AA Contabilidade e Gestão Tributária II
16 pág.

AA Contabilidade e Gestão Tributária II


DisciplinaContabilidade e Gestão Tributária II1.636 materiais9.731 seguidores
Pré-visualização6 páginas
Contabilidade e Gestão Tributária II
	1a Questão (Ref.: 201301865778)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Dentre os elementos da obrigação tributária, temos a Lei, que tem como finalidade: ( )Criar o tributo. ( )Definir as hipóteses de incidência. ( )Estabelecer as condições de apuração. ( )Determinar as condições de cobrança. Após analisar as assertivas acima, revele a sequência correta:
		
	
	V - F - v - F.
	 
	V - V - v - F.
	 
	V - V - v - V.
	
	V - V - F - V.
	
	F - V - F - V.
	
	 2a Questão (Ref.: 201301865679)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	O diferimento do Imposto de Renda permite às empresas a postergação, para exercícios futuros, do pagamento desses impostos relativos a determinados lucros já contabilizados. Seguindo o regime de competência, a despesa do Imposto de Renda deve ser contabilmente
		
	
	calculada considerando a alíquota atual e os efeitos da inflação
	 
	reconhecida no mesmo período do lucro correspondente
	
	calculada com base na alíquota referente aos exercícios futuros
	
	registrada com ajustes de exercícios anteriores
	
	reconhecida no exercício do efetivo pagamento do tributo
	
	 3a Questão (Ref.: 201301977661)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	A respeito dos regimes de tributação incidentes sobre o lucro é correto afirmar que:
		
	 
	Lucro Real é a receita líquida deduzida dos custos de produção e das despesas operacionais.
	 
	Lucro arbitrado é a forma de apuração da base de cálculo do Imposto de Renda que pode ser utilizado quando o contribuinte deixar de elaborar as demonstrações financeiras exigidas pela legislação fiscal.
	
	Lucro Real é a forma de tributação simplificada que utiliza somente as receitas da empresa para determinar a base de cálculo do Imposto de Renda e da Contribuição Social sobre o Lucro Líquido.
	
	Lucro Presumido pode ser definido como a receita líquida deduzida dos custos de produção.
	
	Lucro Presumido é o lucro líquido do exercício ajustado pelas adições, exclusões ou compensações prescritas ou autorizadas pela legislação tributária.
	
	 4a Questão (Ref.: 201301865682)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	A contribuição para o Programa de Integração Social (PIS) é devida às pessoas jurídicas de direito privado e às que lhe são equiparadas pela legislação do Imposto de Renda, dentre outras. Nesse caso de incidência, a base de cálculo dessa contribuição é a:
		
	
	unidade de medida correspondente à quantidade de mercadorias comercializadas sobre a qual incide a contribuição
	 
	totalidade das receitas auferidas, sendo irrelevantes o tipo de atividade por ela exercida e a classificação contábil adotada para as receitas
	 
	totalidade do lucro real, presumido ou arbitrado, cor- respondente ao período de apuração
	
	valorização de imóveis de propriedade privada, em virtude de obras públicas
	
	soma dos valores das mercadorias produzidas ou ser- viços prestados pela Companhia, durante o exercício fiscal, considerando o preço de custo
	
	
	
	
	 5a Questão (Ref.: 201301947806)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Atendidos os princípios constitucionais tributários, o imposto de renda deve atender a três critérios básicos. O princípio da generalidade diz que:
		
	 
	o imposto de renda deve ser graduado em faixas, de modo que alíquotas mais elevadas recaiam sobre as faixas menores de renda.
	
	o imposto de renda deve ser graduado em faixas, de modo que alíquotas mais elevadas recaiam sobre as faixas maiores de renda.
	
	somente casos específicos de renda ou provento deverão ser tributados nos limites e condições da Lei.
	 
	toda e qualquer forma de renda ou provento deverá ser tributada nos limites e condições da Lei.
	
	o tributo deverá ser cobrado de todos que auferirem renda, sem distinção de sexo, cor, nacionalidade, profissão, etc.
	
