Direito do trabalho
9 pág.

Direito do trabalho


DisciplinaDireito do Trabalho I33.690 materiais512.039 seguidores
Pré-visualização2 páginas
geral, discutir perante o governo. 
(25/03) Contribuições sindicais 
a) Contribuição anual compulsória. 
(Imposto sindical) principal fonte de receita. Todos integrantes 
da categoria, independente da filiação à entidade sindical (art. 
579) corresponde a um dia de trabalho do ano. Dinheiro vai 
para o sistema sindical. 
Categoria econômica: proporcional ao capital social. 
Mesmo que não haja um sindicato que represente aquela 
categoria, é obrigatório. 
b) Contribuição anual estatuaria. 
Prevista no estatuto, vinculado ao filiado (art. 548) para 
associados somente, obrigação prevista em cada estatuto 
sindical. 
c) Contribuição anual confederativa. 
Auxiliar no sistema confederativo dos sindicatos (art. 8º, IV 
CF) não é obrigatório para não vinculados. 
d) Contribuição sindical assistencial. 
(art.513) O sindicato tem função de negociar melhores 
condições a sua categoria. Acordo ou convenção coletiva de 
trabalho, pedem contribuição em troca dos benefícios 
conquistados. (Só pode pedir para associados). 
 
Negociação coletiva 
Conceito: Compreende todas tratativas que tenha lugar entre: De 
uma parte o empregador, grupo de empregadores e outra parte 
uma ou várias organizações de trabalhadores. (Cat. Econômica: 
uma ou várias empresas, cat. Profissional: uma ou várias entidades 
sindicais). 
Empresário pode representar sua empresa, já o empregado não 
pode representar sua categoria. 
Exceção: Empregados da ciência ao sindicato que deve autorizar 
ou participar da negociação, sendo ausente o sindicato, pode 
recorrer a federação e confederação. Não havendo resposta no 
prazo de 8 dias, pode assumir a negociação os trabalhadores. 
Objetivo: Visa fixar convenção de trabalho e disciplinar relação 
entre entidades sindicais. 
Condição de êxito (art. 7º, XIII, VI cf) 
\uf0d8 Algum grau de liberdade e autonomia sindical 
\uf0d8 Haja índice razoável de sindicalização 
\uf0d8 Haja espaço legal para a complementação do sistema legal 
de proteção ao trabalho. 
 
(01/04) 
Distinção entre negociação coletiva e norma 
coletiva 
Negociação coletiva é o procedimento, tentativa de buscar uma 
solução para o empasse na atividade trabalhista. (É obrigatória 616 
CLT) não se pode recusar, mas não é obrigatório o êxito. 
Norma coletiva: é o fruto do sucesso da negociação coletiva, acordo 
coletivo de trabalho (ACT) e convenção coletiva de trabalho (CCT) 
ou sentença normativa (decisão do judiciário) no âmbito do deicídio 
coletivo. 
Funções da negociação coletiva 
\uf0d8 Compositiva: Há um conflito, a negociação é uma maneira de 
supera-lo. 
\uf0d8 Normativa: Condições de trabalho que derivam de fonte 
normativa, fonte formal do direito. 
\uf0d8 Política: Supera divergências entre capital e trabalho, pelas 
próprias partes envolvidas. 
\uf0d8 Econômica: Papel na distribuição de renda, parâmetros 
mínimos e máximos. 
ACT- entre empresa e sindicato da categoria profissional ou 
empresas e sindicato da categoria profissional. 
CCT- entre sindicato patronal e sindicato profissional. 
 
 
(08/04) 
Direito coletivo- Greve 
Conceito: É a cessação coletiva do trabalho para fins reivindicatório, 
na qual há paralisação temporária dos serviços ou suspensão 
temporária dos trabalhadores condicionado a aprovação da 
assembleia. Instrumento de pressão para parte dos trabalhadores. 
Natureza jurídica (9ºcf): Direito do empregado, sendo forma 
autorizada de autodefesa pelos trabalhadores em conflitos 
coletivos, considera socialmente útil e protegida pelo ordenamento 
jurídico. 
Greve \u2260 Lock-out 
\uf0d8 (Lock-out) é a paralização das atividades pelo empregador 
com a finalidade de frustrar a negociação coletiva e dificultar o 
atendimento das reinvindicações dos trabalhadores. É 
proibida pelo ordenamento. 
Evolução do tratamento legal da greve no Brasil 
\uf0d8 Até 1937 não era regulada, passando então a ser considerada 
delito. 
\uf0d8 Só em 1946 a greve passou a ser um direito do trabalhador, 
em 1967 sofreu grandes limitações. 
\uf0d8 A partir de 1988 a greve é reafirmada como direito 
fundamental. 
Lei Federal: 7783/89, dispõe sobre o direito da greve 
Procedimento da greve 
\uf0d8 Negociação coletiva obrigatória (tentativa). 
\uf0d8 Decisão em assembleia convocada pelo sindicato. 
\uf0d8 Aviso prévio da greve: 48 horas de antecedência, e 72 horas 
no caso de serviços essenciais, sendo avisados o empregador 
e os usuários. 
\uf0d8 Manutenção dos serviços indispensáveis. 
 
Efeito do contrato durante a greve 
Existe, mas não produz efeito (suspenso). 
O período de greve é qualificado como suspensão do contrato (art. 
7º), não configura abandono do emprego ou justa causa. 
(Se a greve for abusiva é possível rescisão de contrato. Negociação 
para estabelecer como fica a situação no período de greve) 
Greve em atividades essenciais 
É permitido desde que em comum acordo, garantam durante a 
greve a prestação mínima dos serviços indispensáveis. 
Greve abusiva 
Constitui-se abusivo o direito à greve, o ato de violar, constranger 
garantias constitucionais, ou a realização da grave sem obediência 
do procedimento legal. Cabe ao Tribunal Regional do Trabalho a 
declaração da abusividade.