RELATÓRIO ESTÁGIO pronto
15 pág.

RELATÓRIO ESTÁGIO pronto


DisciplinaProjeto de Conclusão de Curso17 materiais85 seguidores
Pré-visualização4 páginas
\ufffdPAGE \ufffd
\ufffd
MARCILIANE FREDRICH
RELATÓRIO DE ESTÁGIO
Relatório de Estágio do Curso de SEGUNDA LICENCIATURA EM LETRAS INGLÊS da UNIDEAL, realizado na Escola CENTRO CLÍNICO ESPAÇO APRENDER, junto a JUCEMARA GAUER.
Professor Orientador: Especialista Adival José Reinert Junior
MARAVILHA, SC
14/11/2018
\ufffd
SUMÁRIO
1 INTRODUÇÃO 	1
2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 	2
3 ROTEIRO E RESPOSTAS DA(S) ENTREVISTA(S) 	3
4 ANÁLISE DA(S) ENTREVISTA(S) EM RELAÇÃO AO PROJETO 
POLÍTICO PEDAGÓGICO DA ESCOLA E FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA.......4
5 DESCRIÇÃO DA OBSERVAÇÃO E ROTINA DO DIRETOR OU 
DEMAIS GESTORES DA ESCOLA ............................................................................10
6 CONSIDERAÇÕES FINAIS .......................................................................................11
7 REFERÊNCIAS ............................................................................................................12
\ufffd
1 INTRODUÇÃO 
 O presente estágio de Segunda licenciatura em Letras Inglês foi realizado na escola Particular Centro Clínico espaço aprender, com alunos do 6 º ao 9º ano do ensino fundamental que realizam reforço escolar na disciplina de Inglês nesta instituição. A escola está localizada em Maravilha, SC. Na Avenida Sul Brasil 156, sala 201centro, foi fundada no ano de 2015. A instituição tem 6 salas de aula, 2 banheiros, escritório e recepção, no local são atendidas crianças com dificuldade de aprendizado em diversas disciplinas do ensino fundamental ao médio, os profissionais que atendem no local são professores de diversas matérias, psicopedagogos e psicólogos, no momento a escola está com mais de 20 alunos fazendo reforço escolar. A escola também oferece polo de Cursos EAD. 
\ufffd
 2 FUNDAMENTAÇÃO TEÓRICA 
 Segundo Irandé Antunes, existe um esforço dos órgãos governamentais, no intuito de melhorar o método de ensino, tais como a elaboração dos Parâmetros Curriculares Nacionais (PCN) e pelo Sistema Nacional de Avaliação Básica (SAEB) \u201cque objetiva avaliar o desempenho escolar de alunos de todas regiões do país, e a partir daí, oferecer, ao próprio Governo Federal e aos Estados, subsídios para a redefinição de políticas educacionais mais consistentes e relevantes\u201d (ANTUNES, p.21).
 Os PCN\u2019s discutem aspectos relevantes para o ensino da Língua Estrangeira (LE). Neles são trazidas contribuições para uma educação que visa o aprendizado do alunado, como podemos verificar: aumento da comunicação e conhecimento cultural, compreensão das diferentes formas de comunicação, conhecimento de como deve utilizar das linguagens (formal e informal) dependendo do meio em que está inserido. 
  Sendo assim, as aulas de Língua Estrangeira correspondem a muito mais do que uma simples aula de regras gramaticais. Os PCNs (BRASIL, 2006, p. 91) ressaltam que:
	
. [...] a disciplina Línguas Estrangeiras na escola visa a ensinar um idioma estrangeiro e, ao mesmo tempo, cumprir outros compromissos com os educandos, como, por exemplo, contribuir para a formação de indivíduos como parte de suas preocupações educacionais. 
 
