Integração_do_Metabolismo
2 pág.

Integração_do_Metabolismo


Disciplina<strong>fisiologia Veterinaria</strong>22 materiais37 seguidores
Pré-visualização2 páginas
www.faculdadevertice.com.br

Integração do Metabolismo

Professora: Ms. Fernanda Cristina Ferrari

Medicina Veterinária

Bioquímica I

2º período

www.faculdadevertice.com.br

Controle e Integração

A homeostase é atingida através de uma série de mecanismos

reguladores que envolve todos os órgãos do corpo

Dois sistemas, entretanto, são destinados exclusivamente para

a regulação das funções orgânicas: o sistema nervoso e o

sistema endócrino

Ambos liberam moléculas reguladoras que controlam os

órgãos do corpo. Essas moléculas primeiramente se ligam a

receptores protéicos nas células dos órgãos alvo

As moléculas reguladoras podem ser neurotransmissores,

hormônios ou reguladores específicos do órgão

www.faculdadevertice.com.br

Neurotransmissores: secretados pelos axônios dos neurônios

nas fendas sinápticas.

Um hormônio é um regulador químico que é secretado na

corrente sangüínea por uma glândula endócrina ou um órgão do

corpo que tenha função endócrina

Outros reguladores são produzidos, liberados e agem dentro de

um órgão. Esse tipo de regulação é denominada de regulação

parácrina.

Ferormônios: são liberados no ambiente e servem de

mensageiros para a comunicação entre os animais.

Moléculas Reguladoras

www.faculdadevertice.com.br

O funcionamento dos órgãos são influenciados por reguladores neurais,

parácrinos e endócrinos. Cada tipo de regulador químico se liga de uma

maneira específica a um receptor protéico na superfície ou dentro da célula

do órgão alvo.

Axônio
neurotransmissor

Glândula

endócrina

Proteínas

receptoras

Hormônio carregado

pelo sangue

Regulador parácrino

alvo

www.faculdadevertice.com.br

Enzimas

\u2022 Alteração da concentração

\u2022 Alteração da atividade

\uf0d8Regulação alostérica (não covalentes)
\u2022 Efetuadores alostéricos positivos

\u2022 Efetuadores alostéricos negativos

\uf0d8Regulação por modificação covalente
\u2022 Nos animais superiores: ação hormonal

www.faculdadevertice.com.br

Ação Hormonal

Os hormônios são os primeiros mensageiros do

sistema endócrino

Hormônio célula-alvo modificações

\u2022Hormônios esteróides: cortisol, aldosterona, estradiol,
progesterona, testosterona

\u2022Hormônios peptídicos: insulina, glucagon

\u2022Catecolaminas: epinefrina, norepinefrina (adrenalina,
noradrenalina)

www.faculdadevertice.com.br

Receptores

Os receptores podem estar na membrana, no

citossol ou no núcleo das células-alvo: depende

da natureza do hormônio

www.faculdadevertice.com.br

Transdução de sinal

\u2022Mecanismo pelo qual os hormônios interagem
com as células para efetuar mudanças nos

processos intracelulares

\u2022Inicia-se com a ligação do hormônio a seu
receptor e prossegue com o acoplamento do

complexo formado a uma proteína G, o que leva a

produção de um segundo mensageiro

Proteína G: transforma sinal molecular externo

em sinal intracelular

www.faculdadevertice.com.br

A Adrenalina se liga

no seu receptor, que

se associa a uma

proteína G.

A proteína G se

associa com

adenilato ciclase

que converte ATP

em AMPc,

espalhando o sinal.

www.faculdadevertice.com.br

Sistema Endócrino

www.faculdadevertice.com.br

Hormônios

\u2022 Substâncias químicas produzidas por glândulas
especializadas sem ductos, liberadas no sangue e

carreadas para outras partes do corpo para produzir

efeitos reguladores específicos

\u2022 Geralmente produzidos por uma glândula, mas podem
também ser produzidos por células em diferentes regiões

do corpo. Ex.: prostaglandinas

www.faculdadevertice.com.br

Catecolaminas: Adrenalina

e Noradrenalina

www.faculdadevertice.com.br

Fenilalanina

Tirosina

L-dopa

Dopamina

Noradrenalina

Adrenalina

Fenilalanina-hidroxilase

Tirosina- hidroxilase

Dopa-dexcarboxilase

Dopamina-b-hidroxilase

Metiltransferase

Síntese de Catecolaminas

www.faculdadevertice.com.br

NA

Síntese

Armazenamento

Liberação

www.faculdadevertice.com.br

15

LIBERAÇÃO DO

NEUROTRANSMISSOR

www.faculdadevertice.com.br

\u2022 A NA liberada das vesículas difusas sinápticas
cruza a fenda sináptica e liga-se ao receptor
pós-sináptico no órgão receptor ou no receptor
pré-sináptico do nervo terminal.

