27093381-O-Entrelugar-Do-Discurso-Latino-Americano-Silviano-Santiago
12 pág.

27093381-O-Entrelugar-Do-Discurso-Latino-Americano-Silviano-Santiago


DisciplinaLiteratura27.039 materiais108.768 seguidores
Pré-visualização6 páginas
1955, p. 82. 
* A rigor, talvez suas criancinhas; ademais, os indígenas têm vícios tão profundos que se pode 
duvidar disso; como prova, evitam os Espanhóis, recusam-se a trabalhar sem remuneração, 
mas levam a perversidade até o ponto de aceitarem presentes dos bens daqueles; não aceitam 
repelir seus companheiros aos quais os Espanhóis deceparam as orelhas [...] Mais vale para os 
índios se tornarem homens escravos do que continuarem a ser animais livres... 
**...os brancos invocavam as ciências sociais, ao passo que os índios mostravam mais 
confiança nas ciências naturais; enquanto que os brancos proclamavam que os índios eram 
animais, estes limitavam-se a supor que os primeiros fossem deuses. De igual ignorância, 
esta última atitude era, certamente, mais digna de homens. 
(3) Consultar o nosso artigo "A Palavra de Deus", Barroco, nº 3, 1970. 
(4) De la Grammatologie, Paris, Minuit, 1967, p. 25. (Trad. bras.: Gramatologia, São Paulo, 
Perspectiva, 1973.) 
(5) Em artigo de significativo título "Sol da Meia-Noite", Oswald de Andrade percebia por 
detrás da Alemanha nazista os valores de unidade e pureza, e no seu estilo típico comentava 
com rara felicidade: "A Alemanha racista, purista e recordista precisa ser educada pelo nosso 
mulato, pelo chinês, pelo índio mais atrasado do Peru ou do México, pelo africano do Sudão. 
E precisa ser misturada de uma vez para sempre. Precisa ser desfeita no meltingpot do 
futuro. Precisa mulatizar-se". Ponta de Lança, Rio, Civilização, 1972, p. 63. 
(6) Seguimos de perto os ensinamentos de Derrida com relação ao problema da tradução 
dentro dos pressupostos gramatológicos: "Dans les limites où du moins elle PARAIT 
possible, la traduction pratique la différence entre signifié et signifiant. Mais si cette 
différence n'est jamais pure, la traduction ne l'est pas davantage et, à la notion de traduction, 
il faudra substituer une notion de TRANSFORMATION: transformation réglée d'une langue 
par une autre, d'un text par un autre", Positions, Paris, Minuit, 1972, p. 31. 
 
 
 Disponível em: <http://www.pacc.ufrj.br/literaria/entre.html> 2 jan. 2010