 
parte descendente do duodeno, na papila duodenal maior 
PÂNCREAS 
 Glândula mista 
o Hormonal (endócrina) 
 Insulina e glucagon 
o Suco pancreático (exócrina) 
 Contém enzimas que digerem proteínas, carboidratos e lipídeos 
 Sai do pâncreas através do ducto pancreático principal, que se abre na 
parte descendente do duodeno = papila duodenal maior 
 Disposição transversal, localizada posteriormente ao estomago, junto à parede 
posterior do abdome, em situação retroperitoneal 
 3 partes 
o Cabeça = porção de maior volume, emoldurada pelo duodeno. A porção 
inferior da cabeça tem a forma de um gancho = processo uncinado 
o Corpo = porção mais central 
o Cauda = parte terminal e afilada, muito próxima ao baço 
 Quando há um ducto pancreático acessório, ele desemboca na papila duodenal 
menor, situada superiormente à papila duodenal maior
 
 
Paola Luiz Casteler - 182 
 
Odontologia - UFSC 
PERITÔNIO 
 Natureza serosa, transparente e delgada, com 2 folhetos 
o O folheto que reveste internamente a parede abdominal