 Outra questão abordada é o fato da LE servir como colaboradora na função inclusiva e de desenvolvimento da cidadania na escola. A compreensão do que é ser cidadão envolve outros aspectos, entre eles a posição que o aluno ocupa dentro da sociedade em que vive, o que os levou a esta ali na escola, como ele se sente diante desta situação, etc. A LE, portanto, segundo os PCNs (BRASIL, 1998, p 41):
Integrante da educação formal. Envolve um complexo processo de reflexão sobre a realidade social, política e econômica, com valor intrínseco importante no processo de capacitação que leva à libertação. Em outras palavras, Língua Estrangeira no ensino fundamental é parte da construção da cidadania.
Os alunos, a partir disso, passam a sentir-se sujeitos sociais, incluídos em uma sociedade que muitas vezes se presta a excluir, porque sabem como expressar-se, como compreender o que vivenciam e sabem da sua importância enquanto cidadãos, e o professor é uma peça chave nesse processo, mas precisa estar sempre \u201cantenado\u201d nas mudanças que ocorre na educação.
Segundo Mario Cortella, o professor nunca deve achar que já sabe de tudo, ele deve estar sempre num processo de aprendizado constante, renovando assim seus conhecimentos e melhorando cada vez mais seus métodos de ensino e aprendizagem, assim todos saem ganhando, escola, alunos, comunidade e os próprios professores.
Nesse processo continuo de aprendizado, o professor sai da \u201czona de conforto\u201d e procura assim desenvolver atividades que venham fazer com que o aluno tenha um maior interesse pela Língua Estrangeira, Inglês, e com isso as aulas possam avançar utilizando novas ferramentas e não apenas o uso da gramática, como: as músicas, os textos, as revistas, os jornais, trabalhando assim, a oralidade, leitura, escrita e audição. A gramática é importante, saber o verbo to be é importante, mas a Língua Inglesa não é só isso. Vejamos o que diz os PCN\u2019s, sobre o aprendizado da Língua Inglesa,
A aprendizagem de Língua Estrangeira no ensino fundamental não é só um exercício intelectual em aprendizagem de formas e estruturas linguísticas em um código diferente; é, sim, uma experiência de vida, pois amplia as possibilidades de se agir discursivamente no mundo. O papel educacional da Língua Estrangeira é importante, desse modo, para o desenvolvimento integral do indivíduo, devendo seu ensino proporcionar ao aluno essa nova experiência de vida. Experiência que deveria significar uma abertura para o mundo, tanto o mundo próximo, fora de si mesmo, quanto o mundo distante, em outras culturas. Assim, contribui-se para a construção, e para o cultivo pelo aluno, de uma competência não só no uso de línguas estrangeiras, mas também na compreensão de outras culturas. (BRASIL, 1998, p.38).
Torno a dizer que o ensino da gramática é importante, mas uma língua é bem mais do que isso, é a marca de um povo. Ela traz consigo os saberes, a vivencia, a história, ou seja, a cultura de uma nação. É \u201cabrir\u201d a mente do aluno para novos horizontes tornando o ensino mais prazeroso.
De acordo com os PCN\u2019s (1998, p. 65 \u2013 66), ao longo dos quatro anos do ensino fundamental, espera-se com o ensino de Língua Estrangeira que o aluno seja capaz de:
Identificar no universo que o cerca as línguas estrangeiras que cooperam nos sistemas de comunicação, percebendo-se como parte integrante de um mundo plurilíngue e compreendendo o papel hegemônico que algumas línguas desempenham em determinado momento histórico;
Vivenciar uma experiência de comunicação humana, pelo uso de uma língua estrangeira, no que se refere a novas maneiras de se expressar e de ver o mundo, refletindo sobre os costumes ou maneiras de agir e interagir e as visões de seu próprio mundo, possibilitando maior entendimento de um mundo plural e de seu próprio papel como cidadão de seu país e do mundo; reconhecer que o aprendizado de uma ou mais línguas lhe possibilita o acesso a bens culturais da humanidade construídos em outras partes do mundo;
Construir conhecimento sistêmico, sobre a organização textual e sobre como e quando utilizar a linguagem nas situações de comunicação, tendo como base os conhecimentos da língua materna;
Construir consciência linguística e consciência crítica dos usos que se fazem da língua estrangeira que está aprendendo;
Ler e valorizar a leitura como fonte de informação e prazer, utilizando-a como meio de acesso ao mundo do trabalho e dos estudos avançados;
Utilizar outras habilidades comunicativas de modo a poder atuar em situações diversas.
 O estágio foi realizado durante o mês de novembro de 2018, após a visita a escola e entregue a carta de apresentação teve o início do estágio, foi apresentado o ambiente da escola