como-criar-uma-oscip
23 pág.

como-criar-uma-oscip


DisciplinaMétodo I48 materiais242 seguidores
Pré-visualização8 páginas
Como criar uma OSCIP
Para tornar a metodologia de criação de OSCIP mais didática, separei-a em 
passos:
1) Mobilizar o maior número de pessoas em prol da criação da entidade.
2) Reunir estas pessoas para explicar os objetivos da futura entidade, sua 
importância e sua necessidade.
3) Definir nesta reunião uma comissão de preparação das próximas 
reuniões, com a divisão de tarefas e responsabilidades.
4) Elaborar uma proposta de Estatuto para ser analisada, discutida e 
modificada nas futuras reuniões pela Assembléia Geral dos presentes.
5) Ao definir a missão da entidade e redigir a primeira proposta de Estatuto, 
será elaborada uma carta convite contendo dia, hora, local, além dos 
objetivos e da pauta da reunião.
6) No dia da Assembléia, deverá haver um livro de presença, o qual 
registrará todos os interessados em participar da assembléia, e um livro 
de atas com as presenças e suas respectivas assinaturas.
7) Marcar uma Assembléia para eleger uma mesa dirigente composta por 
um dirigente e dois secretários.
8) Após a eleição do presidente, ele lerá a pauta da reunião e encaminhará 
os debates: o Estatuto, entre outros.
9) Ao finalizar a elaboração do Estatuto, a comissão lerá o Estatuto e 
distribuirá uma cópia a cada um dos presentes, a fim de que cada artigo 
polêmico possa ser discutido, modificado e aprovado.
10) Marcar uma Assembléia para eleger a diretoria conforme pré-
estabelecido pelo Estatuto.
11) Dar posse aos eleitos nos cargos.
12) Reunir as cópias do Estatuto, das Atas das reuniões, da Relação 
Qualificada da Diretoria e encaminhá-las ao Cartório de Registro Civil de 
Pessoas Jurídicas.
13) Ir a uma Delegacia regional da Secretaria da Receita Federal para 
preencher um formulário padrão e dar entrada para obtenção do CNPJ a 
fim de que possa realizar operações financeiras, abrir conta bancária e 
celebrar convênios. Não esqueça de levar todos os documentos 
registrados no cartório, autenticados e carimbados, e os documentos do 
responsável pela entidade.
Itens necessários para a constituição do Estatuto:
1) Nome e Sigla na Entidade
2) Sede e Foro
3) Finalidades e Objetivos
4) Definição de responsabilidades dos sócios
5) Indicação do responsável pela entidade
6) Indicação dos sócios e de seus tipos
7) Direitos e Deveres
8) Previsão para modificações do Estatuto
9) Poderes da Assembléia, da Diretoria e do Conselho Fiscal e o tempo de 
duração da sociedade.
10) Casos de dissolução
11) Destino do patrimônio nestes casos.
Possíveis objetivos do Terceiro Setor
Dentre os objetivos que uma Organização do Terceiro Setor 
pode ter, podemos citar:
1) Defesa, preservação e conservação do meio ambiente;
2) Promoção do desenvolvimento sustentável;
3) Promoção da assistência social;
4) Promoção da cultura, defesa e conservação do patrimônio histórico e 
artístico;
5) Promoção gratuita da educação (forma complementar);
6) Promoção gratuita da saúde (forma complementar);
7) Promoção da segurança alimentar e nutricional;
8) Promoção do voluntariado;
9) Promoção do desenvolvimento econômico e social;
10) Promoção do combate à pobreza;
11) Experimentação, não lucrativa, de novos modelos sócio-produtivos e de 
sistemas alternativos de produção, comércio, emprego e crédito;
12) Promoção de direitos estabelecidos, construção de novos direitos e 
assessoria jurídica gratuita de interesse suplementar;
13) Promoção da ética, da paz, da cidadania, dos direitos humanos, da 
democracia e de outros valores universais;
14) Estudos e pesquisas, desenvolvimento de tecnologias alternativas, 
produção e divulgação de informações e conhecimentos técnicos e 
científicos que digam respeito às atividades mencionadas.
