REVISAÇO   Constitucional
7 pág.

REVISAÇO Constitucional

Pré-visualização3 páginas
REVISAÇO \u2013 DIREITO CONSTITUCIONAL \u2013 V1 
 
1. RECEPÇÃO E NÃO RECEPÇÃO 
 
\u2022 O que acontecerá com as normas infraconstitucionais elaboradas antes do 
advento da nova Constituição? Todas as normas que forem incompatíveis com a 
nova Constituição serão revogadas, por ausência de recepção. 
\u2022 A norma constitucional que não contrariar a nova ordem, será recepcionada. 
\u2022 Uma lei anterior que nasceu inconstitucional não será \u201cconsertada\u201d pela Nova 
Constituição, não será convalidada. 
\u2022 Podemos concluir que, para uma lei ser recepcionada pelo novo 
ordenamento jurídico, deverá preencher os seguintes requisitos: 
\u25aa Estar em vigor no momento do advento da nova Constituição; 
\u25aa Não ter sido declarada inconstitucional durante a sua vigência no 
ordenamento anterior; 
\u25aa Ter compatibilidade formal e material perante a Constituição sob cuja 
regência ela foi editada (no ordenamento anterior). 
\u25aa Ter compatibilidade somente material perante a nova Constituição, 
pouco importando a compatibilidade formal. 
 
2. ORGANIZAÇÃO DO ESTADO 
 
\u2022 Elementos integrantes (componentes ou constitutivos): 
\u25aa Soberania; 
\u25aa Finalidade; 
\u25aa Povo; 
\u25aa Território. 
\u2022 Forma de governo: República ou Monarquia. 
\u2022 Sistema de Governo: presidencialismo ou parlamentarismo. 
\u2022 Forma de Estado: Unitário ou Composto (Federação ou Confederação). 
\u2022 O Brasil adotou a forma republicana de governo, o sistema presidencialista de 
governo e a forma federativa de estado. 
\u2022 Características da Federação: 
\u25aa Descentralização política; 
\u25aa Repartição de competência; 
\u25aa Constituição rígida como base jurídica; 
\u25aa Inexistência do direito de secessão; 
\u25aa Soberania do Estado Federal; 
\u25aa Intervenção; 
\u25aa Auto-organização dos Estados-Membros; 
\u25aa Órgão representativo dos Estados-Membros; 
\u25aa Guardião da constituição; 
\u25aa Repartição de receitas. 
\u2022 Preceitua o art. 1.º, caput, da CF/88 que a República Federativa do Brasil é 
formada pela união indissolúvel dos Estados e Municípios e do Distrito Federal, 
constituindo-se em Estado Democrático de Direito, sendo que o caput de seu art. 
18 complementa, estabelecendo que \u201ca organização político-administrativa da 
República Federativa do Brasil compreende a União, os Estados, o Distrito 
Federal e os Munícipios, todos autônomos, nos termos desta Constituição. 
\u2022 Fundamentos da República Federativa do Brasil (art. 1º, CF/88): 
\u25aa Soberania; 
\u25aa Cidadania; 
\u25aa Dignidade da pessoa humana; 
\u25aa Valores sociais do trabalho e da livre-iniciativa; 
\u25aa Pluralismo político 
\u2022 Objetivos fundamentais da República Federativa do Brasil (art. 3.º, CF/88): 
\u25aa Construir uma sociedade livre, justa e solidária; 
\u25aa Garantir o desenvolvimento nacional; 
\u25aa Erradicar a pobreza e a marginalização e reduzir as desigualdades sociais 
e regionais; 
\u25aa Promover o bem de todos, sem preconceitos de origem, raça, sexo, cor, 
idade e quaisquer outras formas de discriminação. 
\u2022 Princípios que regem a República Federativa do Brasil nas relações 
internacionais (art.4.º, CF/88): 
\u25aa Independência nacional; 
\u25aa Prevalência dos direitos humanos; 
\u25aa Autodeterminação dos povos; 
\u25aa Não intervenção; 
\u25aa Igualdade entre os Estados; 
\u25aa Defesa da paz; 
\u25aa Solução pacífica dos conflitos; 
\u25aa Repúdio ao terrorismo e ao racismo; 
\u25aa Cooperação entre os povos para o progresso da humanidade; 
\u25aa Concessão de asilo político. 
 
