Waldo Vieira - Nossa evolucao
172 pág.

Waldo Vieira - Nossa evolucao


DisciplinaHistória I196 materiais1.525 seguidores
Pré-visualização33 páginas
de ser desen-
volvida a partir do holossoma dos animais e com vistas à condição 
alternante da multidimensionalidade dos princípios conscienciais 
a fim de se aproximar um pouco mais da realidade da evolução. 
 O que é ser desperto? 
 O ser desperto é a pessoa física \u2013 homem ou mulher \u2013 desas-
sediada, permanente, total, plenamente autoconsciente da sua quali-
dade de desperticidade. 
 O desperto acusa imediatamente, em qualquer lugar, a qual-
quer hora, a presença de consciências (conscins e consciexes) asse-
diadoras, lúcidas (calculistas e malintencionadas) ou inconscientes 
(parapsicóticos pós-dessomáticos ou carnes de canhão), e não se 
deixa envolver nem ficar perturbado pela atuação ou intrusão 
patológicas urdidas por elas. 
N O S S A E V O L U Ç Ã O 115
O DESPERTO NÃO É MAIS VÍTIMA DE 
CONSCIÊNCIAS PERTURBADORAS. ELE 
AS ASSISTE, COM DESENVOLTURA,
JUNTO AOS AMPARADORES.
 O desperto é uma isca assistencial consciente entre os micro-
universos conscienciais. 
 Note-se bem: infelizmente, essa performance interconscien-
cial evoluída não acontece, ainda, à maioria absoluta dos compo-
nentes da humanidade, inclusive, nem aos cientistas, detentores do 
Prêmio Nobel; líderes religiosos sectários que se autodeificam; ar-
tistas de naturezas diversas; profissionais da saúde em geral (as 
maiores vítimas); e nem, evidentemente, às pessoas vulgares ou os 
elementos da massa humana impensante. 
 Os seres despertos em geral, é óbvio, estão sempre interessa-
dos em tudo o que fazem assistencialmente, não só os amparadores, 
mas também os Orientadores Evolutivos. 
 O que é Serenão? 
 O serenão é o nome popular do Homo sapiens serenissimus,
aquela consciência que já vive integralmente a condição do serenis-
mo lúcido. 
 O Homo sapiens serenissimus, dentro da hierarquia evolutiva 
inevitável, se situa depois do Orientador Evolutivo. 
 O serenismo apresenta um paradoxo extremo em certo pata-
mar do seu desenvolvimento: quando você dispõe do mais alto nível 
da verdade relativa impactante, alcançado, pessoalmente, na vida in-
trafísica, e tendo às mãos as melhores possibilidades de divulgá-la 
para os homens; maiores serão também as suas impossibilidades 
cosmoéticas de fazê-lo. 
 Isso evidencia que a condição do anonimato do Serenão não 
é, de fato, totalmente escolhida por ele. A rigor, ele não tem outra 
opção mais inteligente ou cosmoética, senão o anonimato. 
 A revelação de certos níveis do conhecimento avançado pode 
ser mais prejudicial do que construtiva. Isso caracterizaria o anti-
cosmoético estupro evolutivo.
N O S S A E V O L U Ç Ã O116
 O fato fala a favor da natureza inevitavelmente discrimina-
tória da evolução consciencial, em toda parte, em todos os níveis, 
caminhando, ainda assim, para a maxifraternidade. 
 A hierarquia da evolução, feliz ou infelizmente, está assenta-
da, queiramos ou não, em um elitismo franco. 
 Por estar nas últimas experiências através de corpos do tipo 
humano, biológico (macrossomas), o serenão caminha para a tercei-
ra dessoma, ou a desativação do psicossoma, iniciando o seu ciclo 
mentalsomático. 
 O que é ciclo mentalsomático?
 O ciclo mentalsomático é o curso evolutivo da consciência 
que já desativou definitivamente o psicossoma e vive tão só com 
o mentalsoma, iniciando-se na condição de consciência livre. 
 O que é consciência livre?
 A consciência livre é aquela que já se libertou definitivamente 
do psicossoma \u2013 o corpo emocional \u2013 e, em consequência, das fiei-
ras das vidas intrafísicas, iguais às nossas, em que empregamos de 
tempos em tempos, um corpo energético \u2013 o holochacra \u2013 e um 
soma ou corpo humano. 
 Somos seres conscientes de nossa própria consciência. 
 Somos o único ser humano, até o momento, que reconhece 
que é consciente, lúcido de si mesmo. Perguntamos: \u201cQuem sou eu? 
O quê é consciência?\u201d 
 Somos capazes de parar e refletir sobre nossos experimentos. 
