A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
4 pág.
Transcrição RESUMO

Pré-visualização|Página 1 de 4

Paola Luiz Casteler
TRANSCRIÇÃO
O DNA de todas as células é i gual, o que diferencia cada célula é o gen e que ela vai
transcrever e a proteína que cada célula expressa.
Expressão de proteínas é imp ortante na diferenciação celular .
GENE: Pedaç o de DNA capaz de dar origem a um RNA.
O DNA tem vários genes .
Como a RNA Polimerase sabe qua l gene é para ser transcrito?
Quem ajuda são os Fatores de Transcrição (FT) – proteínas. Elas sinalizam e
auxiliam a RNA Polimerase a reconhecer a região do DNA anterior a que vai ser
transcrita, ou se ja, transformada em RNA.
Essa região anteri or é chamada de região promotora, onde o RNA polimerase
vai se ligar par a começar a produzir o RNAm. Todo gene tem uma região
promotora, e qua se todas as promotoras tem a sequência de nucleotídeos T-A-
T-A, chamada de TATABOX. Os fat ores de transcrição GERAIS ajudam a RNA
Polimerase a se ligar na região promotora.
o Os FT Gerais s ão sempre presentes no núcleo de qualquer célula.
o Se tiver vários FT Gerais sinalizando, ela pode se ligar em qualquer um,
mas não quer dizer que vai funcionar em todos.
Para a enzima RNA polimerase fun cional, precisa mudar de conformação. O
melhor jeito para isso é adicionar fosfat o que vem do ATP (Fosforilação). Os FT
Específicos fosforilam a enzima que é ativada e começa a produzir RNA m.
Os FT Específicos def inem a região do DNA que vai ser transcrito/ o RNAm que
vai ser produzido. S em eles, o RNA polimerase faz nada.
Eles podem est imular e podem reprimir
(os fatores que estimul am, por exemplo, as proteínas para ser neurônio,
reprimem as proteína s de ser outro tipo de célula. Ou seja, os FT Específicos,
são tanto estimulatórios quanto inibit órios).
1. O que diferencia uma c élula não é só o tipo de proteína, mas t ambém a
quantidade de la.
Resumo: a partir do DNA é produzido o RNA. O DNA é
aberto pela enzina RNA Polimerase, e a
partir de uma fita de DNA molde, é feita a complementar de RNA = transcrição.
Resumo: FT Geral se liga numa região promotora e sinaliza para RNA Polimerase chegar até lá.
Depois de se encontrarem, vem o FT Específico e ativa a RNA Polimerase através da fosforilação.

Paola Luiz Casteler
2. Toda biomolécula t em um tempo de meia vida. A meia v ida na biomolécula só
depende do que ela faz na célula.
a. Se a célula trabalha muito, vive m enos.
b. NÃO tem nad a a ver com FT Específico ou a taxa de transcrição dela.
Se tirar a região pr omotora de RNA não vai ser produzido, pois o RNA
polimerase não vai ter onde se l igar para começar a produção.
O DNA é flexível e pode se dobr ar, uma região que estava distante pode
interagir com a pro motora. Essas regiões são as regiões regulatórias, mas nem
todo gene tem elas.
Começo da síntese:
1. O FT Gera l vai se ligar a uma proteína para conseguir reconhecer a região TATA
BOX e se ligar na reg ião promotora. Depois, vai se ligar na RNA Polimerase. Ela
vai reconhecer essa re gião, se ligar e ficar inativa, até que os FT Específicos
fosforilem ela (ativem).
2. O RNA Polimer ase, depois de ativada, começa a separar as duas fitas de DNA e
produzir RNAm.
3. O RNA é muito instável, principalmente nas extremidades. Ele só fi ca inteiro na
célula se assumir uma confo rmação 3D ou se ligar a proteínas. Para não
degradar, à medida que é p roduzido, na região 5’ é adicionado um capacete de
guanosina, que é um nucleotíde o modificado. Na extremidade 3’ são
adicionadas muitas adeninas (cauda poli-a), pa ra demorar para degradar. RNA
está pronto para ir ao citoplasma.
4. Após o RNAm ser pr oduzido, pode ocorrer o Splicing – retirad a de uma parte do
RNA. As parte s que saem são os íntrons, e as que ficam, os éxons. Dependen do
a parte de RNA r etirada, ele produz uma proteína diferente.
a. Função do Splicing: v ariabilidade genética
b. O Spliceossomo se liga no começo, faz uma ponte molecular, corta o
RNA e liga as pontas
FT. Específi cos: podem se ligar diretamente ou estarem ligados nas regiões
regulatórias.
Qualquer RNA é produzido assim.
RNAm é produzido no núcleo e vai para o citoplasma encontrar o ribossomo.
Um grupo de pesquisadores viu que qua ndo o RNA saía do núcleo para ir para o
citoplasma, reduz ia muito o tamanho, mas nas extremidades continuavam
iguais (capacete e cauda po li-a). O que saía era o meio. Os RNA sofriam Splicing,

Paola Luiz Casteler
formavam espécies d e laços e eram removidas (íntrons), e o que ficavam eram
os éxons.
Determinada proteína t inha sempre os mesmos íntrons r etirados. Como a
célula pode control ar onde começa e termina esses íntrons? Existem RNA
pequeninos que se ligam no começo e fi m do íntron e ficam no núcleo. São os
snRNA. Um para o iní cio e outro para o fim. Quando esses RNA não estão
trabalhando, se degra dam muito fácil. Quem protege eles são as proteínas:
Ribonucleoproteína s (snRNA)
o A parte removida é mai or do que a que fica
o A cauda poli-a só ocor re depois do Splicing
TIPOS DE SPLICING – Antes d o RNA sair do núcleo:
1. SnRNA se ligam no início e no final do íntron, marca eles a proteína sr. Se liga
no início e no fi m fazendo uma ponte e aproximando as pontas. Os
spliceossomos cortam e amar ram elas, fazendo a cauda poli-a
2. O auto spli cing não usa os snRNA, proteínas, nem spliceossomos. O pré RNA se
dobra sobre ele me smo, se corta e se junta sozinho. NÃO tem variabil idade
genéti ca, sempre é igual. Restrito em alguns organismos.
Se t iver um sn RNA que reconh eceu no início de um íntron, ma s não t em outro para
sinalizar o final, as proteínas sn vão começar a formar a ponte, mas não vai achar o final,
então vai continu ar formando a ponte, até o próximo snRN A fi nal. Vai remover u m éxon
que estava no meio deles. Ou seja, vai ser um RNA formado por éxon1 + éxon3. Quando
perde um éxo n junto com os íntrons é chamado de splicing alternativo. Modo de criar
diferentes RNAm a partir de uma molécula de RNA
TIPOS DE RNA:
RNAm: leva a m ensagem para o ribossomo
RNAr: faz parte do ribossomo, ligação ent re os amino ácidos
RNAt: transpo rta os aminoáci dos do cit oplasma para o ribossomo para c omeçar a sínt ese prot eica
snRNA: small Rna , está no nú cleo, part icipa de vários eventos nuc leares, como o spli cing.
FT G Splicing alternativo (núcleo) Ribossomos + RNAt (citoplasma)
DNA RNAm PROTEÍNA
TRANSCRIÇÃO TRADUÇÃO