A maior rede de estudos do Brasil

Grátis
62 pág.
PROGRAMAÇÃO DE PROJETOS COM PERT / CPM

Pré-visualização | Página 1 de 13

UNIVERSIDADE FEDERAL DE SANTA CATARINA 
DEPARTAMENTO DE ENGENHARIA DE PRODUÇÃO E SISTEMAS 
 
 
 
 
 
PROGRAMAÇÃO DE PROJETOS COM PERT / CPM 
 
 
 
 
 
 
 
Prof. Sérgio F. Mayerle
Gerenciamento de Projetos 2 
 
 
S U M Á R I O 
CAPÍTULO I 
1. INTRODUÇÃO................................................................................................ 01 
1.1. Considerações gerais ............................................................................. 01 
1.2. O processo de gerenciamento de um projeto..................................... 02 
1.3. Aspectos organizacionais e comportamentais................................... 03 
1.3.1. Arranjo organizacional .............................................................. 04 
1.3.2. Motivação .................................................................................... 06 
1.3.3. Relacionamento do gerente de projeto com a organização.. 08 
1.3.4. Auto-gestão do tempo ............................................................... 09 
1.4. Aspectos quantitativos .......................................................................... 10 
CAPÍTULO II 
2. ANÁLISE ESTRUTURADA DE PROJETOS................................................ 12 
2.1. Estruturação de projetos ....................................................................... 12 
2.2. Apropriação de tempo, recursos e custos........................................... 14 
2.3. Exercício proposto.................................................................................. 17 
CAPÍTULO III 
3. REDES PERT-CPM .......................................................................................... 19 
3.1. Diagrama de Gantt................................................................................. 19 
3.2. Diagrama em redes................................................................................ 20 
3.3. Conceitos básicos.................................................................................... 20 
3.4. Construção da rede PERT / CPM........................................................ 21 
3.5. Exercícios propostos .............................................................................. 26 
CAPÍTULO IV 
4. PROGRAMAÇÃO DE PROJETOS................................................................ 28 
4.1. Cálculo de redes PERT / CPM............................................................. 28 
4.1.1. Cálculo do cedo de um evento ................................................. 29 
4.1.2. Cálculo do tarde de um evento ................................................ 29 
4.2. Definição do caminho crítico, folgas e datas...................................... 30 
4.3. Elaboração do cronograma................................................................... 33 
4.4. Programação com recursos................................................................... 34 
4.4.1. Nivelamento de recursos .......................................................... 35 
Gerenciamento de Projetos 3 
 
4.4.2. Alocação de recursos limitados................................................ 38 
4.5. Programação custo-tempo .................................................................... 40 
4.6. Programação na incerteza..................................................................... 45 
4.6.1. Determinação dos parâmetros ................................................. 46 
4.6.2. Estimação da probabilidade de ocorrência de um evento ... 47 
4.7. Exercícios propostos .............................................................................. 49 
CAPÍTULO V 
5. CONTROLE...................................................................................................... 51 
5.1. Abordagem custo tempo....................................................................... 51 
5.2. Custo financeiro de um projeto............................................................ 56 
BIBLIOGRAFIA ...................................................................................................... 58 
APÊNDICE .............................................................................................................. 59 
Gerenciamento de Projetos 4 
 
CAPÍTULO I 
1. INTRODUÇÃO 
Há alguns anos atrás o brasileiro Amir Klink completava a travessia do 
Oceano Atlântico em um pequeno barco a remo. Ao contrário do que possa parecer, 
este acontecimento foi muito mais do que uma aventura de um arrojado marinheiro 
com aptidões físicas e psicológicas notáveis. Na realidade esta façanha foi resultado 
de um trabalho bem planejado, onde todas as possibilidades e riscos foram 
calculados. 
Quando Amir Klink iniciou o percurso, saindo da costa africana, ele 
dispunha do controle sobre a sua embarcação. Conhecia o roteiro a ser seguido, mas, 
também, dispunha de rotas alternativas no caso de desvio da rota original em função 
de ventos e tempestades. Alguns problemas, entretanto, como a colisão com outras 
embarcações maiores, não podiam ser remediados durante o trajeto, de modo que 
uma atenção redobrada tinha que ser dedicada aos mesmos. Tudo foi planejado e 
executado minuciosamente. 
Este empreendimento realizado por Amir Klink pode ser, até certo ponto 
de vista, comparado com a "aventura" vivida todos os dias por gerentes de projeto. 
Não raramente, os gerentes naufragam no curso do empreendimento, ou chegam ao 
porto com sérias avarias na "embarcação". Em outras palavras é comum o gerente 
não conseguir cumprir prazos, orçamentos e especificações. Isto se deve, 
normalmente, pela falta do uso de metodologias apropriadas para o planejamento e 
controle do projeto. 
1.1. Considerações Gerais 
No Brasil, o termo projeto é usado com significados diversos. Pode 
indicar, por exemplo, um texto de lei ainda não aprovada pelo Congresso, um 
conjunto de desenhos definindo a arquitetura de um edifício ou residência, uma 
proposta comercial para instalação de uma central de ar-condicionado, etc. 
Neste texto, entretanto, o termo projeto será utilizado para designar um 
empreendimento não repetitivo, definido por um conjunto de tarefas 
interrelacionadas por uma seqüência de execução. 
Outra característica dos projetos, é a existência de um início e um término 
bem definidos. A equipe responsável por um projeto costuma ser montada 
especificamente para a sua execução ou implantação. Terminado o projeto, da mesma 
forma com que a equipe foi montada, costuma ser dissolvida ou reagrupada para 
executar novos projetos. 
Gerenciamento de Projetos 5 
 
Exemplificando, o termo projeto, neste contexto, pode ser utilizado para 
designar a construção de um edifício, a modificação da linha de montagem de uma 
fábrica, a manutenção de um alto-forno, o lançamento de um novo produto no 
mercado, o desenvolvimento de um novo software, entre outros. 
No desenvolvimento de projetos, diversos aspectos devem ser 
considerados: aspectos qualitativos, aspectos quantitativos, aspectos organizacionais, 
pessoais, entre outros, como se pode ver a seguir. 
1.2. O Processo de Gerenciamento de um Projeto 
Segundo Fayol, o processo de gerenciamento é composto por cinco fases: 
previsão, programação, execução, coordenação e controle. No caso particular do 
gerenciamento de projetos, em cada uma destas fases um conjunto de atividades 
devem ser desenvolvidas: 
(a) Previsão: prever consiste em relacionar as tarefas que compõem o projeto, a 
duração e os recursos a serem utilizados; 
(b) Programação: programar consiste em definir o seqüenciamento das tarefas, 
respeitando a relação de precedência existentes entre elas. Durante a fase de 
programação são calculadas as datas de início e término de cada tarefa; 
(c) Coordenação: a fase de coordenação consiste na interpretação dos programas 
realizados e a emissão de ordens para que as