3. NACIONALIDADE 
 
\u2022 Conceito: vínculo jurídico-político que liga um indivíduo a determinado Estado, 
fazendo com que esse indivíduo passe a integrar o povo desse Estado e, por 
consequência, desfruto de direitos e se submeta a obrigações; 
\u2022 Povo: conjunto de pessoas que fazem parte do Estado. 
\u2022 População: conjunto de residentes no território (sejam eles nacionais ou 
estrangeiros). 
\u2022 Nação: conjunto de pessoas nascidas em um território, ladeadas pela mesma 
língua, cultura, costumes, tradições, adquirindo uma mesma identidade socio-
cultural. (são os brasileiros natos ou naturalizados). 
\u2022 Cidadania: Caracterizando-se como a titularidade de direitos políticos de votar 
e ser votado. O cidadão, portanto nada mais é que o nacional (brasileiro nato ou 
naturalizado) que goza de direitos políticos. 
\u2022 Espécies de nacionalidade e critérios para a sua aquisição: 
a) Primária ou originária (involuntária): é imposta, de maneira 
unilateral, independentemente da vontade do indivíduo, pelo Estado, no 
momento do nascimento. 
b) Secundária ou adquirida (voluntária): é aquela que se adquire por 
vontade própria, depois do nascimento, normalmente pela naturalização, 
que poderá ser requerida tanto pelos estrangeiros como pelos apátridas, 
ou seja, aqueles que não têm pátria alguma. 
\u2022 Brasileiro nato: 
a) Ius solis (art. 12, I, a): qualquer pessoa que nascer no território 
brasileiro, mesmo que seja filho de pais estrangeiros. Os pais 
estrangeiros, no entanto, não podem estar a serviço de seu país. Se 
estiverem, o que podemos afirmar é que o indivíduo que nasceu em 
território brasileiro não será brasileiro nato. 
b) Ius sanguinis + serviço do Brasil (art. 12, I, b): serão considerados 
brasileiros natos os que, mesmo tendo nascimento no estrangeiro, sejam 
filhos de pais ou mãe brasileiros e qualquer deles que esteja a serviço da 
república Federativa do Brasil. 
c) Ius sanguinis + registro (art. 12, I, c, primeira parte): possibilidade 
filho de pai ou mãe brasileiro (natos ou naturalizados), que estejam fora 
do País e não estejam a serviço do Brasil, de aquisição da nacionalidade 
brasileira originária pelo simples ato de registro em repartição brasileira 
competente. 
d) Ius sanguinis + opção confirmativa (art. 12, I, c, segunda parte): dá-
se quando o filho de pai ou mãe brasileiro (natos ou naturalizados), que 
não estejam a serviço do Brasil, vier a residir no Brasil e optar, em 
qualquer tempo, depois de atingida a maioridade, pela nacionalidade 
brasileira. 
\u2022 Brasileiro naturalizado: 
a) Naturalização ordinária constitucional em relação aos originários de 
países de língua portuguesa: Residência por 1 ano ininterrupto e 
Idoneidade moral. 
b) Naturalização ordinária legal (art. 65 da Lei de Migração \u2013 lei 
13.445/2017): 
\u25aa Ter capacidade civil, segundo a lei brasileira; 
\u25aa Ter residência em território nacional, pelo prazo mínimo de 4 
anos; 
\u25aa Comunicar-se em língua portuguesa, consideradas as condições 
do naturalizando 
\u25aa Não possuir condenação penal ou estar reabilitado, nos termos 
da lei. 
c) Naturalização especial (art. 68 da Lei n. 13.447/2017): 
\u25aa Ser cônjuge ou companheiro, há mais de 5 anos, de integrante do 
Serviço Exterior Brasileiro em atividade ou de pessoa a serviço 
do Estado brasileiro no exterior; 
\u25aa Ser ou tenha sido empregado em missão diplomática ou em 
repartição consular do Brasil por mais de 10 anos ininterruptos. 
\u25aa Ter capacidade civil, segundo a lei brasileira; 
\u25aa Comunicar-se em língua portuguesa, consideradas as condições 
do naturalizando 
\u25aa Não possuir condenação penal ou estar reabilitado, nos termos 
da lei. 
d) Naturalização provisória (art. 70 da Lei 13.445/2017): Concedida ao 
migrante criança ou adolescente que tenha fixado residência em território 
nacional antes de completar 10 anos de idade e deverá ser requerida por 
intermédio de seu representante legal sendo convertida em definitiva se 
o naturalizando expressamente assim o requerer no prazo de 2 anos após 
atingir a maioridade. 
e) Naturalização extraordinária ou quinzenária (art. 12, II, b, CF/88 e 
67 da lei 13.445/2017): Dar-se-á quando os estrangeiros, de qualquer 
nacionalidade, residentes no Brasil há mais de 15 anos ininterruptos e 
sem condenação penal. 
\u2022 A lei poderá estabelecer distinções entre brasileiros natos e naturalizados? 
Não se pode diferenciar o brasileiro