psicologia comportamento modulo completo
24 pág.

psicologia comportamento modulo completo


DisciplinaPsicolo233 materiais330 seguidores
Pré-visualização8 páginas
Luciana Budal de Oliveira
Psicologia e 
Comportamento
Sumário
03
CAPÍTULO 1 \u2013 Como se Estabeleceu a Visão de Homem na Psicologia? ..............................05
Introdução ....................................................................................................................05
1.1 A constituição do espaço psicológico: as diversas influências das correntes filosóficas 
 sobre o pensamento psicológico ................................................................................05
1.1.1 A filosofia grega ..............................................................................................06
1.1.2 A modernidade \u2013 filosofia renascentista .............................................................08
1.2 A influência da escola de pensamento quantificador e mecanicista ................................12
1.2.1 Zeitgeist e os grandes homens da história da Psicologia.......................................12
1.2.2 O mecanicismo. ..............................................................................................12
1.2.3 A prática do pensamento mecanicista na Psicologia. ...........................................14
1.3 A influência da escola de pensamento funcionalista e organicista ..................................15
1.3.1 O funcionalismo pragmatista americano ............................................................15
1.3.2 O funcionalismo europeu .................................................................................17
1.4 A influência da escola de pensamento do historicismo ideográfico, estruturalismo 
 e fenomenologia ......................................................................................................18
1.4.1 Estruturalismo - a Psicologia da Gestalt ............................................................19
1.4.2 Fenomenologia ...............................................................................................20
Síntese ..........................................................................................................................22
Referências Bibliográficas ................................................................................................23
05
Capítulo 1
Introdução
O homem sempre buscou desvendar os mistérios do mundo. Com a filosofia grega, os homens 
questionavam-se sobre o funcionamento da vida, do tempo, sobre a matéria e principalmente 
sobre o conhecimento. Ao tentar compreender o conhecimento, os homens voltaram-se para si 
próprios. Afinal, o conhecimento nasce do homem, ele é quem o produz e o detém. 
A compreensão do homem em sua totalidade, ou seja, mente e corpo, emergiu na Idade Moder-
na (séculos XV ao XVIII), com o nascimento das ciências, momento repleto de novos conceitos e 
crenças sobre a capacidade humana. A Psicologia se insere nesse contexto, buscando desvendar 
o que não é possível ver, o mundo subjetivo. Mas você sabe o que significa o subjetivo? E qual 
a sua ligação com os comportamentos? Para responder a essas questões, é preciso conhecer as 
correntes filosóficas que vão influenciar diretamente o fazer psicológico de cada tempo.
Para tanto, neste tópico você conhecerá o raciocínio que conduziu o homem a criar o espaço psi-
cológico a partir das principais correntes filosóficas que serviram de alicerce para a construção 
da Psicologia, e os respectivos personagens que se destacaram. 
Na sequência, você saberá como a escola de pensamento quantificador e mecanicista influen-
ciou os pesquisadores sobre os fenômenos psicológicos analisando sua história e principais ato-
res. Também estudará os aspectos relativos às escolas de pensamento funcionalista e organicista. 
Por fim, conhecerá a escola de pensamento do historicismo ideográfico, o estruturalismo e a 
fenomenologia. A partir desses conhecimentos, identificará a influências dessas escolas na Psico-
logia e a criação das linhas de estudo existentes atualmente para a atuação psicológica clínica, 
escolar, jurídica, esporte, hospitalar, organizacional, de orientação profissional etc.
1.1 A constituição do espaço psicológico: as 
diversas influências das correntes filosóficas 
sobre o pensamento psicológico
Como a Filosofia se relaciona com a Psicologia? Qual a influência das correntes filosóficas para 
o pensamento psicológico? Haveria Psicologia sem a Filosofia?
Desde a Antiguidade, a Filosofia acompanha a evolução humana, respondendo às questões 
incompreendidas pelos homens. Nesse diálogo permanente com a sociedade e a cultura de seu 
tempo, a Filosofia abre caminhos, proporciona respostas e faz novas perguntas, alimentando 
uma espiral evolutiva de conhecimento.
A busca da verdade exigiu que filósofos como Immanuel Kant, René Descartes, Francis Bacon, 
John Locke, entre outros, construíssem o conhecimento tecendo questionamentos sobre a rela-
Como se Estabeleceu a Visão 
de Homem na Psicologia?
06 Laureate- International Universities
Psicologia e Comportamento
ção sujeito e objeto. Nesse caso, sujeito é aquele que pretende conhecer, e objeto é o que será 
conhecido \u2013 e é dessa relação nasce o conhecimento. 
A história do homem é a busca da compreensão sobre ele mesmo e do mundo a sua volta. Ao 
definir conhecimento como \u201co modo pelo qual o sujeito se apropria intelectualmente do objeto\u201d 
(ARANHA; MARTINS, 2009, p.109), aponta-se o ato de conhecer como um verbo de ação, e o 
produto que resulta do conhecimento. O ato de conhecer se estabelece na relação entre o su-
jeito cognoscente (sujeito que conhece) e o objeto a ser conhecido (fora da mente ou na própria 
mente, como o afeto, os sentimentos, as ideias). Assim, o produto do conhecimento é o próprio 
conhecimento. O acúmulo dos saberes recebidos da cultura, das tradições, das crenças, das 
religiões, das ciências, por exemplo, é o produto de todo o conhecimento adquirido. 
Durante o desenvolvimento deste estudo, você verá como os primeiros filósofos gregos construí-
ram o conhecimento sobre a vida e o saber humano. E como o conhecimento sofreu mudanças 
de acordo com o seu tempo em termos de objeto (o que se pretende conhecer), e de método 
(como conhecer). 
1.1.1 A filosofia grega
Em uma sociedade escravista, filosofar era um ato de aristocratas. Na sociedade grega havia 
uma valorização da atividade intelectual com ênfase pela contemplação dissociada da prática, 
ou seja, a sociedade grega desvalorizava o trabalho manual criando a dicotomia pensar versus 
fazer. Dividida em três grandes momentos, período pré-socrático, socrático (ou clássico) e pós-
-socrático (ou helenístico), Sócrates foi a grande referência. A seguir você verá os temas mais 
estudados nesses períodos.
No primeiro período chamado pré-socrático (séculos VII e VI a.C.) os filósofos gregos romperam 
com o pensamento mítico e as explicações divinas sobre a natureza, investigando racionalmente 
as origens do mundo e as causas de suas transformações. Ainda que existam poucos vestígios 
das obras dos primeiros filósofos, o que se sabe \u2013 por filósofos posteriores \u2013 é que nesse período 
destacaram-se as ideias de mutualidade essencial do ser (que todas as coisas mudam sem ces-
sar), é um eterno \u201cdevir\u201d (o ser como processo, como movimento, como eterno vir a ser) elabo-
rado por Heráclito; e de que o ser é imóvel, único, imutável e infinito, por Parmênides (princípio 
da identidade que explica que cada ser é igual a si mesmo).
Ainda envolvidos com questões da cosmologia, o segundo período se refere aos pensadores 
no período socrático ou clássico (século V e IV a.C.), são chamados de sofistas por serem iden-
tificados como sábios e pedagogos. Valorizavam a retórica (arte de falar bem) e contribuíram 
para sistematização do ensino. Ampliaram seus questionamentos ao campo da política, moral e 
antropologia, elaborando um ideal teórico de democracia. Buscavam entender o conhecimento 
sobre o lugar