Modelagem de Sistemas de Informações
242 pág.

Modelagem de Sistemas de Informações


DisciplinaEngenharia de Software I7.128 materiais70.913 seguidores
Pré-visualização50 páginas
na automatização do processo de gerência das contas (pedido e 
fechamento de conta) de um restaurante, problemas operacionais comuns são: a dificuldade 
de fechar a conta e os erros de cálculo que acontecem. 
Um problema funcional ocorre quando o sistema não permite uma funcionalidade. 
No mesmo sistema de contas de restaurante, por exemplo, pode ser impossível ou muito 
difícil saber quanto cada garçom vendeu em um dia. 
Finalmente, os problemas de negócio estão relacionados à manutenção do negócio 
propriamente dito e podem tanto ser isolados quanto causados por problemas operacionais ou 
funcionais. Um problema operacional como a demora ao calcular o valor final de uma conta 
pode causar um problema de negócio como filas na saída do restaurante. 
Para identificar problemas, podemos adotar algumas estratégias [B15], como: 
verificar os resultados obtidos atualmente nos processos e compará-los com objetivos da 
empresa ou padrões do mercado, observar o comportamento dos empregados e levantar a 
opinião de fornecedores, clientes e vendedores (representantes ou distribuidores) da empresa. 
Sinais específicos que podem ser verificados são: 
\u2022 Quanto às tarefas realizadas, se contém erros, se são feitas vagarosamente, se 
não são mais feitas como definidas em documentos da companhia, se não são 
completadas; 
\u2022 Quanto aos funcionários, se estão desestimulados, se não podem descrever 
suas responsabilidades e objetivos, se a taxa de demissões é alta. 
\u2022 Quanto aos parceiros externos (clientes, fornecedores e vendedores): 
reclamações, sugestões de melhoria, queda nas vendas, vendas com perdas. 
Para auxiliar o processo de levantamento de problemas, pode ser criada uma tabela 
com as colunas: Causa, Resultado, Valor, Processo Causador, Dados causadores, Sugestão de 
solução. 
 
