A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Mitocondria RESUMO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Paola Luiz Casteler 
 
MITOCÔNDRIA 
 
 Possui duas membranas com composição lipídica bem diferentes, uma se assemelha a 
das células procariontes e a outra, a da eucariontes 
 As membranas se delimitam em 2 espaços: a matriz mitocondrial delimitada pelas 
cristas mitocondriais e o espaço pelas membranas 
 Tem DNA próprio – que não tem nada a ver com o nosso DNA (o nosso é linear, das 
mitocôndrias é circular) 
 Na matriz tem ribossomos idênticos aos das bactérias 
 A mitocôndria tem DNA próprio, ou seja, consegue produzir RNA e tem ribossomos 
também, o que faz com que consiga produzir proteínas próprias 
 A membrana interna (cristas) é toda curvada porque nessa região estão proteínas que 
vao transportar nutrientes e absorver. Quanto maior a quantidade de membrana 
interna, maior a quantidade de nutrientes transportados. Maior a quantidade de ATP 
potencialmente produzido também, porque lá ficam as proteínas transmembranas. 
 O numero de cristas da membrana interna é diretamente proporcional ao ATP 
consumido 
 Proteínas transmembranosas atravessam a membrana interna, são proteínas da 
cadeia respiratória, produzem ATP 
 Antibióticos podem paralisar ribossomos mitocondriais. Pois o ribossomo mitocondrial 
é igual ao de bactérias 
 Mitocôndrias são 99% parecidas com as da nossa mãe. Estão nos ovócitos 
 Os espermatozoides têm mitocôndrias para ter ATP para batimento flagelar. Suas 
mitocôndrias entram na fecundação, mas são degradados por autofagia no ovócito. 
 Podem sofrer fissão ou fusão: 
o FISSÃO: elas não tem citoesqueleto para dividir, utiliza as próprias cristas 
mitocondriais e algumas proteínas acessórias (DRP-1 e FIS1) que se acumulam 
no meio da mitocôndria, interagem e vão dividindo, estrangulando. 
o FUSÃO: em células com maior demanda energética, tendem a se fusionar. 
Precisa haver aproximação, feita por proteína com papel semelhante a SNAREs 
(MFN1/2 e OPA1) 
 Quando uma mitocôndria está com problemas, “avisa” que não está funcionando 
expondo proteínas na sua superfície. Imediatamente, as proteínas PINK e PARKINA – 
normalmente estão no citoplasma – interagem com a mitocôndria. 
 As proteínas da superfície são ubiquitinadas com o conjunto PINK + PARKINA + 
proteínas ubiquitinadas, faz com que pequenas vesículas se juntem ao redor até 
formar uma vesícula grande. Digestão celular 
 Se a mitocôndria não avisa, no espaço entre as membranas existe a proteína 
citocromo C, que se ela for para o citoplasma, ativa o processo de sinalização que diz 
para as células que ela tem que morrer. Ou a mitocôndria é degradada ou ocorre a 
morte celular 
 
RESPIRAÇÃO CELULAR 
 Quando nos alimentamos, a glicose é degradada na glicólise 
Paola Luiz Casteler 
 