\u2022 Ocorre um evento em cascata dentro da célula,
resultando na formação do segundo
mensageiro intracelular

\u2022 Receptores adrenérgicos usam ambos, os
sistemas de segundo mensageiro: AMPc e/ou
IP3 e DAG para transmitir o sinal para dentro
do órgão efetor.

Noradrenalina

www.faculdadevertice.com.br

Hormônios do Pâncreas

\u2022 Insulina
\u2022 Glucagon
\u2022 Somatostatina
\u2022 Polipeptídeo Pancreático

www.faculdadevertice.com.br

Insulina

Atua sobre o fígado, músculos, tecido adiposo e leucócitos

Principal função: permitir o transporte de glicose através da
membrana celular

Fígado: insulina aumenta a absorção de glicose, estimulando
enzimas hepáticas que ajudam a produzir glicogênio e inibe
enzimas que catalisam a glicogenólise

Promove a deposição de gordura e síntese protéica

Atividade da insulina promove a redução da concentração
plasmática de glicose (\u201cglicose para tecidos\u201d)

www.faculdadevertice.com.br

Glucagon

Função: elevação da concentração sanguínea de glicose

Estimula glicogenólise

Aumenta a gliconeogênese e estimula a lipólise

Estimula a secreção de insulina

www.faculdadevertice.com.br

Somatostatina

Agente \u201cinibidor\u201d para retardar a produção de nutrientes para a
circulação e moderar os efeitos metabólicos da Insulina,

Glucagon e GH (hormônio do crescimento)

Polipetídeo Pancreático

Secreção estimulada pela ingestão de proteína, exercício
físico e jejum

Nenhuma função definitiva estabelecida

www.faculdadevertice.com.br

Controle da Insulina e Glucagon

Diretamente controlada pela concentração sanguínea de
glicose

Insulina diminui X Glucagon aumenta

Glucagon:

Estimulado por hipoglicemia

Inibido por glicose, insulina e somatostatina

www.faculdadevertice.com.br

Hormônios Esteróides

www.faculdadevertice.com.br

Glândulas Adrenais

São estruturas pequenas e pareadas

Repousam na parte superior dos rins

Hormônios do Córtex Adrenal:

Esteróides formados pelo colesterol

www.faculdadevertice.com.br

Os hormônios esteróides são derivados do lipídeo colesterol

do sangue.

Os hormônios esteróides são secretados pelo córtex

adrenal, testículos, ovários e placenta.

Colesterol Estradiol

www.faculdadevertice.com.br

www.faculdadevertice.com.br

Glicocorticóides

Produção: Glândula Adrenais

Possuem ação antiinflamatória

São usados na indústria farmacêutica

São secretados pela zona fasciculada do Córtex Adrenal

www.faculdadevertice.com.br

Glicocorticóides

Atuam no metabolismo dos Carboidratos

Favorecem a Gliconeogênese

Atuam sobre - Glucagon e Epinefrina

Elevam os níveis de glicose no sangue atuando na glicólise do

glicogênio no fígado

www.faculdadevertice.com.br

Receptores Intracelulares

www.faculdadevertice.com.br

Glândula Tireóide

Os hormônios tireoidianos também são lipofílicos

Pertencem ao grupo das Aminas \u2013 são derivados de
aminoácidos

www.faculdadevertice.com.br

Glândula Tireóide

Hormônios da Tireóide:

Característica adicional: hormônios sintetizados com
aminoácidos e iodo

Tetraiodotironina: Tiroxina T4

Triiodotironina: Tiroxina T3

TSH (Hormônio Estimulante da Tireóide): responsável pela
ligação do iodo

www.faculdadevertice.com.br

T3 e T4: combinam-se com proteínas plasmáticas no sangue

Função principal: capacidade de aumentar o calor interno do

corpo elevando a taxa de consumo de oxigênio

Hormônios da Tireóide \u2013 estimulam as atividades
metabólicas da maioria dos tecidos do corpo