 60 
Problemas do Negócio 
# Causa Resultado Valor Processo 
Causador 
Dados 
Causadores 
Sugestão 
de 
Solução 
Como não 
podemos 
analisar 
planos de 
negócio 
alternativos 
Não é 
possível 
analisar 
cenários de 
mercado 
Acima de 1 
milhão 
Planejamento - Modelagem 
de cenários 
Como não 
sabemos o 
custo real de 
produção 
futura 
Não é 
possível 
fazer 
contratos de 
longo prazo 
30% do 
faturamento 
poderiam ser 
passados de 
curto prazo 
para longo 
Compras Preços Sistema de 
acompanha
mento de 
custos 
Tabela 3. Identificando problemas de negócio 
V.5 Oportunidades 
As oportunidades são ofertas que fazemos ao nosso cliente. Devido ao nosso 
conhecimento técnico e tecnológico, normalmente ficamos à vontade para oferecer 
oportunidades tecnológicas. Uma oportunidade tecnológica, como diz o nome, é a oferta de 
uma tecnologia específica de implementação que oferecerá alguma vantagem ao cliente. Por 
exemplo, ao implantar um novo sistema de estoque podemos oferecer a entrada e saída de 
produtos pelo uso de código de barras. A oportunidade tecnológica não altera a 
funcionalidade que o cliente necessita, mas sim sua forma de implementação. 
Algumas vezes também podemos oferecer oportunidades de negócio. Uma 
oportunidade de negócio é alguma funcionalidade não prevista pelo cliente, mas que sabemos 
ser possível implementar. Devemos ter muito cuidado com oportunidades de negócio, pois 
elas podem ser, na verdade, falsos requisitos. Um exemplo típico é a proliferação de 
relatórios em sistemas que na prática usam apenas alguns. 
Uma oportunidade de negócio deve ser exaustivamente discutida com o cliente de 
forma a ficar claro que ela realmente traz benefícios, que esses benefícios são consideráveis, 
que o risco do projeto não aumenta muito e que ela será realmente utilizada. 
Um exemplo que podemos dar é, em um controle de estoque, a funcionalidade de 
prever que produtos estão próximos de sua data de vencimento. Essa não é uma função 
\u201cnormal\u201d de sistemas de estoque. Exige um custo adicional não só de desenvolvimento, mas 
também de operação, como identificar a data de vencimento, controlar diferentes datas para 
um produto, etc. Em muitos contextos, essa função pode parecer interessante mais ser, na 
prática, inútil. Em uma oficina mecânica, por exemplo, ela pode ser totalmente inútil. Em um 
grande mercado, ela pode ser bastante útil. Porém em um pequeno mercado, onde o 
proprietário tem na verdade um controle mental do estoque e precisa do sistema de estoque 
apenas para fazer um controle legal ou financeiro, essa funcionalidade pode parecer útil a 
princípio, mas nunca ser usado no dia a dia. 
As oportunidades devem produzir resultados úteis para a empresa, como acelerar 
processos, eliminar passos desnecessários, reduzir erros na entrada e saída de dados, 
aumentar a integração entre sistemas, aumentar a satisfação do usuário e facilitar a interação 
com os parceiros externos da organização (fornecedores, representantes e clientes). [B15] 
 61 
V.6 Metas e suas métricas 
Enquanto o objetivo define o que fará o sistema, as metas justificam a sua existência 
para o negócio. 
Uma meta é um efeito positivo no negócio do cliente que é esperado com a 
implantação do novo sistema. Metas são benefícios trazidos pelo novo sistema ao negócio. 
A análise das metas permite ao cliente verificar qual a relação custo/benefício da 
implantação de um novo sistema. Baseado nas metas o cliente é capaz de fazer uma avaliação 
econômico-financeira, comparando o preço do sistema, ou melhor, ainda, com o custo total 
de propriedade (TCO \u2013 Total Cost of Ownership) do sistema, com o valor equivalente dos 
benefícios trazidos pelo sistema. 
Por exemplo, um sistema que transforme um trabalho de 1 hora por dia de uma pessoa 
que ganha R$ 10,00 por hora para 15 minutos, poupa R$ 7,50 por dia. Isso corresponde a 
aproximadamente R$ 165,00 por mês, ou ainda R$ 1980,00 por ano. Como se admite que um 
investimento tenha retorno em dois anos, o benefício total causado apenas pela aceleração do 
processo, em dois anos, seria de R$ 3960,00. Caso esse fosse o único benefício do sistema, 
esse valor seria então um limite superior para o TCO. 
O uso de metas para nortear o desenvolvimento de sistemas é uma proposta diferente 
das tradicionais, porque as metas não estão relacionadas a funcionalidades do sistema, mas 
sim aos resultados obtidos quando inserimos o sistema novo no ambiente. 
Assim, devemos definir metas que possam ser verificadas quando o sistema for 
instalado. Cada meta virá acompanhada de uma métrica, uma medida objetiva que permite 
comprovar que a meta foi alcançada. Metas que não possuem métricas objetivas, como 
"satisfação do cliente", devem ser evitadas ou devem ser associadas a um instrumento de 
medida que permita verificar conceitos subjetivos, nesse caso uma pesquisa de opinião. 
Ao implantar um sistema de atendimento automático, poderíamos ter como metas: 
\u2022 Acelerar o atendimento, com a métrica \u201ctempo médio de atendimento\u201d. 
\u2022 Diminuir o tamanho das filas, com a métrica \u201ctamanho médio da fila\u201d. 
Para cada para par meta - métrica, podem ser necessários um procedimento de medida 
e um procedimento de levantamento de dados passados. Isso não é uma prática comum no 
desenvolvimento de sistemas, porém é algo desejável. 
A principal vantagem de associar ao sistema metas que não fazem parte dos requisitos 
é demonstrar a sua utilidade, isto é, como o sistema fará o cliente ganhar mais dinheiro ou 
realizar melhor sua tarefa. 
Devemos tomar cuidado, porém, com as armadilhas que existem na escolha das 
metas. Primeiro, é muito comum que um cliente deseje uma meta que não pode ser alcançada 
por um sistema com o objetivo definido. A questão, nesse caso, se resume a negociar a 
mudança da meta ou negociar a mudança do objetivo. Como exemplo, podemos citar o caso 
de um cliente que desejava um sistema de controle de pedidos para os fornecedores baseado 
em pedidos de clientes e desejava que o sistema