A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
3 pág.
Transporte de Membrana RESUMO

Pré-visualização | Página 1 de 1

Paola Luiz Casteler 
 
TRANSPORTE DE MEMBRANA 
 Vai acontecer em solução aquosa, então depende de como os íons e as 
proteínas vão interagir com a água 
 Se a molécula interage com a água, tem grupamento positivo ou negativo 
 Difusão: movimentação de soluto 
 Osmose: movimentação de solvente (água), moléculas livres, quando não for 
igual dos dois lados 
 
Solução A Solução B 
1g de NaCl 2g de NaCl 
 
1. Se a membrana for permeável ao soluto, a solução A vai receber sódio e cloro, 
assim cada uma vai ficar com 1,5g de NaCl cada. O número de moléculas de 
água livre vai ser dos dois lados. Se abrir canais de água, não vai ter 
movimentação 
2. Se antes de igualar as concentrações fosse permeável a água, ela iria passar 
para a solução B, que tem menos moléculas de água livres. 
a. Coloca 1g de NaCl na solução A, não há mais movimentação de água 
 
O que passa pela membrana? 
 GASES E HORMÔNIOS ESTERÓIDES: atravessam livremente, são pequenos e 
bem relativamente hidrofóbicos, se fossem muito, não estariam na corrente 
sanguínea. 
 ÁGUA: não atravessa a M.P., mas toda M.P. possui a proteína AQUAPORINA, 
que permite o livre transito de água 
 Moléculas pequenas POLARES: Possuem o sistema de transporte que ficam 
abertos 
 Moléculas grandes POLARES: (Glicose e sacarose): tem transportadores só 
quando precisa. (se comer um pote de Nutella as células não vão se encher de glicose. Vai entrar o que precisa 
e o resto vira gordura subcutânea) 
 ÍONS: Só atravessam nas células que possuem canal iônico e em situações 
específicas. Os canais são formados por proteínas, os aminoácidos formam um 
tubo com certa carga 
 
Paola Luiz Casteler 
 
ORGANIZAÇÃO DE ÍONS DENTRO DA CÉLULA 
 Na+: pouco sódio dentro da célula 
 K+: muito potássio dentro da célula 
 
 A proteína bomba de sódio e potássio coloca Na para fora e K pra dentro e 
mantém essa diferença para criar ddp e possibilitar respostas rápidas quando 
precisar 
 Se abrir um canal de sódio, ele entra muito rápido, mas logo a bomba tira ele 
da célula. 
 A bomba gasta muita energia (33% do ATP) produzido pelo corpo 
 
 Ca+²: quase nada dentro da célula. Também possui uma bomba de Ca que 
controla. Ca entra para a contração muscular, mas tem que sair. Quando ele 
permanece, dá câimbra. 
 Fibra muscular: a acetil vai abrir o 1º canal de Na dependente de 
ligante, que vai liberar sódio e vai ocorrer todo o processo de 
neurotransmissão para liberar Ca 
 As diferenças de concentração iônica são mantidas e provocadas pelas 
bombas. A célula não está em equilibro iônico e sim osmótico. Ela faz 
força para ficar ionicamente diferente. Se abrir um canal de K, tende ao 
equilíbrio, então o K vai sair muito rápido. Isso é o gradiente 
eletroquímico 
 Criar a diferença de concentração para que tenha muita energia 
potencial e quando precise dela, atue rápido 
 Resposta quase instantânea: celular usa gradiente eletroquímico 
 Resposta demorada: célula usa ATP 
 A célula gasta mais energia para manter essa diferença de concentração 
o Dentro das células predomina cargas NEGATIVAS 
o Supondo que se abram dois canais ao mesmo tempo, um de Cl- 
e K+, qual íon vai entrar na célula primeiro: 
 O K+ porque a célula é inteiramente negativa 
 No intestino, possuem proteínas de membrana receptoras de glicose. 
Ela tem um sítio de ligação para a glicose e um para o sódio. Quando a 
glicose se liga, ocorre a leve alteração de conformação que expõem os 
sítios de ligação do Na. Quando o Na se liga, a conformação da proteína 
muda completamente, e nenhuma das duas (glicose e sódio) 
conseguem permanecer ligados a ela, pois são expulsas. 
o Com o Na entra na água e quando expulsas pela corrente 
sanguínea, a glicose é absorvida e o sódio eliminado pelo rim. 
 Desnutrição: apenas água e açúcar NÃO resolve. 
Paola Luiz Casteler 
 
o A glicose vai se ligar na proteína, mas sem o sódio, não será 
transportada. 
o A absorção de glicose e água no intestino depende do sódio 
 Diferença de potencial dentro e fora da célula: Potencial de repouso