A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
21 pág.
Arritmias e valvulopatias

Pré-visualização | Página 11 de 11

Relação P e QRS → 1:1 ou > 1:1.
Relação RP’<P’R.
Complexo QRS largo (≥ 120 milissegundos) devido à presença de:
 1. Bloqueio de ramo
 2. Condução atrioventricular e via acessória.
→ Se a causa do complexo QRS largo não puder ser determinada, assuma que se deve à taquicardia ventricular.
- Teste de esforço: avalia relação com exercício.
TRATAMENTO
Emergência:
- Manobra vagal ou adenosina IV.
- Se refratário: cardioversão sincronizada.
Crônico:
Manobra de Vasalva
Ablação
Medicamentos
SÍNDROME DE WOLFF-PARKINSON-WHITE
- É ima taquicardia por reentrada em via acessória.
- É o 2º tipo mais comum de taquicardia supreventricular paroxística, do tipo por reentrada em via acessória sendo na grande maioria ortodrômica, e raramente antidrômica, porém não é a única arritmia relacionada, tendo outras como FA (30%), flutter atrial, taqui atrial e taqui por reentrada nodal das arritmias.
- Ataques de taquicardia, com ritmo sinusal de intervalo PR curto e um padrão tipo “bloqueio de ramo”
- Tem o padrão de pré-excitação ventricular (PR curto e onda delta) no ECG em ritmo sinusal e taquicardia paroxística de repetição.
- O estímulo sinusal chega aos ventrículos precocemente através desta via, já que possui fibras de condução rápida. 
 *Por esse motivo, o intervalo PR torna-se curto (< 120ms) – “pré-excitação”. 
- A ativação dos ventrículos inicia-se pela porção de miocárdio ventricular que está conectada à via acessória. 
- Sem passar pelo sistema His-Purkinje, a ativação ventricular é conduzida pelo próprio miocárdio, portanto de forma + lenta, razão pela qual a parte inicial do QRS é “aberrante” (onda delta).
- Antes do término da ativação ventricular, o estímulo proveniente do Nódulo AV alcança os ventrículos, ativando o restante das fibras pelo sistema His-Purkinje ou seja, de forma rápida. 
- Daí a parte final estreita do QRS.
- A FA geralmente ocorre nos paciente que possuem via acessória com condução anterógrada, ou seja, com pré-excitação no ECG do ritmo sinusal. 
- É muito menos comum naqueles com via acessória oculta (somente com condução retrógrada, isto é, do ventrículo para o átrio).
- A chance de morte súbita é significativa quando o período refratário anterógrado da via acessória é inferior a 250ms.
Curto em via assessoria de Kent ⇒ despolarização ventricular prematura;
Onda delta (encurtamento do P-R e aumento do QRS);
Podem apresentar taquicardia paroxística por reentrada ou condução rápida;
TRATAMENTO
- Tem que ser imediato e com drogas que bloqueiam ou aumentam o período refratário da via acessória, usando antiaaritimos do grupo IA, C e III: procainamida e 2ª escolha ibutilida, e pctes com instabilidade deve receber cardioversão elétrica 200J.
- Em todo paciente que tem fibrilação atrial e pré-excitação ventricular, é obrigatória a Ablação por Radiofrequência da via acessória (ou das vias acessórias) envolvida(s).