 O produto final da glicólise é o piruvato e 2 ATPs 
 A partir do piruvato tempos 2 caminhos, com ou sem oxigênio 
o SEM OXIGENIO: Piruvato vai ser convertido em ácido lático = lactato 
 O ácido lático é muito solúvel e vai se espalhar pelo corpo bem rápido, 
causando dor muscular 
o COM OXIGÊNIO: Piruvato vai ser convertido em acetil 
 O acetil vai se ligar a coenzima-A, formando a molécula ACETIL-COA. O 
acetil-coA vai entrar em uma serie de reações. 
 Primeiro ele é convertido em ácido cítrico, depois forma o ácido 
oxalacético. Outro acetil-coa continua o ciclo de reações – ciclo de 
Krebs 
 Essas reações vão gerar CO2 (liberado na respiração) e elétron. As moléculas 
transformadoras de elétrons são NADH e FADH. Vão pegar o elétron e transportar. 
Quando estão com o elétron são chamadas de NADH2 e FADH2 
 Depois do ciclo de Krebs, vem a cadeia respiratória nas cristas mitocondriais, que vai 
realizar o transporte de elétrons. Os elétrons obtidos na quebra do átomo de 
hidrogênio são transportadas através do NADH e FADH2 até o oxigênio. A medida que 
vao sendo transferidos para a cadeia respiratória, passando por proteínas os elétrons 
perdem energia. Quando eles deixam energia, as proteínas pegam essa energia e 
jogam o hidrogênio para o meio das membranas para ficar diferente a concentração 
da matriz em relação ao espaço entre membranas, afinal, a celular quer fazer ATP. 
Todos aquele hidrogênios querem entrar na matriz, eles passsam pela ATP sintase para 
formar ATP e ele entra na matriz. O eletron acha o oxigênio e forma íon O-, que são 
tóxicos (eles não deram certo), no final da cadeia, 2 conseguem se combinar com O2, 
formando H20. 
 Cadeia respiratória produz 36 ATPs por molécula de glicose 
 
Na respiração celular, o oxigênio só participa da ultima etapa, mas embora não esteja 
envolvido em nenhuma etapa do ciclo de Krebs, se houver ausência desse gás no ciclo, ele será 
interrompido 
 O acumulo de O- leva ao envelhecimento. Quanto maior a síntese de ATP, mais 
formação de radicais livres e mais chances deles escaparem. Maior atividade física, 
mais produção de agentes oxidantes. 
 Existem proteínas da crista que ao produzirem a passagem de hidrogênio, não geram 
ATP e sim calor 
o Proteínas desacopladoras ou termogênicas 
o Tecido adiposo marrom: ursos polares, bebês... 
 Se comer um pote de Nutella e ficar parado, vou ter um grande aporte de glicose, sem 
gasto de ATP. O ATP que tenho vai sobrar. Se sobrar ATP sintase, vai perceber e parar 
de funcionar, parando a cadeia respiratória. Só a formação de acetil continua. O acetil 
vai se ligar um outro acetil e formar um ácido graxo = gordura 
 Drogas que conseguem bloquear a reação da cadeia respiratória – ciunareto 
 Por que tudo para sem oxigênio? Os elétrons vao ficar presos nas bombas de H+, os 
NADH e FADH não vao conseguir descarregar o eletron e vao ficar carregados. Sem 
NADH e FADH para carregar, o ciclo de Krebs para. Sobra acetil-coa e só da pra 
transformar em lactato 
Paola Luiz Casteler 
 
 A mitocôndria produz proteínas, mas não todas que ela precisa (cerca de 1/3). As 
outras proteínas vêm da célula em si. Como vai para dentro da mitocôndria? NÃO É 
POR VESÍCULAS. Vesículas não aderem em mitocôndria. As proteínas se acoplam de 
maneira diferencial, só na membrana interna, só na externa, ou ligando as duas. 
 
 
 Por que um antibiótico bloqueia a síntese proteicas das bactérias não mata 
imediatamente as mitocôndrias: 
- Antibiótico normalmente não atravessa a MP, atua no meio extracelular – porque a 
maioria das bactérias está lá – se ele não entra na célula, não chega nas mitocôndrias. 
Uma dose errada consegue fazer parte da morte das mitocôndrias. 
 Bactérias trocam DNA entre elas por meio de pontes citoplasmáticas 
Sistema de transporte de mitocôndria: 
 Proteínas transportadoras (TOM, TIM, SAM) 
 Cada uma delas está numa localização, membrana externa, interna, Inter membranas 
ou matriz 
 Proteínas que foram produzidas pela mitocôndria só conseguem ficar na matriz 
mitocondrial ou na membrana interna, no máximo. 
 Uma dose muito elevada de antibiótico que prejudique as mitocôndrias, vai prejudicar 
a síntese de proteínas, ciclo de Krebs e cadeia respiratória de elétrons param de 
funcionar. O número de cristas mitocondriais diminui, pois sua quantidade é 
proporcional ao número de proteínas que aloja