	 6a Questão (Ref.: 201301865675)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Com as modificações introduzidas na Lei no 6.404/76, das Sociedades por Ações, pelas Leis nº 11.638/07 e no 11.941/09, deu-se, no entendimento de autores contábeis, a chamada independência da Contabilidade Brasileira. Essas mudanças criaram as condições básicas para a convergência da Contabilidade Brasileira às normas internacionais. O Comitê de Pronunciamentos Contábeis (CPC), criado em 2005 pela Resolução CFC no 1.055/05, foi um importante marco para tal convergência, pois cabe a esse comitê emitir os Pronunciamentos Técnicos, que, após discussão em audiência pública, são aprovados pelos instrumentos próprios dos órgãos reguladores públicos (CVM, Bacen e Susep, principalmente) e particulares, como o CFC, transformando o CPC em norma a ser seguida pelas empresas e profissionais que estiverem no campo de atuação desses mesmos órgãos. Constitui característica preponderante das normas internacionais de Contabilidade implementadas no Brasil pelo CPC e pelos órgãos reguladores brasileiros, a:
		
	
	Importância maior dada à propriedade jurídica para registrar os ativos, passivos, receitas e despesas
	
	Predominância do domínio dos contadores na realização de tarefas contábeis, com menor participação do restante da empresa
	
	Produção de informações contábeis mais quantitativas do que qualificativas
	 
	Fundamentação baseada mais em normas que em princípios
	 
	Prevalência da essência sobre a forma
	1a Questão (Ref.: 201301865818)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	De acordo com o Código Tributário Nacional ¿ Lei 5.172/76, tributo é definido como: Toda prestação pecuniária compulsória, em moeda ou cujo valor nela se possa exprimir, que não constitua sanção de ato ilícito, instituído em lei, que não constitua sanção pecuniária decorrente de ato ilícito, cobrado mediante atividade administrativa plenamente vinculada. A partir da informação prestada, podemos induzir que o Tributo Indireto:
		
	
	É aquele em que o contribuinte tem o direito de compensar os montantes devidos nas operações anteriores com os montantes devidos nas operações subseqüentes. 
	 
	É aquele em que a pessoa que paga (contribuinte de fato) é a mesma que faz o recolhimento aos cofres públicos (contribuinte de direito).
	
	É aquele que não considera o poder aquisitivo nem a capacidade econômica do contribuinte.
	
	É aquele cujo percentual aumenta de acordo com a capacidade econômica do contribuinte.
	 
	É aquele em que o contribuinte de fato não é o mesmo que o de direito.
	
	 2a Questão (Ref.: 201301947810)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Analise as afirmativas quanto ao Fato Gerador do IRPJ e CSLL
 
I- O fato gerador do IRPJ é a aquisição da disponibilidade econômica ou jurídica de renda e proventos.
 
II- As empresas, geralmente são obrigadas ao cálculo do IRPJ e CSLL mensal.
 
III- No Lucro Real há possibilidade de apuração anual, com recolhimentos mensais em bases estimadas, num cálculo similar ao Lucro Presumido.
 
Estão corretas:
		
	 
	Todas as afirmativas
	
	Somente I e II
	
	Somente III
	
	Somente II e III
	 
	Somente I e III
	
	 3a Questão (Ref.: 201301947809)
	 Fórum de Dúvidas (0)       Saiba  (0)
	
	Analise as afirmativas quanto ao Fato Gerador do IRPJ e CSLL
 
I- O fato gerador do IRPJ é a aquisição da disponibilidade econômica ou jurídica de renda e proventos.
 
II- As empresas, geralmente são obrigadas ao cálculo do IRPJ e CSLL trimestralmente, utilizando os trimestres civis como período de encerramento.
 
III- No Lucro Real há possibilidade de apuração anual, com recolhimentos mensais em bases estimadas, num cálculo similar ao Lucro Presumido.
 
Estão corretas:
		
	
	Somente III
	 
	Somente I e II
	
	Somente I e III
	 
	Todas as afirmativas