Resumo dos Metabolismos - P2
5 pág.

Resumo dos Metabolismos - P2


DisciplinaBioquímica II1.377 materiais13.893 seguidores
Pré-visualização2 páginas
amina do aminoácido é o -cetoglutarato que se converte em glutamato, que pode sofrer uma transaminação ou desaminação, em ambos os casos ele perde grupo amina e volta a ser -cetoglutarato que pode ser reutilizado. Se for uma transaminação o oxalacetato recebe o grupo amina e se transforma em aspartato, se for uma desaminação o grupo amina sai livre na forma de amônia. Tanto o aspartato quanto a amônia vão entrar no ciclo da ureia. 
A ureia tem 1 carbono e 2 nitrogênios. O carbono vai ter origem no CO2, um dos nitrogênios veio do grupo amina liberado pela desaminação, o outro nitrogênio veio do grupo amina do aspartato liberado pela transaminação.
O ciclo da ureia começa unindo um CO2 à amônia formando uma molécula chamada de carbamoilfosfato, para que essa reação acontecesse foi necessário gastar 2 ATP (1 forneceu energia, o outro forneceu fosfato para o carbamoilfosfato).
O carbamoil vai se unir á ornitina que formará a citrulina. A energia para que essa reação acontecesse veio da saída do fosfato que estava no carbamoil.
A citrulina agora será unida ao aspartato formando uma molécula de argininosuccinato. (foi gasto 1 ATP, que perdeu 2 fosfato , liberando o AMP.
Quando 1 ATP é quebrado até o AMP, contabiliza como se tivesse gasto 2 ATP. No final serão consumidos 4 ATP.
Um pedaço do argininosuccinato sai da molécula formando o fumarato, o outro pedaço segue no ciclo dando origem a arginina, que perderá a ureia. Quando a arginina perde a ureia o resto da molécula origina a ornitina que recomeça o ciclo.
Integração do Ciclo da Ureia com o Ciclo de Krebs:
O Ciclo de Krebs fornece o oxalacetato para transaminação que vai gerar o aspartato e o ciclo da ureia libera o fumarato que vai para o Ciclo de Krebs seguir as reações até chegar de novo ao oxalacetato que pode seguir no CK ou pode ir para transaminação.