 Podemos mudar o mundo como nenhum outro ser intrafísico 
conhecido, até o momento. 
 Cada um de nós sabe o que significa ser consciente. 
A CONSCIÊNCIA LIVRE, DENTRO DA 
HIERARQUIA EVOLUTIVA INEVITÁVEL,
SE SITUA DEPOIS DO HOMO SAPIENS 
SERENISSIMUS.
N O S S A E V O L U Ç Ã O 117
 Julgamos, por fim, ter conseguido responder, razoavelmente, 
com lógica, às questões fundamentais apresentadas logo no início 
deste volume, ou seja: 
Quem é você, leitor ou leitora? 
 Você é uma consciência individualíssima, um verdadeiro 
microuniverso diferente de todos os outros, com potencialidades 
produtivas e evolutivas inavaliáveis. 
O que é você? 
 Você é uma realidade indestrutível e complexíssima que deve 
ser estudada por você mesmo, antes de tudo. 
De onde veio você? 
 Você veio de uma comunidade extrafísica de consciexes, cor-
respondente ao seu nível evolutivo, onde você estava antes de assu-
mir o seu atual corpo humano, temporário. 
O que você faz nesta vida na Terra? 
 Você busca evoluir através do conhecimento do Universo 
e domínio de você mesmo e das coisas, empregando os recursos da 
vida humana ou material. 
Para onde vai você? 
VOCÊ VAI VOLTAR À SUA PROCEDÊN-
CIA EXTRAFÍSICA A FIM DE ATUALIZAR 
A PLANILHA EVOLUTIVA, DEPOIS DA 
DESATIVAÇÃO DO CORPO.
N O S S A E V O L U Ç Ã O118
 Este autor convida os adversários \u2013 até mesmo os mais intran-
sigentes \u2013 das verdades relativas de ponta, discutidas neste volume, 
notadamente dos princípios, meios e fins, coesos e coerentes da 
ciência Conscienciologia; e todos aqueles que ainda não conseguem 
produzir, por si mesmos, projeções conscienciais lúcidas; a darem 
uma solução mais lógica, racional e minuciosa, aos magnos proble-
mas evolutivos da personalidade humana aqui abordados. 
 Todo livro funciona apenas como fonte de informações. 
TODA CONCLUSÃO, OU DECISÃO 
RENOVADORA, SOMENTE DEVE SER 
POSTA EM PRÁTICA DEPOIS DA 
VIVÊNCIA PESSOAL, DIRETA. 
N O S S A E V O L U Ç Ã O 119
GLOSSÁRIO DA CONSCIENCIOLOGIA 
Observações. Aqui estão listadas 282 denominações, palavras 
compostas, expressões e seus equivalentes técnicos da Conscien-
ciologia. 
Abordagem extrafísica \u2013 Contato de uma consciência com 
outra nas dimensões extrafísicas.
Acidente parapsíquico \u2013 Distúrbio físico ou psicológico 
gerado por influências energéticas, interconscienciais, doentias, em 
geral de origem extrafísica, ou multidimensional.
Acoplamento áurico - Interfusão das energias holochacrais 
entre duas ou mais consciências. 
Agenda extrafísica \u2013 Anotação por escrito da relação de 
alvos conscienciais extrafísicos, prioritários \u2013 seres, locais ou ideias, 
que o projetor projetado procura alcançar gradativamente, de ma-
neira cronológica, estabelecendo esquemas inteligentes ao seu 
desenvolvimento. 
Alucinação (Latim: hallucinari, errar) \u2013 Percepção aparente 
de objeto externo não presente no momento; erro mental na 
percepção dos sentidos, sem fundamento em uma realidade objetiva. 
Alvo mental projetivo \u2013 Meta predeterminada que a conscin 
objetiva alcançar, através da vontade, intenção, mentalização e deci-
são, ao se ver lúcida fora do soma. 
Amência consciencial \u2013 Condição da consciência incapaz de 
pensar com equilíbrio mental razoável. 
Amparador \u2013 Consciex auxiliadora de uma conscin ou de 
várias conscins; benfeitor extrafísico. Expressões equivalentes, 
arcaicas, desgastadas e envilecidas pelo emprego continuado: anjo 
de guarda; anjo guardião; anjo de luz; guia; mentor.
Andaimes conscienciais \u2013 Muletas psicológicas ou fisioló-
gicas quando dispensáveis. 
Androchacra (andro + chacra) \u2013 O sexochacra do homem.
Andropensene (palavra composta: andro + pen + sen + ene)
\u2013 Pensene específico da conscin masculina primitiva ou o machão. 
Androssoma (andro + soma) \u2013 O corpo humano masculino 
ou específico do homem.