É prática comum entre as entidades do terceiro setor elaborarem um estatuto 
com o máximo de objetivos possíveis. Entretanto, isto aos olhos dos 
avaliadores de políticas sociais pesa negativo.
Quando uma entidade tem um objetivo bem definido, demonstra mais 
seriedade e foco diante a busca das soluções dos problemas sociais os quais 
incitaram sua criação. Desta forma, os avaliadores de políticas públicas 
preferem selecionar entidades com propósitos mais bem definidos.
Além disso, a delimitação de objetivos pela entidade facilita na sua 
administração e na sua visualização perante a sociedade.
Portanto, esqueça querer colocar o máximo de objetivos possíveis em seu 
estatuto, pois querendo buscar fontes de financiamento para todos, você 
acabará sem nenhum.
O Que é Associação sem Fins Lucrativos? Como 
Constituir e como é Tributada?
I - Conceitos e objetivos: Associação Sem Fins Lucrativos:
Associação é uma entidade de direito privado, dotada de personalidade jurídica e 
caracterizada pelo agrupamento de pessoas para a realização e consecução de objetivos 
e ideais comuns, sem finalidade lucrativa. Uma associação sem fins lucrativos poderá 
ter diversos objetivos, tais como:
a. associações de classe ou de representação de categoria profissional ou econômica; b. 
instituições religiosas ou voltadas para a disseminação de credos, cultos, etc.; c. 
entidades de benefício mútuo destinadas a proporcionar bens ou serviços a um círculo 
restrito de associados - ex.: clubes esportivos; centrais de compras; associações de 
bairro, moradores, etc.; d. associações com objetivos sociais que observam o princípio 
da universalização dos serviços - Ex.: promoção da assistência social; promoção da 
cultura, patrimônio histórico e artístico; promoção gratuita da saúde e educação; 
preservação e conservação do meio ambiente; promoção dos direitos humanos, etc.
As atividades previstas na letra \u201cd\u201d, acima, são atribuídas às ONGs, podendo ser 
qualificadas como Organizações da Sociedade Civil de Interesse Público perante o 
Ministério da Justiça, a fim de firmar TERMO DE PARCERIA com o Poder Público e 
obter repasses de recursos para o fomento destas atividades, observados os dispositivos 
previstos na Lei nº 9.790, de 23/03/99 e Decreto nº 3.100, de 30/06/99.
II - Características de uma Associação Sem Fins Lucrativos:
1. constitui a reunião de diversas pessoas para a obtenção de um fim ideal, podendo este 
ser alterado pelos associados; 2. ausência de finalidade lucrativa; 3. o patrimônio é 
constituído pelos associados ou membros; 4. reconhecimento de sua personalidade por 
parte da autoridade competente.
III - Roteiro para constituição e registro de associações:
1. elaboração e discussão do projeto e Estatuto Social; 2. assembléia Geral de 
constituição da Associação; 3. registro do Estatuto e Ata da Assembléia de constituição 
em Cartório de Registro de Pessoas Jurídicas; 4. obtenção de inscrição na Receita 
Federal - CNPJ; 5. inscrição na Secretaria da Fazenda - Inscrição Estadual (se vender 
produtos); 6. registro da entidade no INSS; 7. registro na Prefeitura Municipal.
IV - Documentos exigidos pelo cartório: 1. requerimento do Presidente da Associação - 
1 via; 2. estatuto Social - 3 vias, sendo 1 original e 2 cópias assinadas ao vivo por todos 
os associados e rubricada por advogado com registro na OAB; 3. ata de constituição - 3 
vias; 4. RG do Presidente.
V - Efeitos do Registro:
As entidades sem fins lucrativos passam a ter existência legal com sua inscrição no 
Registro das Pessoas Jurídicas (art. 114 da Lei nº 6.015, de 31/12/73).
Uma vez atendidos todos os procedimentos de registro, o Cartório de Registro Civil das 
Pessoas Jurídicas expedirá, em nome da associação, a certidão de Personalidade 
Jurídica, que será a prova da sua existência legal.
VI - Imposto de Renda:
Atendidas as disposições legais, as pessoas jurídicas sem fins lucrativos, em relação ao